Entrevista com Vitor Torres — corrida, exército e família

Vitor Torres é CEO e Fundador do Contabilizei, a primeira empresa a oferecer serviços de contabilidade online no Brasil. Fundada em janeiro de 2012, atende micro e pequenas empresas e recebeu investimentos da Kaszek Ventures e da e.bricks Ventures.

Por liderar uma empresa que cresce tão rápido, certamente você já passou (e ainda passa) por momentos de alta pressão e ansiedade. Você tem um processo para conseguir lidar com isso? E como fez para evoluir essa habilidade desde o nascimento da empresa?

Eu tenho sim. Hoje em dia é muito difícil. Todo profissional sofre com stress, sofre com pressão. Na posição que eu estou aqui na Contabilizei, sofro bastante também, e eu tento lidar com isso da melhor maneira possível.

Tento primeiro trabalhar nas coisas que eu tenho controle. Geralmente a ansiedade vem, e é fruto de uma pressão, mas ela também vem muito de querermos controlar tudo, querer controlar o incontrolável.

Eu evito pensar muito sobre o incontrolável. Tento trazer as coisas para o meu dia a dia e ver o que eu posso fazer, o que a equipe pode fazer. Também para lidar a pressão, eu tento parar ou descontrair. Eu brinco bastante com a equipe, a equipe brinca entre si e, às vezes, eles brincam comigo também. A ideia é ter um ambiente de trabalho mais leve, mas sem perder o profissionalismo, sem perder a ética.

E também para lidar com a pressão, eu tento manter uma certa disciplina com exercícios físicos. Eu gosto de correr, faço isso no primeiro horário do meu dia, para ter certeza que já cumpri as obrigações com meu corpo. Depois eu posso cuidar da Contabilizei, das pessoas lá dentro e, obviamente, uma das coisas mais importantes: a família.

É bom voltar para casa, brincar, eu tenho duas filhas, uma de quinze e uma de cinco. Eu brinco com a de cinco e ponho na cama. Converso com a de quinze. E tem a esposa. Ela é meu porto seguro.

Você considera que tem um bom equilíbrio pessoal/profissional? Que hábitos e comportamentos te ajudam a manter esse equilíbrio? (sabemos que pela dinâmica da empresa nem sempre é possível)

Eu acho que o pessoal e o profissional tendem a se mesclar cada vez mais. Um equilíbrio é você estar feliz em ambos, e saber que está progredindo, está evoluindo em ambos.

Eu não tento separar minha vida pessoal da profissional.

Às vezes eu resolvo coisas pessoais dentro do trabalho, às vezes resolvo coisas do trabalho em casa. Para mim, essa é a dinâmica. Tem pessoas que trabalham melhor separando, “Eu chego em casa, eu desligo o telefone e não quero saber de nada, acabou”. Eu não sou esse tipo de pessoa, eu gosto muito mais das coisas serem flexíveis, orgânicas e, de uma certa forma eu acho que eu tenho um bom equilíbrio.

O que você faz para sempre continuar se desenvolvendo como líder?

O papel do líder é sempre se desenvolver. Não só isso, afinal, todo profissional que precisa se desenvolver, mas o líder precisa se desenvolver para poder desenvolver o outro. Preparar os outros para assumir a posição dele.

Então, para isso eu leio. Gosto muito de ler livros, gosto muito de seguir influenciadores nos blogs, nas mídias sociais, e entender o que eles estão escrevendo. Gosto muito de trocar ideias com meus mentores. Eu busco mentores para me ajudar com meus desafios, desafios da companhia. Dessa forma eu me mantenho atualizado e em desenvolvimento.

Eu me formei, sou administrador de empresas e eu não fiz nada, nenhuma pós, nenhum mestrado, nem MBA em nada. E eu acho que eu nem conseguiria pensar em fazer MBA ou alguma coisa nesse momento com o ritmo que a gente tem na Contabilizei. Seria ideal ter feito o MBA antes, para ter algumas ferramentas, algumas coisas mais básicas. Mas daqui pra frente, eu acho que são cursos de atualização.

Por exemplo, ano passado eu fui para Stanford fazer um curso de liderança. Em 2018 provavelmente irei fazer outro.

O que você acha que é mais desafiador no trabalho de coordenadores e gerentes de startups que crescem rápido? Que conselho você daria para eles acelerarem seu desenvolvimento como líder?

O desafio de um gerente e de um coordenador é buscar sempre as pessoas no mercado. Sempre buscar, recrutar e formas as pessoas internamente para que elas consigam crescer à medida que a companhia cresce.

