Aplicando PNL, Grow e Moving Motivators em times de desenvolvimento

Quem imagina que um Agile Coach serve apenas para ajudar em práticas como Scrum, XP e Kanban pode estar enganado! Eu costumo dizer que, os Agile Coaches podem atuar em 3 dimensões que se inter-relacionam: produto, processos e pessoas. E hoje vou contar um pouquinho sobre como nós podemos trabalhar na dimensão, que na minha opinião, é a mais importante de todas: a das pessoas! :)

Dando um breve contexto sobre o que me motivou a criar esta composição: um dos nossos times recebeu a notícia de que duas das nossas operações seriam unificadas e, consequentemente, haveria uma mudança de cidade. E então, como lidar com essa mudança? Um misto de emoções surgem, não necessariamente nesta ordem: ansiedade, dúvida, curiosidade, medo e entusiasmo.

Considerando a realidade do nosso mercado, onde há a necessidade de entregas de valor constantemente, cuidar bem dos nossos clientes e cumprir as metas corporativas, lidar com incertezas e questões pessoais, invariavelmente, tem um impacto direto na nossa vida profissional. Pode-se dizer que inverso também é verdadeiro.

Portanto, atuar em questões dessa natureza, tem tudo a ver com o trabalho do Agile Coach, afinal, um dos nossos principais objetivos é fazer com que os times cheguem ao seu melhor estado de performance e que sejam #FELIZES :) enquanto fazem isso.

Mas então, como eu poderia ajudar nessa situação?

Primeiramente, pensei em aplicar a Moving Motivators de Jurgen Appelo, uma dinâmica do Management 3.0 que trabalha bastante a mudança.

Mas eu ainda sentia que estava faltando alguma coisa… Embora ela seja muito boa, foca apenas em 10 motivadores e não abarca a complexidade de sentimentos e valores humanos. Além disso, o seu enfoque é mais voltado ao ambiente de trabalho.

Eu precisava ir além do trabalho, ir em direção à algo mais profundo, como os valores pessoais. A pergunta que eu queria ajudá-los a responder é: “Como os meus valores pessoais podem me ajudar na minha vida profissional?”

Então, decidi mesclar algumas técnicas e estruturar da seguinte forma:

  1. Motivadores profissionais — Usando Moving Motivators
  2. Valores pessoais — Usando PNL (Programação Neurolinguística)
  3. Ponte ao futuro — Usando Grow Coaching

Para explorarmos um pouco mais sobre os valores pessoais, selecionei a pirâmide de níveis neurológicos da PNL, criada por Robert Dilts e Todd Epstein. Nesta hierarquia, os níveis superiores influenciam diretamente os níveis inferiores, gerando impactos diretos nos resultados das pessoas, sejam eles positivos ou negativos.

Para ajudar a clarificar este conceito, ilustrei a pirâmide abaixo:

Considere agora o seguinte exemplo hipotético: Joãozinho é um desenvolvedor na empresa ACME.

No nível 1, identidade, Joãozinho diz assim:

  • Eu sou um ótimo desenvolvedor!

No nível 2, crenças e valores, Joãozinho acredita que:

  • ele é um ótimo desenvolvedor
  • que quanto mais ele estuda e pratica, melhor desenvolvedor se torna
  • que as empresas pagam bem aos bons desenvolvedores
  • que ganhar bem é importante pra ele $

No nível 3, capacidade, Joãozinho:

  • Tem as capacidade de um bom desenvolvedor (manja dos paranauê) :p
  • Tem criatividade para criar soluções

No nível 4, comportamento, Joãozinho:

  • Entrega (ação) o que lhe foi solicitado com qualidade e no tempo desejado
  • Ajuda (ação) seus pares com frequência

No nível 5, ambiente, Joãozinho:

  • Trabalha com a Maria e Zezinho na empresa ACME

Mas o que isso tem a ver com os resultados das pessoas?

Felizmente, tudo !! :)

Aquilo no quê você acredita (identidade, crenças e valores) influencia diretamente em suas habilidades e comportamentos, e consequentemente em seus resultados.

Você conhece alguém que já mudou de emprego dezenas de vezes, mas que está sempre infeliz??

Então!! A pessoa está infeliz porque mudou apenas no seu nível de ambiente. Não adianta mudar o cenário, trocando de chefe, de empresa, etc. Se a pessoa não se tornar consciente de suas crenças e valores e mudar também em outros níveis, é provável que continue se sentindo infeliz onde quer que vá.

Caso o exemplo do Joãozinho pareça um pouco óbvio, vamos imaginar agora que ele aceite um convite da Maria para uma pool party (festa na piscina), e diga o seguinte:

— Maria, eu só não sei nadar! (capacidade)

Na festa da Maria (ambiente), ele certamente não irá pular espontaneamente na piscina (comportamento)

Agora vamos supor:

(usando "If then else" para quem programa…)

Se

ele acredita que, saber nadar não é algo importante (crenças e valores),

então,

ele não fará nada a respeito (comportamento)

Tudo bem para ele não ser um nadador (identidade)

Agora se

ele recebe um convite para morar em uma cidade praiana e ganhar muuuuito bem e,

passe a acreditar que aprender a nadar pode ser algo oportuno (crenças e valores), então,

ele irá se matricular em uma escola de natação (comportamento)

Sacou a diferença?!

