Linha

Quero ser linha de um desenho interminável.

Linha que não se importa pra onde vai, só vai.

Sempre seguindo em frente,

sem desconsiderar,

porém,

o trajeto deixado para trás.

Linha feito o tempo,

estreita como bem ele,

mas que corre solta sem ninguém impedir.

Corre, caminha, desliza.

Na ponta da caneta,

o constante sair da tinta,

o constante existir.

Quero ser linha,

quero ser sempre sendo.

Sendo infinito.

Like what you read? Give Matheus Soares a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.