Não adicione seus “2 centavos”

Texto traduzido de Don't add your 2 cents by Derek Sivers

Minha amiga Simone na Coréia acabou de se tornar a chefe no trabalho, gerenciando outras pessoas pela primeira vez.

Normalmente nós conversamos sobre Debussy, Steven Pressfield e Tavira, mas hoje ela perguntou se eu tinha algum conselho diferente sobre gerenciamento.

Meu único conselho: não adicione seus 2 centavos às ideias deles.

Meus 2 centavos” é uma gíria norte americana para adicionar uma pequena opinião ou sugestão nas coisas de outra pessoa.

Um exemplo de como ela funciona no trabalho:

funcionário: “Eu tenho trabalhado neste novo design nas duas últimas semanas. O que você acha?”
chefe: “Eu gostei! Muito bom. Talvez apenas fazer o sombreado azul mais escuro aqui e mudar a palavra ‘gigante’ para ‘enorme’. Fora isso, está ótimo!”

Agora, porque o chefe disse, o criador daquele design terá que mudá-lo um pouco.

Por causa dessa pequena mudança, aquela pessoa não sente mais total propriedade do seu projeto. (E você se pergunta porque eles não estão motivados!)

Imagine esta cena no lugar da anterior:

funcionário: “Eu tenho trabalhado neste novo design nas duas últimas semanas. O que você acha?”
chefe: “Está perfeito! Ótimo trabalho!”

Esta pequena mudança fez uma grande diferença na psicologia da motivação. Agora aquela pessoa pode se sentir completamente dona do seu projeto, o que provavelmente irá levar à mais envolvimento e comprometimento em projetos futuros.

A opinião do chefe não é melhor do que a das outras pessoas. Mas uma vez que você se torna o chefe, infelizmente, sua opinião é perigosa, porque não é apenas a opinião de uma pessoa — é uma ordem! Então adicionando seus “2 centavos” realmente pode machucar a moral.

Uma empresa não deveria focar no chefe, isso restringe sua saúde. Você não deveria dar sua opinião em tudo só porque você pode.

Claro, se tiver mais do que “2 centavos” de coisas a serem mudadas, então esta regra não se aplica.

Mas se sua contribuição é pequena e provavelmente apenas uma opinião sem significado, deixe passar. Ao invés, deixe a outra pessoa se sentir completamente dona da idea.

Para mais pensamentos nessa linha, leia o grande livro “What got you here won't got you there”.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Renato Freire’s story.