Autoridades de Bangladesh prendem 27 homens suspeitos de serem gays

Incursão num centro comunitário próximo a Dhaka tinha como alvo estudantes num país de maioria muçulmana, onde homossexualidade ainda é crime.

Igo Araujo Santos
Jun 26, 2017 · 2 min read
Pessoal de segurança do batalhão de ação rápida de elite (RAB), que fez as prisões Mohammad Ponir Hossain / Reuters

Texto original: Independent
Traduzido por: Igo Araujo


Autoridades em Bangladesh prenderam 27 homens suspeitos de serem gays, um crime num país de maioria muçulmana, e planejam acusá-los por posse de drogas, disse um oficial.

Um comandante do Batalhão de Ações Rápidas, uma unidade de elite da polícia, que fez as prisões, disse que os suspeitos, a maioria estudantes entre 20 e 30 anos, vieram de outra parte do país e foram pegos numa operação num centro comunitário em Keraniganj, fora da capital da nação, pela manhã de sexta-feira.

Zahangir Hossain Matobbar alegou terem recuperado drogas ilegais e preservativos entre os pertences e planeja acusá-los por posse de drogas, mas não por homossexualiade, pois foram detidos antes de praticarem sexo.

A agência também prendeu o dono do centro comunitário onde os suspeitos costumavam se encontrar a cada dois meses e passavam a noite festejando.

Ano passado, militantes suspeitos mataram um líder ativista da causa LGBT e seu amigo, em Dhaka.

Xulhaz Mannan, 35, foi esfaqueado até a morte em abril de 2016, na própria casa. Foi fundador da única revista LGBT, Roopbaan, e foi o principal organizador de protestos pelos direitos dos gays, que são ostracizados em Bangladesh.

Desde então, muitos gays e lésbicas deixaram o país, após receberem ameaças de morte. Muitos ainda vivem vidas duplas para evitar represálias.

Homossexualidade é crime em Bangladesh desde a dominação colonial Britânica e a lei nunca foi alterada. No entanto, ela raramente é aplicada.

Textos originais e traduzidos sobre liberdade de expressão, uma iniciativa da página “Eu defendo a liberdade de expressão, MAS” no Facebook.

Igo Araujo Santos

Written by

Falso designer, escritor-wanna-be. Você não deve me levar a sério, mas deveria pelo menos me ouvir

Liberdade de Expressão em Debate

Textos originais e traduzidos sobre liberdade de expressão, uma iniciativa da página “Eu defendo a liberdade de expressão, MAS” no Facebook.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade