Crônicas da vida do pós graduando #2 — Tem vida social na pós graduação?

“Vai entrar na pós? Ihhh, te prepara… é agora que tu não vai ter tempo pra mais nada.”

Conciliar a vida de pós-graduando com a vida pessoal é um bicho de sete-milhões-de cabeças. De um lado, está a rotina de estudos intensa capaz de esgotar os ânimos até dos mais habituados. Do outro, a pressão das pessoas de fora da pós e a vontade de ir em todos os encontros que seus amigos marcam (desde a festa até o picnic), de ver seus pais que estão prestes a ter uma síncope de saudade de você, de fazer alguma atividade física (disseram que você tem que ser fitness, né?), dedicar-se a um voluntariado, a projetos pessoais….

Espera aí. Nós somos apenas uma pessoa. Tentar fazer tudo isso junto é loucura… mas ninguém disse que é impossível! Sim, possivelmente você já conseguiu dar conta de tudo por um tempo, mas imagino que o total de 12 horas que você conseguiu dormir na semana em que fez isso não te deu vontade de continuar assim para sempre. Ah, é verdade, né? Além de todas essas tarefas, você precisa dormir, comer, cuidar da sua saúde mental …Tinha esquecido disso. De qualquer forma, tentar dar conta de tudo não é nada animador.

Provavelmente todo pós graduando já ouviu falar sobre balanço de vida pessoal e vida profissional. Todos querem te ajudar achando que têm alguma dica infalível ou receita de sucesso para você conseguir lidar com tudo. E se eu te disser que não existe isso de balanço entre vida pessoal e profissional?

A própria Forbes já disse para abandonarmos essa ideia de balanço entre as duas coisas. Não se trata de ter tempo para tudo, mas de fazer tempo para o que é importante, quando isso for importante.

Você trabalha até tarde, intensamente, dia após dia. Passa horas ao lado dos colegas de pós. Cansa. Mas cria um laço, tem pra quem correr e gritar “meu trabalho deu certo!” e logo após também tem que oferecer o ombro para o colega que não tiver a mesma sorte. Tem quem gentilmente traga comida nos dias em que você nem viu o tempo passar, em que está escuro e tudo já fechou ao redor. Você recusa um convite de amigos para sair, porque precisa estudar, mas marca um happy hour no raro dia em que os trabalhos de todos colegas dão certo.

Algo curioso começa a acontecer. De repente, você tem alguém com quem dividir essa jornada, na alegria e na tristeza, então perde o limite certo entre a vida pessoal e a vida da pós graduação, pois os que estão ali agora integram a sua vida pessoal também: você ganhou companheiros de vida e de trabalho, até nos finais de semana (um bônus!).

O que é, agora, “não ter tempo para mais nada”? O tempo é relativo para todos, a diferença entre pessoal e profissional está cada vez menos clara. A notícia é que depois, quando você ingressar no mercado de trabalho, o dilema sobre tempo será o mesmo. Quem conseguir ter controle sobre o seu tempo para empregá-lo da forma que mais lhe convém será capaz de virar o jogo. Boa sorte!


Equipe do LdC