Conheça a lenda da Igreja Nossa Senhora do Rosário

História e tradição oral se mesclam em um mito com a cara do Brasil

Foto: Lucas Nishimoto | Acervo IER

Percorrendo a Estrada Real, o viajante se depara com muitas lendas e “causos” que vêm de tempos antigos, passados de geração em geração e se perdem entre a linha tênue que divide o sonho e a memória. No Caminho do Sabarabuçu não é diferente.

Na cidade de Sabará, em Minas Gerais, fica a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, um edifício inacabado cuja construção envolve muitos mistérios. Sabemos que as paredes de pedra começaram a ser erguidas em 1.757 pela irmandade de padres locais. Sabemos também que a obra durou mais de 100 anos e foi interrompida definitivamente em 1.886.

As fontes oficiais creditam a morosidade da obra e seu fim à falta de recursos da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos da Barra do Sabará. No entanto, os locais têm outra história para contar aos turistas — mais interessante e misteriosa.

Durante boa parte da construção, a mão de obra utilizada provinha de homens negros escravizados e muitos pereceram no local. Então, depois das Leis que, aos poucos, foram concedendo liberdade aos escravos, os homens brancos ricos da região tentaram continuar as obras da igreja mas não conseguiram, devido a intervenções sobrenaturais.

Segundo a lenda, as paredes que os trabalhadores livres erguiam durante o dia eram derrubadas durante a noite pelas almas dos escravos que ali morreram. Assim, a construção não avançava e teve que, por fim, ser abortada completamente. Assustador, não?
 
 Se você quiser mais histórias como essa ou simplesmente saber mais sobre as atrações do Caminho do Sabarabuçu, visite o site do Instituto Estrada Real.