Crooked Kingdom — Vingança e Redenção

“Melhor verdades terríveis do que mentiras gentis.”

Crooked Kingdom é o segundo livro da duologia de Leigh Bardugo, Six Of Crows. Essa história tá no universo da Trilogia Grisha. Aliás, veja o que achei do #1.

Continuo com a mesma opinião: Bardugo evoluiu bastante na criação de seus personagens. Uma delas, inclusive, gostei tanto que chorei com ela no final. Ou seja: sim, adorei a duologia! hahaha

Uma das coisas que mais curti é que não tinha como adivinhar nada que aconteceu. Quando você pensa que sabe que aquilo vai acontecer, acontece outra coisa.

“Pare de tratar sua dor como se fosse algo que você imaginou. Se perceber que a ferida é real, então conseguirá repará-la de verdade.”

O interessante é que não temos nenhum personagem 100% bom e nem 100% ruim. E aí, a gente vê que tá torcendo pros maiores ladrões de Ketterdam e fica pensando se isso não é ruim. Mas eles estão querendo enganar e roubar um cara corrupto. E Kaz quer se vingar de um cara que tornou-se um dos maiores líderes de gangue pisando em pessoas inocentes e crianças. Então, quem tá certo? O que é certo? #reflitão

O livro continua no ponto exato do outro: agora Kaz quer muito salvar Inej e trazer sua espectro de volta. Mas, além disso, a vingança é um sentimento que cresce cada vez mais. Espere muitos planos mirabolantes!

“Sem lutos. Sem Funerais.”

A gente conhece mais do passado de vários personagens aqui. O que torna tudo mais complexo, principalmente para essa separação de “bons” e “maus” haha. Além disso, as motivações deles ficam muito mais expostas agora, e aí a gente entende pq cada um está lá naquele grupo que conseguiu roubar o lugar mais seguro do mundo.

Mas eu não quero falar mais, pois a leitura é incrível com todas as surpresas.

“Tempos atrás, depois de uma queda séria, seu pai tinha explicado que só os tolos não sentiam medo. Nós encaramos o medo, ele disse. Cumprimentamos o visitante inesperado e escutamos o que ele tem para nos dizer. Quando o medo chega, algo está para acontecer.”
Like what you read? Give Alika — Aline Cavalcanti a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.