Como os amigos são fundamentais para a vida

“ Ter um amigo, na vida é tão bom ter amigos”, já cantarolavam Os Trapalhões há décadas. É praticamente impossível existir um ser humano que não tenha, pelo menos, uma pessoa para chamar de amiga.

Amigo pode ter significados diferentes para as pessoas, mas a amizade, invariavelmente, é um elemento poderoso na vida. É com eles que rimos, choramos, desabafamos, compartilhamos nossos segredos, sonhos e ambições. Com o advento das mídias sociais, era esperado que o encurtamento da distância emocional entre duas pessoas a uma fina camada de tela fosse fortalecer relacionamentos, muita vezes, está fazendo o efeito contrário.

Quantas vezes seus amigos, na mesa do bar, param aquela conversa fiada gostosa e, de forma sincronizada, começar a sacar o smartphone para checar o que tá passando com outras pessoas? Não me leve a mal, também sou conectado o dia inteiro, mas fico incomodado quando contribuo para esta “pausa forçada” no papo que, anos atrás, se desenvolveria sem problemas, a não ser naqueles breves momentos de “silêncio constrangedor”, que é totalmente natural.

Nenhum like substitui a interação real com as pessoas que gosto

Tirando isso, a mesa do bar é uma espécie de terapia para qualquer ser humano. Nada mais saudável do que você, após um dia de trabalho, ir ao encontro daquelas pessoas que você deu a honra de construir uma amizade e contar aquela história enhraçada, saber como vai a vida do outro, fofocar sobre fulano e, como numa espécie de regra não-escrita da vida, entre várias cervejas e risadas, o que acontece no bar, fica no bar.

Nesta Era das Mídias Sociais, infelizmente muitas pessoas estão adotando o discurso do “bora marcá”, que é aquele momento que encontra uma pessoa querida por acaso na rua, que nunca mais teve contato, mas mesmo assim não faz questão de estabelecer um dia para matar as saudades e ter a chance de resgatar esta amizade. Será que é medo de constatar que o relacionamento não tem mais jeito?

Quando passei a aceitar o máximo de convites que meus amigos fazem para a gente se reunir, minha vida está mais leve, fluida. Nenhum like substitui a interação real com as pessoas que gosto. Acho que você deveria fazer o mesmo. Por uma vida com menos “bora marcá” e com mais “tô colado”. Sua saúde agradece.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.