Ladies That UX PT
Published in

Ladies That UX PT

Meu primeiro case de UX: Como conectar jovens de comunidades periféricas com o primeiro emprego?

Durante o bootcamp de User Experience Design que realizei na Tera, esse foi o desafio lançado ao meu grupo, onde pude contar com os colegas Jéssica Benzi, André Takeshi Maemura, André Dertkigil Padilla, e Caléb Vitor para desenvolver este case comigo.

Primeiro, precisávamos saber de que forma e onde coletar as informações necessárias.

Imersão

Começamos buscando entender de uma forma mais empática os obstáculos e problemas que esses jovens enfrentam na busca pelo primeiro emprego. Iniciamos com as pesquisas para identificar os dados básicos sobre o tema desenvolvido.

Construção da Matriz CSD

Utilizando a ferramenta de Matriz CSD (certezas, suposições e dúvidas) levantamos e alinhamos questões e informações sobre as dores desses jovens e também para entender melhor as empresas que têm um papel importante nesse processo, fizemos um quadro a parte usando o mesmo método. Resolvemos usar esse tipo de ferramenta pela direção que ela nos dá, a princípio. Foi uma decisão em comum e acertamos, pois conseguimos dar seguimento com as pesquisas de acordo com o que filtramos da matriz.

Matriz CSD sobre os jovens
Matriz CSD sobre as Empresas

Iniciando as Pesquisas

Dado o direcionamento que a matriz CSD nos deu e também pelo mapeamento por hashtags, partimos para as pesquisas Desk Research e conseguimos coletar muito mais informações. Utilizamos gráficos comparativos de dados demográficos extraídos de fontes confiáveis e agregamos à pesquisa informações sobre diversidade e inclusão nas empresas.

Resultados de pesquisas Desk Research.

Feito isso, partimos para os formulários de pesquisas quantitativas e qualitativas. Aqui me bateu uma ansiedade e também uma curiosidade sobre como faríamos as pesquisas, remotas ou presenciais? Se presenciais, deveríamos combinar com ONG’s ou líderes de comunidades, talvez seria uma forma mais fácil de encontrar pessoas alinhadas com o perfil que buscávamos. Por fim, conseguimos fazer as pesquisas quantitativas compartilhando o link dos formulários, que não tiveram tantas respostas como gostaríamos mas que foi o suficiente para coletar os dados necessários. Já as pesquisas qualitativas, nós conseguimos realizar por chamada de vídeo, mesmo porque não foram muitos jovens que se propuseram a falar pessoalmente. A época de pandemia pela Covid atrapalhou um pouco também.

O resultado das pesquisas quantitativas nos mostrou que a maioria dos jovens que não tinham experiência profissional era de mulheres, sendo a maior parte delas negras.

Nas pesquisas qualitativas, conversamos com 3 jovens(sendo 2 mulheres e 1 homem) que nos contaram como fazem para buscar oportunidades de emprego, se recebem feedbacks e como se sentem ao receberem as respostas (negativas) quando as recebem, pois na maioria das vezes não recebem sequer a negativa.

Definição

Optamos por focar nos jovens de idade entre 18 e 25 anos já que nessa faixa etária eles sentem-se mais pressionados para trabalhar e para os homens já não é necessário mais passar pelo processo de alistamento militar.

Nesta etapa, com as informações coletadas até aqui, pudemos definir o perfil do nosso usuário.

Com base nas pesquisas, chegamos na nossa persona, a Maria Valentina.

Para prosseguir, precisávamos entender a jornada do nosso usuário.

Etapas da jornada do nosso usuário.

Na jornada do usuário, construímos as etapas de experiências vividas na busca do primeiro emprego, acompanhando seus sentimentos, ações, inseguranças, frustrações e motivações em cada uma delas. Dessa forma, pudemos definir insights que levamos para a ideação do projeto.

Ideação

Através de algumas sessões de brainstorming, unimos as nossas percepções e insights para tentarmos solucionar de forma assertiva e objetiva os problemas identificados ao longo do desenvolvimento do case.

O fato dos jovens em questão não terem experiência profissional alguma, indicaria uma desvantagem muito grande se eles fossem concorrer à vagas junto de outros já experientes. Dessa forma, teríamos que criar algo que pudesse não só conectá-los com a primeira oportunidade de emprego, mas que também pudesse colocá-los de forma justa na concorrência de uma vaga, ou seja, concorrendo somente com jovens que não tenham experiência profissional.

Possíveis funcionalidades para o produto.

Prototipação

Aqui montamos o nosso MVP(Produto Mínimo Viável) definindo os primeiros fluxos:

1° Fazer o cadastro na plataforma ou o login com e-mail e senha;

2° Iniciar a busca pelas vagas.

Protótipo de média fidelidade

Aqui chegamos no nosso protótipo de alta fidelidade.

Trampolin é um aplicativo que busca ajudar os jovens mais carentes de comunidades e periferias, a de fato, se conectarem com vagas que podem lhes dar a oportunidade de ter o seu primeiro emprego com carteira assinada, já que nenhuma das vagas disponíveis exige experiência alguma.

Protótipo de alta fidelidade desenvolvido por Jéssica Benzi.

Buscamos chegar o mais perto possível da identificação desses jovens na construção do aplicativo. Por isso, as cores e o design da interface foram escolhidas de acordo com as percepções que tivemos dos nossos usuários e seus perfis: jovens alegres, curiosos e descolados. Todos eles com um objetivo em comum: o tão desejado primeiro emprego.

Aprendizado

Participar de todo o processo da construção de um produto desde a descoberta do problema até a sua solução, foi um desafio intrigante e sem dúvida um enorme aprendizado, ainda mais com um tema de uma realidade tão comum nos dias de hoje. É evidente que cada etapa do processo é extremamente importante para as tomadas de decisões que direcionam à solução do problema em si. É necessário ter muita atenção aos detalhes e aos sinais dos usuários, pois através deles é que vamos construindo a solução, o produto e seus fluxos. Quanto mais buscamos entendê-los, mais evoluímos com o nosso projeto. Eu participei de cada etapa do case, com exceção da interface do aplicativo(me refiro a construção prática) e construindo o storytelling desse case eu pude evidenciar para mim mesma os aprendizados que tive durante todo o processo e fico feliz com isso! É gratificante ver o empenho que depositamos em um trabalho se resultar em algo que pode ajudar a resolver o problema de alguém.

Agradeço a todos que dedicaram alguns minutos para a leitura desse trabalho! Até a próxima! 🙂

--

--

--

Conteúdo em português da Comunidade Ladies That UX

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Rachel Guzman Valencio

Rachel Guzman Valencio

UX Designer | Apaixonada pela vida. Aprecio a troca de conhecimentos e experiências. https://www.linkedin.com/in/rachel-guzman-valencio-12113b66/

More from Medium

“Nothing New” for Taylor Swift to address gender through music

Minimally Educated Parents Face Difficulties Raising a Child with a Disability

New Architecture Competition Announced — ‘Lagoon’ to design A landscape for conservation of river…

Sharing and Collectivist Cultures