Formiga.

Oldboy.
Conto para o Desafio da Semana do “Escreva sua Historia” Tema: Formigas.

Desesperado andava no meio da multidão do centro olhando para o chão, olhava para as paredes, para as fretas, procurava desesperado, não se importava se as pessoas vez por outra trombavam com ou ele ou ele as trombava, caçava desesperado. Vez por outro um ou outro perguntava-lhe o que estava procurando tão desesperadamente, ele olhava e respondia com um olhar frio: “Não é de sua conta!” e continuava seu caminho.
Em casa procurou cada fresta do chão de taco velho, cada buraco na parede e nada, depois de dias de procura em vão sentou na cama, olhou para o teto e gritou:
- Nunca mais vou achar minha formiga.

A mãe do rapaz sempre o achou meio estranho, procurou muitos psicólogos, psiquiatras, queria até, dado momento, internar o menino, mas, depois de um tempo desistiu e esperou, esperou que, seja lá o que for que ele passava.
Vivia sozinho, andava sozinho e parecia não ver ninguém ao seu redor, toda e qualquer situação que necessitasse se socializar ele fugia, vivia em seu mundo e só em seu mundo. Quando moleque fez um coleguinha na escola, talvez o único de quem não fugisse, então certo dia disse; “ando eu e minha formiga e isso me basta!”, o coleguinha não entendeu e isso foi o bastante para que ele se afastasse, o rapaz não ligou nem um pouco, se sentiu aliviado.
Se formou em casa com essas faculdades a distância e por sorte arrumou um emprego que fizesse de casa mesmo, seu pai arrumou um apartamento e finalmente foi viver sozinho, ele e sua formiga.

Numa noite dessas quentes em que a gente mal consegue dormir, acordou de um pesadelo, acordou no susto e ainda atormentado tentava lembrar do que sonhará mas não conseguia, sentiu uma dor no peito, um vazio, olhou para todos os lados e não viu sua formiga, ela sempre estava lá mas não estava, tremeu, sentiu que nunca mais a veria e realmente, isso aconteceu.
Percebeu que a partir daquele momento, depois de mais de uma semana sem a formiga, necessitaria conversar com outras pessoas não aguentava o peso da própria companhia.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Eri6ck’s story.