Conheça o Catálogo de Produtos da Sociobiodiversidade do Brasil

Por trás do consumo consciente: publicação do ICMBio aponta os principais produtos da sociobiodiversidade e sua importância social e econômica para as comunidades das áreas de preservação do país


Em 2018, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), por meio do Ministério do Meio Ambiente, lançou o ‘Catálogo de Produtos da Sociobiodiversidade do Brasil’. O material está disponível para o público e é resultado de um estudo, no qual o instituto reúne os principais produtos ofertados pelas comunidades que vivem em 66 Unidades de Conservação Federais.

O catálogo lança luz sobre os trabalhos desenvolvidos por 128 associações e cooperativas estruturadas nestas comunidades, das quais uma parcela da sociedade não tem conhecimento. Visando a valorização de tais atividades, com o catálogo é possível entender o papel da produção culturalmente e economicamente nas áreas preservadas do país, que gera renda local e emprego para mais de 25 mil trabalhadores.

O ICMBio percebe a necessidade da inserção dos produtores na cadeia comercial, a fim de fortalecer uma vida mais sustentável e saudável. A inclusão social e produtiva desta população é uma estratégia para manter a conservação da sociobiodiversidade, uma vez que as atuações são alinhavadas com o meio ambiente, e assegura tradições, território e os direitos fundamentais das comunidades.

Dentre os principais produtos e atividades realizadas destacadas no documento estão os cultivos de açaí, de cacau, do babaçu, do jaborandi, o artesanato, as atividades pesqueiras, a extração da borracha, a produção da farinha de mandioca, a produção de óleos vegetais, entre outras.

“A publicação deste catálogo busca promover a valorização do patrimônio natural e cultural do nosso país e ainda oportunizar informação e conhecimento para a sociedade, divulgando a atuação das Associações e Cooperativas e seus produtos, sua origem, visando gerar oportunidades de melhores negócios com a possibilidade de se estabelecer relações mais justas e diretas entre os ofertantes e demandantes da produção agroextrativista.”

Confira o ‘Catálogo de Produtos da Sociobiodiversidade do Brasil’ na íntegra aqui.