E se a Renda Básica em Quatinga Velho pudesse ser uma receita de bolo?

Basic Income Startup e MicroFinanças: Parte II

Será que não estamos cagando regrinhas? Você decide.

Tome as definições teóricas com princípio fundamental

Zero. O que é uma renda básica? E como é que você poderia colocá-la em prática?

Renda básica Incondicional não se chama assim por acaso. Leve em consideração os princípios fundamentais que regem o espirito do conceito. Porque mesmo que ele seja alterado para cobrir as possibilidades e necessidades, você não irá se perder do principio que não é uma mera tese, mas de fato o objeto, libertar as pessoas.

Pode parecer besta o que estou dizendo mas não é. É isso que faz um pequeno projeto mesmo com todas suas limitações e até mesmos falhas ser ainda sim um projeto de renda básica incondicional, e os outros mesmo gigantes por mais que se force, não. E a diferença dos níveis de realização desta mesma renda básica: garantida, universal, para todos, quem? onde? etc…

Uma renda básica perfeita de fato seria para todos os seres humanos, e não existe ainda uma instituição que compreenda a humanidade sem algum tipo de discriminação, nem que seja a de territórios ou nacionalidades. Porém uma coisa é reconhecer os limites da capacidade de ação para atingir um ideal e mesmo assim busca-lo como pratica, outra é impor-se fronteiras ou obstáculos perfeitamente desnecessário e transponíveis para atingi-lo. Declarações de intenção não revelam isto, mas o método que coloca em pratica os princípios da renda básica sim, e é a consciência e escolha dos meios mais do que dos fins que se pretendem atingir que se revela o quanto o processo é libertário ou autoritário e o quanto essa chamada renda básica é de fato renda básica, ou só um rótulo dado pelas autoridades.

Considere os riscos e responsabilidades envolvidas.

  1. Quanto você tem do SEU tempo e dinheiro e que riscos você quer correr para investir na criação de um projeto?

Faça o levantamento prévio de quais recursos você têm disponíveis, e o quanto você está disposto a investir e por quanto tempo pretende resistir. Sim resistir é a palavra, isto não é só um empreendimento social, é uma luta politica e econômica. Com todo tipo de inimigo, sabotagem e adversidades de uma guerra. E dependendo da vulnerabilidade do país ou lugar onde você for trabalhar ainda corre o risco de levar bala mesmo.

Onde há pobreza politica e econômica há sempre gente ganhando, seja vendendo doenças seja vendendo remédios. São duas industrias distintas e concorrentes. Os que querem pôr fim ao problema e os que sustentam suas corporações e carreiras direta ou indiretamente com isso.

Além disso há as responsabilidades sociais envolvidas:

Longe dos problemas das pessoas, você pode simplesmente dizer que elas vão morrer mesmo se você não fizer nada, então você não é o responsável pelo que acontece com elas. Mas quando você se levanta e suas ações passam a fazer a diferença esse tipo de pensamento não funciona mais, não conforta nem conforma, então o que você sabe que acontece, deixa de saber, ou só vai lá para ficar sabendo, mesmo que você esteja impotente pode até não ser sua responsabilidade, mas afeta sua percepção e noção de direito e humanidade.

Nós no primeiro projeto compramos uma briga que nem sabíamos que estávamos nos metendo. Agora, ela é nossa. E sabemos perfeitamente o tamanho da responsabilidade social que estamos chamando para nós. Refletir e entender as necessidades econômicas e as implicações politicas e humanas envolvidas no projeto é absolutamente essencial não apenas para não permitir que ele não caia, mas para fazer com que ele saia de verdade do papel.

Busque lugares onde a renda básica e sua livre iniciativa façam a diferença.

2. Quem são os que realmente fazem a renda básica acontecer, e quem são os que mais precisam dela? E o mais importante, o quanto estes se importam com aqueles ou você?

Proponha para todos e articule com as pessoas interessadas. Dê tempo ao tempo para que o joio se separe sozinho do trigo, tanto na base da comunidade quanto entre os apoiadores da renda básica.

Deixe as pessoas conversarem e saberem o que querem, o que precisam e se querem mesmo participar como corresponsáveis contribuintes com o pagamento da renda básica, isto é importantíssimo com os parceiros, definir qual será o compromisso: divulgação recursos, campanhas de doação, dentro da comunidade ou fora dela. É preciso se certificar o quanto as pessoas estão de fato dispostas a fazer a renda básica acontecer na sua vida ou na dos outros, e não adiante tentar fazer julgamento de caráter, e preciso chamar todo mundo e pedir.

Você no final das contas saberá quem você pode como contar como pioneiros dentro da comunidade, e fora dela na rede mundial da renda básica. É preciso estar aberto a entrada de novos membros sempre dos dois lados, mas o importante é não contar com isso para dar o primeiro passo.

Quem só quer nenhuma renda básica se for num valor ideal, não quer renda básica quer dinheiro. Quem só quer que os outros paguem a renda básica, não quer renda básica quer subsidio. E quem só diz que a renda básica que vale é a governamental, mas não se move nem se quer prega a retomar o bem comum é um vendido ou um coitado. não sabe o que fala, ou pensa que ninguém sabe o que ele realmente quer. Se puder fuja desta gente. Se não puder bem tente achar uma solução e me conte sinceramente sou eu que aceito sugestões.

Plante uma flor no meio desta bosta.

