Nós do Lab: colaboração e inovação em debate

Um grande debate sobre premissas colaborativas e ações das instituições públicas para estimular a inovação e a participação social foi realizado no LabHacker no último dia 30. Com o nome “Nós do Lab: amarrando as ações do Laboratório Hacker da Câmara dos Deputados”, o evento contou com a presença de especialistas de todo o País, que vieram trocar ideias sobre boas práticas de laboratórios cívicos e instituições públicas, voltadas à transparência e à participação da sociedade nos processos. Além de reencontrarmos velhos parceiros, o dia foi excelente para renovar nossas expectativas por um futuro com instituições mais abertas e conectadas aos cidadãos.

Na parte da manhã, os convidados falaram sobre suas experiências e apresentaram sugestões para a criação de um ambiente inovador e colaborativo, usando a metodologia do Aquário para dinamizar o debate. Entre os pontos que mais empolgaram, está a necessidade de as instituições públicas pensarem em modelos de projetos sustentáveis a longo prazo, mas sem perder a continuidade; de prover a estrutura de hospedagem e dados abertos, muitas vezes absorvendo os projetos; e ainda de testar iniciativas em formato de piloto, antes de aplicar em escala. O incentivo à participação de pequenos players nas licitações — quebrando mais esses processos e diminuindo as exigências — também foi uma ideia amplamente apoiada pelo pessoal, assim como a necessidade de priorizar o financiamento de pequenos projetos e equipes autônomas. E teve muito mais!

Dinâmica do aquário na primeira parte do evento
Síntese gráfica da primeira parte do evento

À tarde, o foco da conversa foi sobre a participação social: como gerar engajamento e atrair para o debate cívico a atenção de novos interessados. O grupo foi dividido em quatro mesas diferentes, dentro da metodologia World Café, e as conclusões foram muito bacanas! O pessoal, preocupado com a efetividade no resultado da participação, sugeriu feedbacks parciais aos envolvidos — cidadãos e gestores públicos — durante todo o processo. Para garantir o engajamento, também foi pensada a criação do selo de mandato aberto (aos deputados mais atuantes) e de um sistema de recompensas para os cidadãos, incluindo prêmios e relevância maior na participação. Mapeamento de hubs em redes sociais para uma divulgação mais efetiva, integração de plataformas e login, participação cívica divertida (gamificação)… e não para por aí! Melhor você conferir a lista inteira das sugestões interessantes de como conseguir mais colaborações no debate público.

Dinâmica World Café na segunda parte do evento
Síntese gráfica da segunda parte do evento

As discussões foram tão produtivas que a gente precisou de alguns dias para organizar todo esse material e refletir sobre como aproveitar de maneira mais efetiva os potenciais do nosso laboratório. Com a cabeça a mil, pensando nas novas possibilidades. Mas também com o pé no chão, conscientes de que houve um amadurecimento das perspectivas da colaboração cívica.