O que faz mercado de desenvolvimento web gringo ser tão grande é a participação ativa da comunidade para a criação, produção e manutenção do conteúdo. A atividade dos desenvolvedores que criam contéudo é incrível. Todos eles se conversam, todos eles produzem conteúdo de qualidade e grande parte dos desenvolvedores querem consumir bom conteúdo. Eles sabem que se trata de um ciclo: você produz bom conteúdo, pessoas consomem esse conteúdo, outros produzem mais conteúdo ainda.

Eu tenho um pequeno site sobre desenvolvimento web já há 11 anos. Não é fácil produzir conteúdo bom, novo e completo. Dá trabalho. Gasta-se muito tempo. Geralmente um artigo é escrito e então ele fica no forno uns dias antes de ser publicado. Se for publicado.
Eu sei como é difícil manter a regularidade de publicação, qualidade dos posts, relevância, variedade de assuntos etc… Tanto que desencanei de tentar deixar o site atualizado sozinho. Ele ficou maior que eu e os leitores mais exigentes. Mas sabendo que é importante ter uma regularidade de bons artigos, tentei resolver esse problema com duas atitudes: 1. Contratei alguns autores. 2. Abri oportunidade para autores voluntários.

Os autores contratados

Nada muito complexo no processo: eu combino com o autor uma frequência, ofereço um valor por artigo e pronto. Ele pode escolher o assunto para escrever.
A ideia de contratar autores escolhidos é muito boa na teoria. No meu caso, você escolhe pessoas que atuam na área de desenvolvimento web, que escrevem bem e tem sempre um assunto interessante na ponta da língua. Esta é uma boa combinação. Você garante conteúdo de boa qualidade pro site, com uma frequência aceitável. Se você tiver 3 autores, teoricamente, você poderá ter 3 artigos por semana (depende da frequência combinada).

No início é tudo muito bom, mas com o tempo percebi que a frequência de publicação diminui. Não sei qual o problema, mas geralmente não há um grande engajamento do autor durante um longo período de tempo. Não sei se eu deveria ser um "motivador", estando sempre ali ao lado destes autores para que eles se sintam dispostos para escrever e cumprir o prazo contratado. Mas o fato é: a frequência dos artigos fica cada cada vez mais longa.

Os autores que temos no Tableless são sensacionais. São uns dos melhores profissionais que já tive o prazer de conhecer e interagir. Eu os chamei exatamente por que eles escrevem textos que eu quero ler por aí. Essa foi a grande motivação.

Autor bom é um autor ocupado. Como geralmente eles não fazem isso para sobreviver, quando o tempo aperta e o trabalho acumula, obviamente os textos atrasam. Há também o ponto de engajamento deles. Geralmente todos eles fazem palestras, participam de vários projetos, muitos deles tem suas próprias empresas e suas vidas são tão ocupadas quanto a minha. Esse problema é recorrente e certeiro: se eu não consigo escrever por falta de tempo, com certeza eles sofrerão do mesmo problema. E quando falta tempo, as iniciativas que trazem menos caraminguás pro bolso são descartadas.

Os autores voluntários

Os autores voluntários são autores que se movem apenas por paixão. Por vontade de crescer profissionalmente e procuram uma chance para mostrar seu nome. Para mim uma das melhores formas de fazer isso é se engajando com a comunidade. Isso pode ser feito de várias formas, incluindo compartilhar seu conhecimento. Compartilhar conhecimento é uma via de mão dupla: você acaba ensinando e aprendendo ao mesmo tempo. Não aprende apenas o assunto, mas aprende a desenvolver seu comportamento perante os outros profissionais. Sua postura muda. Suas atitudes também. Uma boa forma de fazer isso é escrevendo artigos, fazendo palestras, gravando podcasts e até comentando em blogs por aí.

Tem muita gente que vira rato de blogs, sendo um leitor ativo, que além de consumir o conteúdo do site, ele gera conteúdo por meio dos comentários, interagindo com outros usuários e principalmente com o autor.

Os autores voluntários buscam fazer isso e um pouco mais. É uma grande oportunidade escrever para um bom site da área e mostrar um pouco do que você sabe. Mas mesmo tendo paixão e vontade de escrever, estes autores também acabam minguando. Muitos tem seus posts publicados, mas suas publicação também acabam se extinguindo com o tempo. Talvez por que sua vontade de ajudar tenha diminuído um pouco. Ou como estão começando a escrever apenas agora, tanto o ato de ter novas ideias e a estruturação os artigos consomem bastante o tempo, aí algo se perde no caminho.

No Tableless há algo em torno de 80 autores cadastrados. Sua grande maioria com apenas 1 artigo. E os que restam tem menos de 10 artigos. Pouquíssimos passam de 11 artigos publicados.

