Lordes dos Sith

“Antigamente, quando era Jedi, meditava para encontrar a paz. Agora, meditava para aguçar a raiva.”

Lordes dos Sith é mais um livro do cânone de Star Wars. Já li vários deles, e clicando vai pra resenha: Um novo amanhecer, Tarkin, Han Solo e Chewie, Leia, Luke, Marcas da Guerra, Estrelas Perdidas, Herdeiro do Jedi.

Ambientado entre os episódios III e IV, Lordes dos Sith deveria falar praticamente apenas sobre Darth Vader e Palpatine. Mas acho que o livro ficou mais focado nos Rebeldes de Ryloth, e como eles querem acabar com o Império, Vader e Palpatine. Obviamente, isso não me fez desgostar da leitura, mas, por isso, acho que o livro poderia ter outro nome. hahaha

“Terrorista, não: combatente em prol da liberdade.”

Cham Syndulla, pai de Hera Syndulla (do meu livro preferido do cânone — Um novo amanhecer, — e também da série Rebels) é o líder da rebelião Ryloth Livre. Rebelião esta que está começando a incomodar o Império, porque cresce a cada dia. Cham tem um braço direito, uma moça chamada Isval, e são dois personagens incríveis, e ao mesmo tempo opostos e semelhantes.

Eu adorei o modo como Paul Kemp conduziu da história. Simplesmente não consegui largar o livro até acabar. Não há altos e baixos, não há capítulos chatos. Todos os capítulos tem ação, todos os capítulos tem algo importante acontecendo, todos os capítulos nos fazem ter mais vontade ainda de ir para o próximo!

Como o livro é “Lordes dos Sith” e eu já critiquei um pouco a falta de foco em Vader e Palpatine, agora preciso elogiar, e muito, as cenas dos dois: Vader está no começo de sua vida como Sith, e ainda pensa em seus antigos amigos, as brigas, Padmé… e, sim, ficamos agoniados com os sentimentos conflitantes de Vader. E também temos mais da maldade de Palpatine, de como ele manipula Vader, manipula seus sentimentos, provoca seu ódio.

“Subalternos devem sempre se sentir desconfortáveis na presença dos superiores (…) não concorda?”

Vale a pena? Vale. Principalmente as passagens de Vader e Palpatine. Amei os rebeldes e a história é maravilhosa, mas obviamente eles falharam no plano, então a gente já lê esperando o pior. hahaha. Os livros cânones estão muito bons, tô gostando de ver! :)

“Ele sabia que a armadura aterrorizava os outros, e isso lhe dava prazer. Usava o terror como ferramenta para alcançar seus objetivos. Certa vez, Yoda lhe dissera que o medo conduzia ao ódio, e o ódio ao sofrimento. Mas Yoda se enganara. O medo era a ferramenta usada pelos poderosos para acovardar os fracos. A fonte do poder verdadeiro era o ódio.”