As mudanças da maternidade — minha mãe, eu e minha filha

Minha mãe foi sempre a coisa mais certa que eu tive na vida. Ela estava (está) sempre aqui, ao alcance de um braço, um telefonema, uma mensagem, um choro, um pedido de socorro. Sempre que pensava em ter filho, queria tentar ser também isso quando fosse mãe, sem deixar de ser quem eu havia me tornado quando era apenas filha.

O que aconteceu, no fim, não estava planejado. Porque ser mãe me mudou profunda e definitivamente. A perspectiva mudou. O foco mudou. O humor, o amor, o tempo, as prioridades. Tudo mudou. Eu poderia ter continuado minha vida feliz e contente sem ser mãe? Estou segura de que, sim, encontraria esse caminho. Tanta gente encontra (e procura).

Mas eu sempre quis ser mãe. E fui. E sou. E pra sempre serei.

Feliz dia das mães, minha mãe amada. Feliz dia das mães, minha filha adorada. Obrigada às duas pela mãe que sou e que nasceu graças a vocês.

Minha mãe. Minha filha. ❤

Com a música abaixo, a turma da Lina fez a homenagem às mães na escolinha deste ano. Não conhecia a canção. Agora, ela não sai da minha cabeça.

A gente não pode ter tudo
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso eu prefiro sorrisos 
E os presentes que a vida trouxe para perto de mim
Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar
E sim sobre cada momento, sorriso a se compartilhar
Também não é sobre correr contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera, a vida já ficou pra trás

E tem mais esta versão, linda, linda ❤

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.