Mas tem também esse gap. Às vezes algumas pessoas acabam não acompanhando o crescimento da companhia e se ela não se desenvolveu o suficiente a empresa precisa trazer outro cara.

Equipe do Contabilizei

Esse é o ponto que eu vejo como principal dos gestores, coordenadores. Eles precisam buscar esse desenvolvimento não só deles, mas ajudar a equipe se desenvolver porque sempre vão haver vagas novas, sempre vai haver mudanças dentro da companhia, principalmente em uma empresa que cresce muito rápido.

E o que eu diria para eles é mais ou menos o que eu faço: buscar influenciadores, buscar pessoas aqui na área deles, especialistas que tragam novas ideias, que busquem benchmarking. Isso é muito importante.

Quais os erros mais comuns que você vê líderes inexperientes cometendo? (inclusive que você mesmo pode ter cometido)

Acho que a primeira é acreditar que algo vai ser fácil de fazer. Na minha experiência, você precisa colocar um esforço dez vezes maior que você imagina que inicialmente você precisa entregar, para que aquilo se concretize.

Outro ponto que eu vejo é os líderes subestimarem o poder das pessoas dentro da empresa. As pessoas têm um poder enorme e a motivação delas influencia demais na performance da companhia.

Terceiro é não contratar as pessoas certas. É procurar apenas mão de obra, não a melhor pessoa. E isso com o tempo, se você olhar para trás, terá um débito para lidar, que são pessoas que não tem capacidade de desenvolvimento, não tem a mesma pegada que a companhia precisa.

Depois tem que demitir, contratar outra pessoa. É correr atrás do próprio rabo que o líder jovem faz. Eu também fiz no começo e a gente vai aprendendo com os erros.

Que conselho você daria para quem está em uma posição de liderança pela primeira vez?

Eu diria para buscar mentores, buscar pessoas que já estiveram, já passaram por onde ele passou, que ele consiga admirar. Buscar dois, três mentores em áreas que ele sabe que não é bom.

É preciso ter um autoconhecimento prévio para dizer, ou perguntar para pessoas mais experientes o que é que ele precisa desenvolver, ou perguntar para a equipe. E então buscar mentores específicos para ajudar nesse processo de desenvolvimento.

Porque às vezes, duas, três conversas com pessoas experientes salvam muito e economizam muito tempo e trabalho para corrigir possíveis erros.

Através de outras entrevistas e posts, é fácil perceber que você é bem disciplinado e resiliente. Você acredita ser possível desenvolver essas duas características? Como você ajuda seu time a evoluir nesses pontos?

Eu gosto muito das duas palavras, disciplina e resiliência. Se eu puder adicionar mais um termo, seria capacidade de execução. Meter a mão na massa e executar mesmo, não ficar no Power Point, não ficar na fala.

Mas falando de disciplina e resiliência, acredito que sim, que são habilidades que podem ser construídas e desenvolvidas. Acho que todos os seres humanos são capazes de se desenvolver, não importa o quê.

Se a gente vai conseguir competir de forma olímpica, é outra história, mas a gente consegue se desenvolver sem dúvida. Nós conseguimos ser exímios nadadores, conseguimos ser um exímios comunicadores.

Kit para corrida da meia maratona de Florianópolis

Eu tive alguns intensivos no quartel, me deram muita disciplina, e liderança. Mas acho que a disciplina uma vez que você ganha, precisa também ficar nutrindo ela, ficar exercitando. Não é que nem bicicleta, que você aprendeu uma vez, nunca mais esquece. Eu acho que as habilidades são desenvolvidas e têm que ser constantemente praticadas, porque senão você as perde.

O Exército, quando eu tinha dezenove anos, me ajudou a desenvolver rapidamente a disciplina. Mas, se eu não tivesse praticado ela, continuado, se isso não tivesse entrado na cabeça como uma coisa fundamental, eu a teria perdido.

E a resiliência é um traço que você vai encontrar em muitos empreendedores de sucesso, que é a capacidade de não desistir. Enfrentar muitos obstáculos durante todo o dia e acordar na manhã seguinte com nova energia.

A resiliência é fundamental e a melhor maneira de desenvolver a equipe nessas habilidades e outras, é pelo exemplo. Mostrar para equipe que é possível fazer, que você é uma pessoa disciplinada, que você quando diz uma coisa, vai lá e faz. “Se alguém precisa fazer, nós vamos fazer”.

— — 
Recomendo muito a leitura de um post incrível do Vitor: Por que eu acordo na madrugada todos os dias?

Gostou da entrevista? Gostou do post? Me segue no Linkedin e me dê seu feedback por comentários ou no email mariangela@mariangelaguerra.com.br