3. Você está investindo dinheiro para afirmar ideologias, ou para bancar novas realidades possíveis e sustentáveis?

A menos que você seja um revolucionário que lute pela derrubada dos governos e mercados, e já tenha parado de pagar impostos faz tempo e sacado seus dinheiro dos bancos a mais tempo ainda, então você querendo ou não concordando ou não, financia o sistema. Então tire o máximo, use o que de útil naquilo que querendo ou não você mantem para use criar algo de bom. Plantar uma flor em todo esse monte de bosta. A oposição sem ação é não é só completamente inútil, mas a imbecilidade útil daqueles que são contra tudo, mas não tem coragem de fazer nada de positivo contra nada por ninguém.

Use os instrumentos financeiros e monetários que você já é obrigado não só para bancar a renda básica mas para sustentá-la dentro deste sistema que como você ela terá que sobreviver. Não importa se os valores e ideais não são mesmos. Os verdadeiros Ideais são feitos para se transpor permanente a ditadura da realidade imposto, Ideias que delimitam o principio de acoes que garantam direitos e liberdades reais não são ideais, mas dogmas a serviço da perpetuação do enfrentamento do status quo onde ele sempre vence, no discurso dos profetas de gabinete que não bancam nem lutam, só pregam e recebem só para isso.

Pensar em renda sem propriedade é se alienar do verdadeira questão do capital. Prepare-se desde o inicio para sobreviver eventualmente sozinho: Constitua um patrimônio para ajudar a bancar a renda básica

4. Além da redistribuição? Qual é o capital que reproduzirá o capital Neste sistema?

Sei que já é dificílimo sair da inação. E eu ainda por cima estou pedindo para que as pessoas pensem em como não parar. Mas vejam não estou pedindo que se não façam se não puderem manter, mas justamente o contrário que busquem fazer tudo o que manter. Inicie com o que tem, equilibre o ideal e a possibilidade e comece tanto a fazer pagamentos dentro do limite das contribuições e usas e dos demais participantes quanto se ainda não tiver comece deste o principio a constituir um fundo tanto da instituição quanto para os próprios moradores.

Quem não tem propriedade de nada depende não do trabalho e num mundo onde tudo pertence em terra firme pertence a estados e empresas ou você vai viver no meio do mar em águas internacionais e torcer para eles não te perseguirem ou chegarem logo até lá, ou começa a compor seu patrimônio.

Não adianta inventar a roda a sociedade civil organizada, as sociedades e comunidades livres se não quiser ser mendigas profissional para sempre precisa constituir seus fundos e propriedades e utilizar mecanismos de financiamento social para incentivar as pessoas que não tem sentimentos solidários tao fortes a investir no futuro do mundo, mas que não são idiotas para colocar seu dinheiro em bancos e estados falidos.

Bote o ovo de preferencia de pé, e cante porque quem não canta é pato. Especialmente se você não vem das periferias do mundo.

5.Você tem recursos poder e contatos suficientes? Pense duas vezes, E conte de novo.

Não há ninguém rico o suficiente para bancar sozinho tudo, nem conhecido o suficiente que não precise de divulgação. Se você é o oposto, dar a cara para bater, até mesmo sem saber nem falar a língua direito; é fundamental para escapar e tirar as pessoas destas armadilhas da pobreza.

Divulgue e busque o apoio explique como o sistema funciona da melhor forma que pode e tantas vezes que precisar. É o que faço agora de mais uma forma:

Como o projeto funciona: Siga o dinheiro.

O rendimento do Fundo de Renda Básica ReCivitas

É uma poupança que vai exclusivamente ao pagamento da renda básica para qualquer pessoas ou comunidade eleita: atualmente só 14 pessoas em Quatinga Velho, e dos seus custos financeiros e não do ReCivitas como instituição.

As doações de terceiros

são doações eventuais depositadas nas contas do ReCivitas e que vão exclusivamente para o pagamento da renda básica e constituição do capital de emancipação dos participantes, Fundo Garantidor, (poupança), na proporção da contribuição acordada para as contribuição dos beneficiários- aproximadamente 10 para 1 entre renda e capital.

As contribuições voluntárias dos moradores

são também doações acordada entre eles e o ReCivitas e servem a mesma finalidade dos doadores: vão exclusivamente para o pagamento da renda básica e poupança sendo a contribuição simplesmente descontada das doações.

As doações dos responsáveis do ReCivitas

são doações regulares que vão além para o pagamento da renda, também para a cobertura dos custos administrativos, operacionais e burocráticos.

O Fundo de Investimento do ReCivitas

não passa de uma proposta devidamente pronta e constituída para funcionar mas que NÃO capta nem recebe investidores porque não sequer o capital inicial para se receber a autorização da CVM (Comissão de Valores Mobiliários do Brasil para começar a receber recursos. Não é o único caminho legal para que as pessoas possam investir diretamente na startup de renda básica, mas isto para o estagio embrionário que precisamos lutar para sair, é uma história que não cabe aqui.

Concluindo por enquanto…

Quem quiser doar doa para a constituição do capital e renda necessários ao que pagamento garantido da renda básica de fato garantida dos beneficiários. Para doar diretamente ao fundo da renda básica ou ajudar a bancar a instituição é preciso entrar em contato direto com o ReCivitas.

Obviamente queremos e precisamos, mas separamos por razoes de transparência e ética nossas necessidades de sustento e a dos projetos ainda que evidentemente não exista projetos sem o ReCivitas.

O mesmo vale por enquanto as comunidades ou pessoas que queiram participar do sistema. Também é possível indicar novas comunidades, mas no momento o que precisamos mesmo é fechar o primeiro crowdfunding. Até para saber o de quanto exatamente podemos contar de recursos captados desta forma.

Os próximos passos estratégicos dependem do grau de sucesso desta empreitada. E serão divulgados no tempo certo.

Abraços aos amigos.

Marcus Brancaglione, Presidente do ReCivitas e coordenador da Renda Básica.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.