Acabou…

Foi-se a chance de viver,
Com o amor que um dia tive
Pois um romântico não vive
Sem ninguém por quem morrer.

Deixou-me a deriva,
Nos mares da solidão,
Afogou o meu coração
Quem eu tanto chamei diva.

Ela vivia enamorada,
E dava-me muito amor,
Até que um dia me deixou
Sem ao menos dizer nada.

Só mesmo o sofrimento,
Faz o poeta escrever,
E sua vontade de morrer
Para a poesia é o alimento.

Like what you read? Give Joel Fabiani a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.