CRISE NO BRASIL: NÃO HÁ UM GOLPE EM CURSO, MAS VÁRIOS

E NÃO É CONTRA O GOVERNO OU O CONGRESSO, MAS DELES CONTRA A SOCIEDADE

Resta agora saber se a Suprema Corte, que não é santa, vai também virar algoz e entrar de vez nesta guerra institucional pelo poder entre organizações criminosas partidárias e midiáticas amigas, fraudes inimigas em delações.
democraciadirectadigital @gmail.com

Este artigo é praticamente uma síntese dos anteriores e embora eu pareça um disco quebrado há bem mais de um ano, a gravidade das circunstancias exige:

Não há um golpe em curso no Brasil mas vários. E não se engane com a propaganda politica da grande mídia contra ou a favor de um ou outro lado, ou do grito histérico dos fanáticos por seus lideres e interesses:

Nenhum, nenhum político do governo ou oposição representa a soberania ou a vontade popular, a legalidade ou sequer a legitimidade a sociedade, eles representam sim como nunca antes, não com tanto descaramento e irresponsabilidade, seus interesses igualmente criminosos e mal comunados. O golpe é na verdade a disputa por sobrevivência e ao mesmo tempo hegemonia de uma casta politica e econômica acima não só das suas próprias leis, mas de tudo e todos e que agora está em franca guerra institucional e de propaganda em vias de ir para o ato.

Uma guerra que, se contaminar de vez o STF significará não apenas um contragolpe das instancias superiores dos 3 poder sem legitimidade contra a crescente autonomia e independência das instancias inferiores da sua própria hierarquia, mas a declaração de guerra de um estado felizmente rachado contra uma sociedade que acordou e reclama o fim da cultura oligárquica autoritária dos privilégios e patrimonialismo sobre o bem comum e a coisa pública.

Todos os protagonistas desta guerra estatal são integrantes da velha politica autoritária e nem tem mais rabo preso para vender. Se acusam uns aos outros dos crimes que praticam, praticaram e que pretendem praticar se continuarem ou retomarem ao poder. Não importa quem vença esse jogo, uma coisa no que depender deles vai continuar certa: o povo vai poder fazer o barulho que for, ele não vai sair da arquibancada. Não importa os crimes que eles cometam, nós estamos condenados a ser os eternos espectadores da sua barbárie enquanto aceitarmos sua sociedade do espetáculo.

Vamos fingir primeiro que nada disso está acontecendo porque antes de ter os golpes dentro do golpe, dilmista e lulista entrarem numa luta pelo poder dentro do poder. Vamos fingir também que o atual governo não perdeu sua base por acusar a oposição de ser corrupta entreguista e traidora do povo. E depois ser corrupta, entreguista e traidora. Vamos fingir também que a oposição vai derrubar o governo e não vai ser o que o governo a acusava de ser corrupta , entreguista e traidora. Vamos fingir que eles simplesmente não são iguais! Vamos transformar essa ridícula luta-livre, esse jogo combinado destes bandidos em batalha de fanáticos a entoar seus cânticos de guerra como membros de torcidas organizadas desse futebol politico, onde CBF, FIFA e todos os times e ídolos do seu time de coração são santos e salvadores da pátria. Quem pede para tirar o que está ai quer colocar o velho. Quem pede para ficar quer manter tudo que há de pior. E o povo, o povo? É só uma palavra vazia na boca deles.

Vamos fingir para gringo ver que isso não é uma guerra de mafiosos. Que quem toma parte de um ou outro lado se não é um idiota está escolhendo tomar parte de uma das “famiglias”. Que depois de suas guerras, vão sentar a mesa e celebrar de novo suas negociatas de paz, esquecendo todos os inocentes ou nem tanto mortos e feridos e cobrando de novo que a sociedade pague seus serviços de proteção. Finja que você não sabe contra a irresponsabilidade e criminalidade de quem.

Isto, não seja apenas um iludido, persista seja um falso. O mundo pertence aos hipócritas e covardes. Cale-se. Seja uma viúva de 64 e Cale-se, cale-se, contra a luta da sua geração. Finja que você nunca ouviu falar de nenhum esqueleto no armário, de nenhuma fraude, e aproveite e estenda o beneficio da duvida também para o Maluf. Ajude a empurrar tudo pra debaixo do tapete da historia, escravidão, ditadura, falsa democratização. Isso tudo pelo legalismo. Esta é a história do Brasil, ajude a manter nossas conquistas sociais mais 500 anos de idiotas de azul e vermelho se xingando enquanto seus mestres pilham o Brasil enquanto renegam o minimo vital, empoderamento para fazer poder propaganda eleitoral com esmola vigiada.

E é nisto que a media é golpista, é golpista não naquilo que denuncia mas naquilo que blinda para ver quem não deixa que seus próprios podres sejam igualmente revelados. Por isso, meu amigo, quando todos os lados com suas mídias e seus intelectuais desonestos gritam “golpe” e os fanáticos por seus ídolos repetem eles estão absolutamente certos. Porque a verdade é que nenhum destes golpistas que se autoentitutam democratas, nenhum deles nestes 3 anos sequer aventou um referendo, um plebiscito ou sequer uma consulta popular. Não importa o quanto as ruas gritem contra todos eles. Eles se agarram as urnas e pesquisas de opinião que nunca perguntam a pergunta correta:

QUE NÃO É O VOTO NULO. OU VOTO BRANCO,

mas sim:

VOCÊ QUER SE GOVERNAR?

