Métricas Ágeis: Burnup e Monte Carlo como acompanhar a evolução do seu projeto?

Fazer gestão de projetos não é uma tarefa fácil, tem toda a fase de concepção, entendimento do projeto, criação das histórias etc.. E sempre vai ter alguém que fará a seguinte pergunta:

Quando o projeto X ficará pronto?

E conforme o tempo vai passando aparece outra pergunta:

Como está a situação do projeto X?

E agora como responder essas perguntas?…. Usando a intuição e seu tempo de experiência em projetos? Hummm acho que tenho uma ideia melhor, que tal usar os dados da capacidade do seu time?!

E para ter esses dados de capacidade basta você ter o throughput do time, mas o que é o throughput?

Resumindo é a quantidade de demandas que seu time entrega em um determinado ciclo de tempo, eu costumo medir semanalmente segue um exemplo abaixo:

Throughput de um time (Caso Real)

Caso queira saber mais sobre throughput clique aqui.

Legal, eu tenho esses dados mas onde o Monte Carlo e o Burnup entram nessa história toda e como eles podem me ajudar a responder essas perguntas?

Para isso, vou contar um caso real. Uma PO (product owner) me procurou, falou que o time tinha uma entrega de data fixa para fazer e que eles já tinham quebrado as histórias (20 histórias no total) e estimado com base em suas experiencias com o sistema. A estimativa era que o projeto ficaria pronto em 38 dias, porém ela queria uma segunda opinião através dos dados coletados do time para ter mais segurança na hora de passar as datas.

Então, nesse momento usei a simulação de Monte Carlo. Que nada mais é que pegar uma massa de Dados (nesse caso throughput) e simular a probabilidades do backlog (fila de tarefas para fazer, que nesse caso eram 20) zerar durante as próximas semanas.

Caso queira saber mais detalhes a galera da Ptec tem um ótimo artigo só sobre Monte Carlo e de quebra tem uma planilha de simulação para fazer Download Clique aqui.

Mas voltando, realizei a simulação e o resultado foi o seguinte:

Simulação de Monte Carlo (Caso Real)

Observe que a simulação me falou que só na 12ª semana que o projeto teria uma probabilidade de 91.86% de ser entregue, então se a PO quisesse ser conservadora e ter mais garantia da entrega, teria que passar a data de 60 dias, porque, passando a data de 38 dias a probabilidade de entregar o projeto seria de 58.62%.

Porém, não satisfeito resolvi usar uma outra técnica chamada de Burnup. Essa técnica faz a projeção de tempo para finalizar o projeto usando o backlog e a média do throughput (apesar de achar que essa técnica não é boa para dar previsão e sim para ajudar no acompanhamento do projeto). Esse gráfico possui dois eixos: o eixo horizontal é o tempo e o eixo vertical é a quantidade de trabalho.

Gráfico de Burnup (Caso Real)

E olhando para esse gráfico ele também estava dando mais que 38 dias, usando a média do throughput o gráfico mostra que a previsão é de 50 dias.

Algo que precisamos entender é que não existe, ou pelo menos eu não conheço nenhuma técnica que informe uma data exata, mas essas técnicas nos ajudam a ter uma noção baseada em dados e também a tomar algumas decisões.

Porém, no título desse artigo eu falo sobre "como acompanhar o projeto" então agora que tenho ferramentas para dar uma previsão de data final, como ir acompanhando o projeto para saber se ele está caminhando para a data prevista.

A resposta é simples utilizando o próprio Burnup, como disse anteriormente, é muito difícil ter uma data exata, porque durante o desenvolvimento do projeto existem diversas interferências e incertezas, mas usando o Burnup durante o desenvolvimento ele consegue mostrar os impactos dessas interferências e ajuda a enxergar um possível atraso em tempo hábil de se tomar medidas para sanar o problema, como por exemplo, diminuir o escopo, prorrogar a entrega ou aumentar a capacidade do time.

Abaixo segue um acompanhamento feito por Burnup.

Acompanhamento de projeto com Burnup (Caso Real)

Nesse gráfico quando a linha verde está acima da azul quer dizer que o projeto está adiantado, quando está junto a linha azul quer dizer que está no planejado. Porém, quando ele está abaixo é hora de começar a se preocupar. Como existe uma oscilação natural caso a diferença para baixo seja pequena, não é motivo de se apavorar, mas caso essa diferença fique muito discrepante é hora de um replanejamento.

Projeto em situação de risco (Simulação)

Olhando para o gráfico acima a gente vê que ele nos permitiu prever um futuro atraso e tomar algumas medidas para colocar o projeto nos eixos novamente.

Projeto voltando ao planejado (Simulação)

Esses dois últimos gráficos são simulação do que pode acontecer durante o projeto. Em relação ao case real que estou contando, após mostrar os gráficos para a PO, ela tomou uma decisão de diminuir o escopo do projeto, pois ele não poderia demorar muito tempo para ir para produção devido a uma data estratégica. Então, usando o conceito de MVP (Minimum Viable Product), ela reestruturou o seu backlog aonde caiu de 20 itens para 9 assim aumentando a probabilidade de entregar na data desejada.

Como disse, não é fácil fazer a gestão de projetos pois estamos lidando com o futuro, porém temos algumas ferramentas que nos auxiliam no dia-a-dia, e eu espero ter ajudado você que leu esse artigo até o final a conhecer um pouco sobre essas duas técnicas.

Agora vai lá coloca em prática e depois me conta como foi a experiência ok?!

Like what you read? Give Sony Maia a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.