Como criar a sua própria ferramenta de aprendizagem

Publicado por Yoris Linhares em: https://www.happymelly.com/how-to-create-learning-tool/

As pessoas aqui são pagas para trabalhar, não para aprender”. Talvez você não ouça isso em seu trabalho (sorte sua) mas isso é algo fácil de se escutar dentro de algumas organizações onde existe o pensamento de dividir as pessoas pensantes (gerentes) das pessoas realizadoras do trabalho (trabalhadores).

Entretanto, na dinâmica do mercado do século XXI, não há como separar a aprendizagem do trabalho. A aprendizagem contínua e sua respectiva implementação para gerar os resultados de negócio desejados está na essência das organizações bem-sucedidas. E mais, os profissionais criativos estão executando várias tarefas nas organizações atuais, assim, para eles, a aprendizagem é o processo principal do seu trabalho. Embora os profissionais criativos estejam experimentando muitas mudanças em seu trabalho, a forma que os profissionais criativos aprendem ainda não evoluiu muito.

No Agile Brazil 2016 eu facilitei um sessão “mão na massa” com o objetivo de mostrar que uma mudança na forma que as pessoas aprendem enquanto executam o seu trabalho não é uma questão que toma muito tempo, precisa de uma especialista, requer habilidades especiais, conta somente com experiências positivas e evita novas ideias.

Nós começamos com eles se organizando em grupos de até cinco pessoas. Após, eu pedi a eles que se lembrassem de problemas ou dificuldades que cada um, junto com seus colegas de equipe e empresa, tivessem ou ainda tinham que superar. Poderiam incluir qualquer situação como executar uma tarefa, resolver um problema de negócio ou tomar uma decisão. O objetivo de cada grupo era aprender o suficiente para criar uma ferramenta que os ajudasse com esse “problema de aprendizagem” enquanto executavam o seu trabalho.

Para fazerem isso, eles usaram o Fluxo Learning 3.0:

  • Problematização: a construção do conhecimento é feita com base em um problema ou desafio do mundo real.
  • Criação de sentido: o que faz sentido para os resultados que vão ao encontro com o mundo real. As práticas mais comuns são a pesquisa, a conexão e a execução prática.
  • Compartilhamento: o ciclo de aprendizagem é completo apenas após o compartilhamento do conhecimento do que foi construído.

Eles trouxeram problemas mais específicos sobre os quais eles perceberam que precisavam aprender enquanto realizavam seus trabalhos. Eram situações complexas nas quais havia a necessidade de seus próprios julgamentos e o de outras pessoas. Então, eles compartilharam experiências — negativas e positivas — de uma ferramenta — técnica, jogo, canvas, método — que cada um já usou para resolver um ou mais problemas iguais ou similares aos listados.

Eles também começaram a coletar ideias do grupo para criar sua própria ferramenta de aprendizagem. Algumas ideias eram relacionadas com as experiências já compartilhadas ou novas. Mais tarde, cada grupo transformou suas ideias em uma nova ferramenta de aprendizagem que implementava o fluxo Learning 3.0, a única restrição introduzida na atividade. Cada grupo criou a sua própria ferramenta de aprendizagem usando materiais como papel, post-it e caneta. Ao final da sessão, eles compartilharam entre os grupos o que haviam feito. Eles puderam ver como as ferramentas funcionavam e coletar comentários para melhorar suas próprias ferramentas.

Eles fizeram tudo isso por eles mesmo, em apenas 100 minutos! Não havia um especialista em ferramentas de aprendizagem na sessão e para muitos, senão para todos, era a primeira vez que eles criavam uma ferramenta de aprendizagem — até mesmo uma ferramenta para usar no trabalho — ao compartilharem experiências e novas ideais.

Agora, eles tinham o básico para usar o fluxo Learning 3.0 para aprenderem a qualquer momento, em qualquer lugar e sobre qualquer assunto que enfrentassem no trabalho. E ainda mais, ele tinha em suas mão uma ferramenta útil para ajudá-los a aprender enquanto realizavam o seu trabalho.

O ponto principal não era aprender sobre um sistema de aprendizagem — Learning 3.0 — mas perceber que quando os profissionais criativos colocam inteligentemente a aprendizagem como peça central de seu trabalho, eles podem usufruir dos benefícios disso sem perda de eficiência e fazendo seu trabalho mais eficaz. Assim, para criar uma cultura de aprendizagem contínua para os indivíduos, equipes e até organizações, você precisa incorporar a aprendizagem em seu processo de trabalho e ajudar as pessoas a aprenderem ao fazerem.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Learning 3.0’s story.