#SabatinasEstadãoFAAP: Alvaro Dias

A série Estadão-Faap Sabatinas com os Presidenciáveis — que entrevista os principais candidatos à Presidência nas eleições 2018 — , começou na manhã desta segunda-feira, 27, com o senador Alvaro Dias.

Coletiva de imprensa do candidato Alvaro Dias / Foto: Thiago Costa
“É difícil acreditar em político hoje em dia.” — Alvaro Dias

Ao longo de duas horas de entrevista, o candidato Alvaro Dias respondeu perguntas do público presente e dos jornalistas Andreza Matais, Marcelo de Moraes e do Professor e Diretor da faculdade de Direito da FAAP José Roberto Neves Amorim, com mediação da colunista do Estadão Eliane Cantanhêde, na manhã desta segunda-feira, 27, na Fundação Armando Alvares Penteado — São Paulo.

Entre os temas abordados, o candidato do Podemos falou sobre suas propostas para as reformas tributárias e da previdência, combate à corrupção, educação, economia e segurança pública.

Antes de responder a primeira pergunta, as palavras do candidato soaram em tom de denúncia. Para ele, “as eleições de 2018 são as mais desonestas, injustas e antidemocráticas da história do País”, se referindo a disputa desigual entre partidos e seus respectivos recursos aplicados em campanha eleitoral — seja por doação como no caso de Henrique Meirelles (MDB), ou uso do fundo partidário como de Geraldo Alckmin (PSDB).

Além das críticas relacionadas aos recursos eleitorais, o candidato ainda salientou sobre as desproporcionalidade do tempo de propaganda eleitoral na televisão em consequência das coligações formadas pelos partidos.

Impeachment pela metade

Alvaro Dias não poupou o presidente Michel Temer. Segundo o senador, o processo de destituição da ex-presidente Dilma foi conduzido de maneira equivocada, se tornando, em suas palavras, um “impeachment pela metade”. Na opinião do candidato, novas eleições deveriam ter sido convocadas e não poderia-se ter permitido que o vice de da chapa Dilma-Temer, assumisse o poder.

“Temer passou mais tempo reunido com advogados do que com seus ministros resolvendo os problemas do país”.

Paulo Rabello — vice do candidato e eleito economista do ano de 2018 pelo Conselho Superior da Ordem dos Economistas — , afirmou em entrevista ao LabJor FAAP que, caso sejam eleitos, a situação não ocorrerá dessa forma. Ambos trabalharão como se fossem “piloto e co-piloto na cabine de um avião”:

Alvaro Dias afirmou considerar mais importante o rompimento do sistema de corrupção à apresentação de propostas de governo. E os responsáveis por este cenário corrupto, segundo ele, são “os que nos governaram nos últimos tempos”, indicando que “se não rompermos com este sistema, nenhuma proposta será realizada”.

Durante toda sabatina, o candidato se mostrou incomodado em falar sobre propostas. No seu entendimento, promessas são ditas em todos processos eleitorais e quase nunca são correspondidas. Ele acredita que “as propostas são semelhantes, você não sabe quem está copiando quem.”

A Editora Executiva do LabJor FAAP Marina Verenicz entrevista o candidato Alvaro Dias/ Foto: Fernanda Magnotta

Educação

Questionado sobre os investimentos realizados no setor da educação, o presidenciável do Podemos acredita que os valores empregados são suficientes para um cenário mais atrativo da educação brasileira. “O problema é gestão, competência, planejamento e honestidade. O dinheiro é mal gasto”.

O senador falou também em abrir 500 escolas de formação para o trabalho, no intuito de atender e preparar um milhão de jovens.

Sobre a candidatura do PT

A candidatura do ex-presidente Lula também foi abordada durante a entrevista, e o senador foi contundente ao expressar seu sentimento contra o líder petista: “o preso ser candidato é uma afronta, um desrespeito. É a tentativa de violentar o Estado de Direito”.

Alvaro Dias levantou a bandeira da Operação Lava Jato por diversas vezes durante a sabatina e afirmou que pretende transformar a ação da Polícia Federal em uma “política de Estado contra a corrupção”.

Sobre Alckmin

O candidato provocou risos na plateia ao relacionar o governo de Geraldo Alckmin com uma “arca de Noé”, em referência ao apoio do candidato do PSDB com o bloco do Centrão. Para o senador — que já foi filiado ao partido tucano — compor um eventual governo de Alckmin seria sustentar o “balcão de negócios”.

​IR: isento até R$ 5 mil

O presidenciável do Podemos indicou que pretende isentar o pagamento de imposto de renda para aqueles que recebem até R$ 5 mil mensais. De acordo com Dias, a proposta teria caráter de incentivo no consumo capaz de vencer o déficit que seria arrecadado pelos isentos do IR.

Alvaro Dias afirmou que o Podemos não é um partido, e sim, um verbo. O candidato afirmou “querer somar o que há de bom na direita e o que há de bom na esquerda”. Segundo Dias, a ideia de partido no Brasil não existe. “O que temos no País são siglas. O meu nem isso tem, somos um verbo”, contraditoriamente, o candidato finalizou dizendo que gostaria que seu “movimento” se torne um partido futuramente.

O senador indicou ser a favor das privatizações, no entanto, não enxerga a Petrobrás como algo viável neste sentido. Para ele, as privatizações referentes à petroleira devem ser nas subsidiárias da estatal. “Não adianta privatizar a Petrobrás na bacia das almas. Qualquer ação neste sentido seria algo desesperado”, disse.

A busca dos refugiados venezuelanos em busca de uma realidade mais justa foi tema na parte final do debate. Questionado sobre qual seria sua conduta em relação à chegada dos estrangeiros em terras brasileiras, Alvaro Dias disse que “o lado humano não pode ser deixado de lado”, no entanto, o candidato deixou claro que diferentemente dos governos passados, “me recusaria a estabelecer qualquer transação econômica com ditaduras cruéis e violentas.”

Além dos assuntos citados na reportagem, o candidato à presidência ainda tocou em assuntos polêmicos como aborto, a legalização das drogas, a reforma do Estatuto do Desarmamento, entre outros, que você pode conferir no compilado abaixo.

O vídeo completo da sabatina pode ser visto neste link.


O LabJor FAAP quis saber o que as pessoas que assistiram presencialmente a sabatina de Álvaro Dias acharam do candidato e das suas propostas: #FalaPovo


Diego Bonetti é publicitário, estudante de Jornalismo na FAAP e Editor Executivo do LabJor FAAP.
Larissa Rufato é estudante de Jornalismo na FAAP e Editora Executiva do LabJorFAAP.
Gianna Staniscia é estudante de Jornalismo na FAAP e repórter do LabJor FAAP.