Alguns textos importantes sobre jornalismo de dados

Foram publicados em sites brasileiros e internacionais; comento alguns

Esta pesquisa saiu há poucos dias. Os autores analisaram trabalhos que concorreram ao Data Journalism Awards e chegaram à conclusão de que os trabalhos que concorrem ainda são muito mais parecidos com algo tradicional do que se esperaria. É justamente por compartilhar dessa opinião há muito tempo que evito qualquer retórica como “é o futuro” ou “é revolucionário”. Mas é uma prática imensamente importante, que permite criar novos formatos e produtos e questionar as fontes de maneira muito mais eficiente.

Meu mestre Brant Houston, que dirigiu o Nicar e a Investigative Reporters and Editors, conta a história dos 50 anos do jornalismo de dados:

Quantos tipos de histórias se pode contar com dados? Ao menos 7.

Pesquisa do Google News Lab, que promove o uso de ferramentas digitais pelos jornalistas.

O Electionland foi o ganhador do Data Journalism Awards neste ano, na mesma categoria em que o Ranking de Eficiência dos Municípios concorreu. Perdemos para o melhor do mundo.

Uma coleção de ferramentas para o jornalismo de dados. Inclui desde ferramentas de análise e faxina de dados a ferramentas de visualização. É um recurso que pode ser imensamente útil.

Gosto desta ideia de “pensamento computacional”. É a diferença entre a criação de novos formatos e a prática de fazer novas ideias caberem em formatos comuns.

Aqui, jornalistas internacionais contam o que mudou hoje em relação a 2012.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.