Aquilo que você valoriza e que acredita, direciona os resultados da sua vida! E para melhorar os resultados, autoconhecimento é fundamental. O que te move? Quais resultados você vem obtendo na sua vida? Já se perguntou? (…)

Conceitos esclarecidos, vamos à aplicação da dinâmica e os resultados obtidos:

5 min

  • Explicar que a participação é voluntária (só participa quem quiser!)
  • Dica: explicar muito bem o propósito costuma engajar 100% do time
  • Explicar a primeira etapa — Moving Motivators

10 min

  • Pedir que, individualmente, cada um ordene os 10 motivadores, do mais importante para o menos importante.
  • Dica: eu sempre sugiro que eles fotografem os cards para poder comparar com os resultados no futuro (vai por mim, eles mudam!)

10 min

  • Pedir que eles mantenham apenas os top 3 (mais importantes)
  • Perguntar: Quais foram os 3 motivadores que você escolheu? Por quê?
  • Cada um responde, seguindo no sentido horário

10 min

  • Perguntar: Como os seus 3 principais motivadores são afetados por essa mudança? Melhora e traz mais oportunidades, prejudica ou os mantém?
  • Dê alguns segundos para reflexão
  • Cada um responde, seguindo no sentido horário

5 min

  • Explicar a pirâmide dos níveis neurológicos da PNL
  • Avisar ao time que compartilhar os eventos pessoais é opcional

10 min

  • Pedir para cada um dividir a folha de papel em 2 colunas
  • Escrever quais foram os 2 eventos mais importantes da sua vida (pode ser tanto pessoal como profissional, o importante é que sejam positivos e marcantes)
  • Pedir para identificarem os valores e sentimentos que estavam presentes em cada um destes dois momentos
  • Sugerir que a reflexão pode ser feita de olhos fechados
  • Pedir para anotarem no papel (geralmente entre 7 e 12 já são suficientes)
  • Caso eles tenham alguma dificuldade, peça para utilizar a lista de valores pessoais (link no final)
  • Obs: essa etapa deve ser conduzida cuidadosamente pelo AC

10 min

  • Pedir que escolham entre todos os sentimentos e valores que eles anotaram, quais são os 2 mais importantes
  • Dizer quais são os 2, e quem se sentir confortável, compartilhar o porquê
  • Cada um responde, seguindo no sentido horário

5 min

Reflexão (não precisa responder):

  • Compare seus motivadores profissionais (etapa 1) com os seus valores pessoais (etapa 2). Como eles se relacionam?
  • Você sente que sua vida pessoal e profissional são congruentes?
  • O quanto dos seus valores pessoais você aplica no seu trabalho?

5 min

Encerramento:

  • Após o entendimento dos motivadores profissionais e valores pessoais, sugerir que façam uma ponte ao futuro, definindo um objetivo onde eles queiram chegar através dessa mudança
  • Apresentar o modelo GROW de Coaching, onde:

G — Goal (metas) 
 R — Reality (realidade)
 O — Options (opções)
 W — What, When and Who (o quê, quando e quem)

  • Disponibilizar material de referência (link no final)
  • Esta etapa é espontânea e poderá ser feita em casa

5 min

Pesquisa de satisfação

Tempo estimado 1h15 min

Resultados e Conclusão:

O valores motivacionais mais citados (73,4%) pelo time foram:

  • Relações
  • Curiosidade
  • Honra
  • Liberdade
  • Aceitação

Considerando este resultado altamente aderente aos valores da nossa cultura organizacional, a mudança foi recebida como uma grande oportunidade de conhecer pessoas diferentes, estabelecendo novas relações num ambiente tecnológico bastante diverso, proporcionando espaço para curiosidade e aprendizado. Além disso, a liberdade, que para nós é sinônimo de autonomia, é um dos pilares mais fortes que temos por aqui.

Por fim, a aceitação pelo grupo também é extrema importância, assim como a honra, no sentido de forte alinhamento dos valores pessoais e da empresa, pois as pessoas dotadas desses valores não aceitariam trabalhar em qualquer lugar apenas por $$, status e poder.

Os valores pessoais mais citados durante a técnica da PNL foram:

alegria, confiança, diversão, felicidade, orgulho, alívio, coragem, doação, força, realização, amor, desafio, entusiasmo, gratidão, resiliência, autoconfiança, devoção, família, liberdade e satisfação

Lembrando que aqui, a principal reflexão foi: o quanto desses valores você coloca no seu dia a dia? Como por exemplo, quem citou alegria/gratidão: "O quanto de alegria e gratidão você aplica ao seu trabalho?

Se funcionou nos momentos mais felizes da sua vida, certamente você precisa repetir!

Pra encerrar, o nosso NPS (Net Promote Score) ou nível de satisfação foi de 100% !!! :)

Aqui, uma amostra do que Devs responderam na pesquisa de satisfação:

  • “Parece que passou muito rápido. Gostaria que tivesse mais tempo para esse tipo de dinâmica, pois sinto que isso nos ajuda a nos conhecermos melhor”.
  • “A dinâmica foi muito bem aplicada e com isso se tornou muito construtiva para questões de autoconhecimento”.
  • “Dinâmica excelente, demonstrou alguns anseios por parte do time num momento delicado para muitos”.
  • “A dinâmica foi interessante, pois nos faz ao menos parar um momento da nossa vida para pensar nos nossos objetivos como um todo”.
  • “Dinâmica muito boa, consegui enxergar muito bem os valores, creio que atingimos o propósito”.
  • “Gostei da dinâmica, principalmente pela oportunidade de parar e refletir sobre nossos princípios e como eles se encaixam na carreira”.
  • “Achei a dinâmica muito legal e útil para identificar e reforçar os meus valores pessoais”.
  • “Muito boa para ajudar a reconhecer o que somos e não temos consciência.”

E aí, o que você está esperando para aplicar nos seus times? ;)

Referências:

Dilts, R. (1990), Changing Belief Systems with NLP, Meta Publications. ISBN 978–0–916990–24–4.