Sensitiva Essência

As essências que fazem-me quem sou, dividem-se em: essências-fixas, essências-guardiãs, essências-base e essências-efêmeras. Em Laesffer, todas se manifestam. A Sensitiva Essência é essência-fixa e essência-base. Deste modo, tudo o que há em mim ou esteve, ou que um dia há de estar em mim, está de algum modo relacionado, entrelaçado e envolvido com a Sensitiva Essência.

Esta essência-fixa-base, portanto, tem em si outras inúmeras essências-efêmeras que estão compiladas em Anfêmera Essência e Obscura Essência. Anfêmera e Obscura são essências-guardiãs. Elas guardam as essências-efêmeras.

Sensitiva Essência se divide em: Anfêmera Essência (tudo aquilo que diz respeito à minha sensibilidade, exceto a sensibilidade do erotismo e a sensibilidade obscura) e Obscura essência (tudo aquilo que se refere à minha sensibilidade obscura: o horror e caos que, vez ou outra, capto sensitivamente da existência).

Sensitiva Essência existe desde sempre, compõe a tríplice da minha personalidade; advém da infância onde tudo que se toca é magicamente convertido a ouro; onde há encanto na simplicidade; onde não há tempo, nem espaço. Eu não esqueci minha infância, a carrego através da Sensitiva Essência e, por isso, ainda sou sensível, ainda converto o que toco em ouro puro, ainda me fascino com a simplicidade, ainda não sei o que é o tempo, ou espaço, sei apenas que estou aqui e que vivo intensamente o agora.

Foi por haver sensibilidade que eu pude desenvolver a Filosófica Essência, isso se dá porque primeiro sou tocada, depois é que trago à consciência racional aquilo que me tocou. Sou sim o questionamento e o pensar, todavia, antes, sou sensível ao mundo. E isso acontece com os humanos todos: primeiro a emoção, depois a razão. Isso não significa que a emoção é separada da razão, significa que se precisam mutuamente.

Em Sensitiva Essência, assim sendo, haverá esta constante sensibilidade que tenho referente a mim, ao mundo e a tudo o que (in)existe.


Este texto é a introdução do livro Laesffer, Parte 3; Laesffer é um livro de essências, as minhas essências. Tudo o que nasce, nasceu ou nascerá em mim, é/está/será guardado em suas páginas pólen.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.