Isso não acontece só no Tableless

Mas esse é um problema que acontece no Tableless. Já conversei com vários outros grandes "blogs" por aí e a mesma coisa acontece lá. Mas como são blogs com um conteúdo mais amplo, isso acontece com menos frequencia. O Tableless é um blog muito específico. Nós não falamos sobre qualquer assunto de tecnologia, nós falamos sobre desenvolvimento web. Eu sou novo nesse negócio de tentar gerenciar um site de conteúdo. É legal, estou aprendendo bastante e não nasci ontem. Mas confesso que a parte mais difícil é esse engajamento dos autores.

Ter um autor 100% engajado é difícil de encontrar. Em outros sites, a ideia de viver sendo pro-blogger já é real. Não conheço nenhum pro-blogger que produz conteúdo apenas sobre desenvolvimento web. Simplesmente não existe.

É como eu disse: eu sofro com o problema de conciliar tempo versus produção de conteúdo, por que os autores do Tableless e de outros não blogs não teriam esse problema também? Eu seria um lesado se pensasse que isso não aconteceria com eles.

Eu estou com planos para experimentar algumas coisas simples para tentar melhorar o engajamento dos autores, uma delas é tentar exaltar mais o nome de cada autor. Hoje eu já publico seus nomes no Twitter e nas redes sociais a cada post publicado e divulgado. Mas ainda falta uma atenção maior no site. Talvez, fazendo com que os leitores os conheçam melhor, a demanda direta dos leitores os faça produzir mais e melhor. Não sei, eu sou novo nessa área. ;-)

Realmente está sendo bastante interessante estudar sobre como isso funciona. Você sabe como sites gigantes funcionam, como por exemplo o Smashing Magazine, que é um site/blog bastante conhecido na área. Mas lá eles tem algum dinheiro para manter a frequência, manter pessoas ajudando e todo o ciclo que faz o site ser o que ele é. Como eu disse, sozinho, ninguém faz nada.

Quantos blogs brasileiros sobre desenvolvimento web você conhece?

Eu posso contar nos dedos os blogs atualizados e com conteúdo relevante que eu conheço. Eu queria muito escrever um termo no Google encontrar um blog brasileiro sobre JavaScript, não apenas com textos avançados, mas também textos básicos, mas muito bem explicados, para galera que se inicia. Textos com opinião também são interessantes, mostrando como esse cara pensa, com o que ele discorda, com o que ele concorda e acima de tudo, que ele parou para refletir sobre um determinado assunto.

Mas blogs assim são minoria. No Brasil a regra é consumir conteúdo e não produzir conteúdo. Como leitor egoísta é difícil querer escrever algum conteúdo, além do mais, você tem mais coisas a fazer. Se você é um cara um pouco desanimado, você desiste porque "alguém já deve ter escrito isso em algum lugar". Pois é, se alguém já escreveu, agora é sua vez de mostrar sua opinião.

https://twitter.com/shiota/status/501358846267629568

É comum você procurar e exigir conteúdo de qualidade e novo, mas não produzir este conteúdo. Não estou dizendo que isso é errado, estou dizendo que mais gente deveria estar produzindo conteúdo e não apenas consumindo passivamente.

A frase do Shiota aí em cima é muito interessante. Meu pensamento é mais ou menos este: já que a comunidade brasileira ainda está crescendo, é uma boa oportunidade para se destacar, aparecer e ganhar uma visibilidade maior, logo, vou sair por aí metendo as caras…

Já ouvi muitos dizerem que iniciaram um blog e pararam logo em seguida pois simplesmente não conseguiram ter o hábito de escrever com frequência. Quando se tem um blog, a primeira coisa que você precisa se preocupar não é com a frequência, mas em escrever. Mesmo que você faça um texto por mês, não importa. A graça do blog é a sua coleção de posts, seu acervo de textos. Se o blog é bom, ele é atemporal.

Claro que a frequência de posts importa. Mas você não precisa começar já se preocupando com isso. Você tem que diminuir o máximo de bloqueios que puder para conseguir manter seu blog na frequencia que for confortável para você. É aquele negócio: se você começa com um post por dia, você precisa manter essa frequência porque seus usuários se acostumarão com isso.

Fico na esperança

Talvez o mercado aqui fique tão curioso, interessado, ativo e pró-ativo quanto o mercado lá de fora. Eu sinto que o mercado de desenvolvimento web tem mudado bastante aqui, mas acho que ainda estamos engatinhando quando se trata de fazer um mercado que se alimenta do seu próprio conteúdo, das suas próprias iniciativas… É importante que isso aconteça para que o mercado amadureça de verdade. Acho que já estamos fazendo um bom trabalho trazendo conteúdo lá de fora e espalhando esse conteúdo mais rapidamente por aqui. Mas ainda falhamos na produção de conteúdo inédito, avançado e frequente.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.