Filho

Morte ao interesse que ao final deste,
Se no acaso ficar a memória ou o descaso,
Estarei fincado a um coração de carne e pulsante
Do trilho puríssimo no qual tendo passado, presente fiquei
Com amor e assinatura entrego esta carta-poema-declaração
Para na ação de concluir, continue e flua como o teu eterno rio
A nascente que desde o início é sempre, sem parar ou desistir de brilho
Receba meu coração cansado, só sincero depois que apareceste
Nos por enquantos em que estivermos e até que termine o clarão dos dias
Eu te amo, para sempre
Filho.