Filosófica Essência

Foi questionando que chegamos a ser o que somos. ‘Ser’ é, especialmente, questionar, pois, sem isso, não haveria como aprender. Aprender é estar vivo na possibilidade e possibilidade é ser. Somos enquanto somos possíveis, quando não formos mais possíveis, deixaremos de ser, deixaremos de questionar; morreremos enfim num desfecho significativo. Este é o ciclo da vida.

Foto: Tookapic

Enquanto minha essência, a filosofia é este questionar primevo que nos leva a aprendizagem que nos faz ser. Não sei porquê, mas, esta filosofia esteve sempre desperta em mim, sentia-me como uma coruja que caça nas noites mais escuras e sombrias. A noite enquanto ignorância — de tudo o que há em mim e no mundo qual me sou indissociável.

E este despertar me levou sempre ao pensar; o pensar, dentro de um tempo, tornou-se mais denso, embora mais elástico; no início era vago e hoje (bem como nos próximos anos que hão de vir) são pontos de interrogação amarrados por uma linha de raciocínio lógico e abstrato que delineiam a complexidade de ser. De ser-me quem sou.

A Filosófica Essência não se trata de intelectualidade, não se trata de ler os clássicos sofistas tampouco os atuais docentes-filósofos-contemporâneos. Trata-se de voltar-se ao questionar primevo e, com ele, aprender (autoaprimorar-se, autoconhecer-se, compreender o mundo, compreender os fenômenos, o que se manifesta e que não). Ao pensar que evolui com o tempo a partir do questionar, a Filosófica Essência se trata, também, disso. O saber da filosofia — dos filósofos antigos e atuais — bem como qualquer outro saber, são instrumentos para alcançar o autoconhecimento, o autoaprimoramento e a compreensão.

Por isso, aqui, não falarei de filósofos, cientistas, teólogos ou artistas; falarei do pensar, do meu pensar; isso diz respeito a meu ser de essências; ser que não se adéqua ao comum, pois, não consegue. O constante despertar impossibilita a cegueira voluntária, estou sempre caçando conhecimento, pensamento, compreensão, respostas, perguntas, aprendizagens.

Aqui, portanto, estarão registrados em letras este despertar, esta busca e esta sede infindável de ser.


Este texto é a introdução do livro Laesffer, Parte 2; Laesffer é um livro de essências, as minhas essências. Tudo o que nasce, nasceu ou nascerá em mim, é/está/será guardado em suas páginas pólen.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.