Vem comigo

Se sentires-se sozinha
A doer-te o coração
Quando ninguém toca-te a mão
Vem e aperta-a contra a minha

Vem comigo e caminha
E esqueça a solidão
Que magoa-te sem perdão
Vem neste vale de florinhas.

Vem comigo minha amada
Cantarei-te uma poesia
E amores em jangada

Vem comigo todo dia
Nos meus braços embalada
Vem comigo alegria…

Like what you read? Give Joel Fabiani a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.