Entrada 03: A VIDA É O REARRANJO

24 de junho de 2016

Entrada 03. Lendo Grande Sertões: Veredas

3. A vida da gente a gente vive só um pouquinho: o resto é feito dado. Pense bem: eu decido isso e aquilo mais aquele outro, na certeza de pôr na prática o exato do pensado e na hora de agir, de mexer nos átomos e nas moléculas e nas partículas, rearranjando a ordem das coisas, vem a vida na forma do amigo ou do primo ou da mamãe ou da moça de cabelos pretos e olhos de mel ou no rapaz de camiseta de banda e uma mecha caída por cima da cara ou Deus, e entra no caminho, alterando todo o planejado e mudando de vez a ideia na cabeça da gente, rearranjando o rearranjo.

Portanto: a gente fez um pouco, o muito foi o outro. E o outro, também, na verdade pouco fez, só que a gente não consegue ver por não vermos por eles, mas por nós e só por nós, no singular: eu. Pouco fez o outro e pouco faz o outro na própria vida, porque o que a gente faz acaba sendo feito pro além de nós: para todo o resto que são aqueles ao nosso redor, que são o Todo.

A vida é o planejando, mas parece que o que se vive é o remendado. Mas que coisa, a vida é o rearranjo.

Like what you read? Give Gabriel Schincariol Cavalcante a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.