Trono de Vidro, meu mais novo preferido!

Sou suspeita, pois fantasia é um dos meus gêneros preferidos — é, tenho vários. Mas, sem dúvidas, Trono de Vidro entrou pra minha lista “top 10”. Intenso, cheio de aventura, com pitadas de romance e algumas piadas para descontrarir, Trono de Vidro não me deixou largá-lo — e não me decepcionou no final.

Celaena Sardothien é nossa personagem principal. Uma menina de 18 anos que perdeu os pais muito cedo, e aprendeu a viver com os tapas na cara da vida. Não, ela não é uma mulher indefesa que precisa de um príncipe para salvá-la, apesar de o livro iniciar assim. Ela é uma assassina — a maior assassina de Erilea — e foi traída há um ano, ficando presa e tornando-se escrava num local péssimo, chamado Endovier.

O príncipe herdeiro, Dorian, aparece em Endovier e faz um acordo com a assassina: ela luta numa competição pelo cargo de “campeã do rei” (Oi? Mas ela não odeia o rei? — sim, odeia.) e, se ganhar, trabalha por 4 anos para o rei, após isso: LIBERDADE!

“Você manteve uma identidade secreta durante todos os anos em que esteve solta, matando. Depois do julgamento, meu pai achou que seria mais…sábio não informar Erilea da sua verdadeira identidade. Ele prefere que as coisas continuem como estão. Que diriam nossos inimigos se soubessem que estávamos todos morrendo de medo de uma menininha?”

Só aí, já temos uma boa história, não? Mas Sarah J. Maas não ficou satisfeita, não. Contando com nossa querida assassina, são 23 competidores que concorrem ao título de “campeão do rei”. Só que, após um tempo no castelo de vidro, os competidores aparecem mortos. Não, não darei mais detalhes pois já serão spoilers.

O interessante é que a história tem: magia, ação, brigas, risadas, beijos, etc. E não é cansativa, nem forçada. Mas precisamos lembrar uma coisa: Celaena tem 18 anos. Há brigas sobre seu jeito de ser, há momentos em que ela é mais carinhosa, há momentos em que ela é bruta e você se pergunta “por que ela disse isso?!” Mas é uma fantasia YA, e também é normal o personagem fazer alguma bobagem só pra gente ter um pouquinho de raiva dele, né?

“ — Você é surpreendentemente crítica.
— Por que ter uma cabeça se não a usa para criticar?
— Qual é o propósito de ter um coração se não o usa para poupar os outros das críticas duras de sua cabeça?”

O livro tem um ritmo intenso e não temos vontade de largá-lo até acabar logo. O fim do primeiro livro só nos deixa com mais vontade ainda de ler o próximo. A série terá 6 livros. SEIS! Odeio começar séries antes de todos estarem publicados, pois fico sofrendo esperando o próximo. Mas, fica a dica, essa vale a pena! ;)

“Meu nome é Celaena Sardothien — sussurrou ela. — Mas não faz diferença se meu nome é Celaena, Lillian, ou Vaca, eu ganharia de você da mesma forma, independentemente de como você me chamasse.”

PS.: Celaena é #GirlPower e acho que é por isso que essa série está sendo tão bem falada

PS.2: Pra quem não sabe YA = Young Adult. É um estilo traduzido como Jovens Adultos.(clica que a wikipedia explica pra você)