#Dia7 | A voz da relevância

É muito mais simples do que parece.

É ter a certeza que você não está nesse mundo por acaso e de que, simplesmente por inconformismo pessoal mesmo, você não se permitirá passar nessa terra sem deixar um legado.

Começa bem próximo disso, até você entender que na verdade esse inconformismo é verdade um estopim de uma cultura mais colaborativa.

Não é sobre o que você tem, é sobre o que você é capaz de gerar, influenciar e formar nas outras pessoas.

Essas máximas são válidas para resultados positivos ou prejudiciais, cabe a nós determinar a aplicabilidade de cada uma, mas voltando a relevância...

Você entende “relevância” na essência ou é só mais uma palavra estranha para você? Relevância vem de relevo. Relevo é tudo que salta da superfície, porque se não saltasse, seria plano e plano aqui é linha, mas nós não estamos falando sobre andar na linha, estamos falando das curvas, daquilo que salta de tudo isso.

Para ser relevante, primeiro precisamos entender onde está a linha e como eu posso fazer a diferença nela.

Pode ser que você comece com um ponto, ou com uma ascensão tímida, mas acredite, os primeiros passos são os mais importantes.

Eu até posso fazer parte de um grupo que resolveu sair da linha do convencional para alcançar uma posição de relevo, mas na verdade o que nos move é a certeza que não adianta ganhar o mundo para si. Ser rico sozinho deve ser muito chato, muito isolado, sou da geração que acredita que a riqueza está na diversidade, está no compartilhar.

Se pararmos para pensar que talvez as melhores coisas da vida não sejam compradas (porque coisas compradas geralmente não deixam um legado amplo, desde que você entenda que sucesso e legado são coisas bem diferentes, rs!), talvez tudo isso que eu escrevi aqui faça mais sentido.

Construa um legado que ultrapasse sua família, seus amigos e seus interesses. Assim você será relevante de uma maneira amplificada.

Digo mais, amplifique o potencial das pessoas ao seu redor e seu “índice de relevância” será muito mais expressivo.

Você pode perguntar, mas qual o maior objetivo em ser relevante? Por que eu deveria ser relevante e fazer tudo isso que você disse? Eu disse lá no começo.

Você não está nesse mundo por acaso, então não permita gerar um resultado como se estivesse.

Não seja um número em uma organização. Seja o que você nasceu para ser.

A vida é muito curta para não sermos relevantes.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.