Não como um ditadorzinho de merda, mas pura e simplesmente como se deve ser como uma simples pessoa comum igual as outras?

Até o ditador da Venezuela se referendou quando tinha o apoio popular, mas nenhum dos representantes destas instituições seja o parlamento seja a presidência jamais buscou esse caminho ou qualquer forma que pudesse o mais vagamente lembrar qualquer cidadania plena ou democracia direta. Mas aqui eles levaram sua desconexão com a população até o limite da ilegitimidade absoluta: preferiram conchavar até o fim e até se escorar na podridão e terrorismo do outro do que abrir o espaço público para a população. Por que?

Porque além de golpistas, são criminosos. Preferem perder o poder para o pior dos inimigos dentro da sua própria classe autoritária do que para a plebe, preferem qualquer coisa do que restituir o direito politico do cidadão. Nisto todo autoritário é igual, prefere até ver gente morta do que pobre decidindo diretamente os destinos até mesmo da sua própria vida, quanto mais participando, “vejam só que absurdo”, da vida da polis. E o amestrado deste circo da inconsciência coletiva, baba e delira caçando alguém para atacar. Não precisa. Seu inimigo está onde sempre esteve literalmente dentro da sua cabeça. E claro sentado nas suas costas.

É por isso que dos inimigos autoritários prefiro entre aspas a direita: eles não disfarçam (publicamente) sua vontade de poder com paternalismo para no submundo trabalhar na intimidação e ameaças. Entre aspas porque eles dão no mesmo:

Todos esses vários golpes não são nenhuma grande conspiração, mas simplesmente a reação sistêmica de cada agente reacionário e autoritário contra o despertar da rede da sociedade. O golpe é de todos esses falsificadores de mundo e alienados que fingem que a voz das ruas é o clamor por seus projetos de poder e não pela liberdade delas mesmas. De todos que pedem mais do mesmo e até mesmo daqueles que pedem o “fora todos” mas não por mais democracia ,mas para trazer outros. Qualquer outro que não estes. Pedem novas eleições, sem nem sequer exigir o direito de destituir a qualquer momento seus novos mandatários. Nem isso. Pedem para serem mais uma vez enganados.

Não é preciso convocar (ainda) uma consulta popular sobre a democracia direta, mas é preciso começar a estabelecer dentro do própria suprema corte nacional todos os procedimentos necessários caso isso se torne em caráter de urgência absolutamente necessária. E caso ninguém esteja percebendo cada dia mas se faz necessária no mínimo a convocação de uma consulta popular. Isto não para começar a restabelecer a democracia, mas a pacificação. O rito de uma consulta popular sobre democracia direta, nem que seja como emenda constitucional precisa estar preparado antes que o próprio STF se contamine de vez com a guerra institucional e perca a legitimidade para fazer ao menos isto. Na verdade a guerra promovida por esses atores criminosos no palácio, congresso e meios empresariais inclusive midiáticos só tem um interesse: explodir tudo para apagar a prova dos seus crimes e recomecar o jogo do zero, tudo como esta: sujeira escondida e eles no poder.
De fato não importa quem detenha o poder institucional, agora e cada vez mais só se restituirá a legitimidade e soberania com a instituição de dispositivos de tomada de decisão cidadã sistemática. Em verdade essa é a tendencia da democracia no mundo se quiser sobreviver na nova sociedade de informação: a permanente obediência em tempo real a sociedade civil. Formada não pelos movimentos cooptados, ou mídias subsidiadas pelo próprio monopólio da concessão estatal, mas por cada indivíduos livres conectado em rede como igual autoridade e liberdades fundamentais por sistemas inteligentes de governança pública.

Posso estar errado? É claro que posso! Mas depois de anos pregando e construindo arcas de Noé no deserto bem antes de começar a chuva, agora que veio o dilúvio, tenho crédito de sobra para bancar o Nostradamus: e o futuro e renda básica e democracia direta. E pode ter certeza de uma coisa, essa é uma “profecia auto-realizável” porque ainda estamos na luta para que a utopia vire realidade.

Tenha acesso aos códigos da plataforma de Democracia Direta Digital Governe-se.

Temos tudo que precisamos para revolucionar o Brasil. Riqueza, tecnologia e o momento histórico, falta apenas visão e coragem. Precisamos só livrar destas hordas de bandidos e seus fanáticos que querem aterrorizar as pessoas criativas e de paz e usar nossos recursos públicos para nossa emancipação individual em comunhão de paz.

E se você depois de tudo que eu falei ainda me perguntar quem será a liderança que fará isso? Te dou a resposto que o gato deu para Alice no pais das maravilhas, para você meu filho, qualquer uma porque para quem não sabe para onde vai, o que é seu, ou sequer quem é, qualquer liderança serve.

Democracia Direta Digital Já!

Like what you read? Give Marcus Brancaglione a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.