Gordiva

Texto: Sista Katia*
Fotos: Helemozão Fotopoesia 
Make: Jaine Pita

Esse texto é pra você! 
Que se olha no espelho e nem sempre gosta do que vê 
Que a imagem refletida é de alguém que você não queria ser 
Que esconde suas dobras pra ninguém saber 
Que se inspira nas mulheres das revistas que lê 
Que não entende seu tamanho e se pergunta por quê 
Que se vê em casa pensando na dieta pra fazer 
Que deseja perder peso, secar e emagrecer 
Que na entrevista de emprego sabe que não vão te escolher 
Que quer um corpo magro e firme, como vê na TV 
Mas pra ser tudo isso não poderá mais ser você.

Isso não é sobre mim, isso é sobre tomar o controle de nossos corpos.

Em tempos de empoderamento sinto as facilidades em relação ao diálogo, aos closes, como as gordas tem se mostrado, se amado, usado as roupas que querem, ficado com quem quiser… por outro lado vejo o crescimento do preconceito e da hostilidade, sinto o incômodo de muitas pessoas, como se fosse muito abuso na era fit uma mulher dizer que é feliz, saudável e gorda.

Esses excessos, mascarados de “me preocupo com sua saúde”, servem de sinal para lembrarmos que esse corpo não pertence ao pacote de regras que devemos seguir, que mesmo com todo esse entendimento (virtual), a vida da porta pra fora continua difícil pra nós gordas. Me diga você: qual foi a última vez que entrou numa loja e foi atendida por uma gorda? Quando andou pelo shopping e viu uma gorda no quiosque de maquiagem, perfume, na loja de sapatos ? A mocinha da novela é…? E a musa do futebol, do carnaval ? Existe santa gorda? É real, nós somos nicho de mercado, mas não somos contratáveis para o mercado de trabalho.

Não na minha vez, não na nossa vez, já entendemos que certos meios não nos contemplam e se não nos representam, nos perderão! Porque somos agentes da mudança e podemos criar nossos espaços de diálogos, transformações e construções, com nossa visão de moda, com nosso tamanho GG real.

Bem diva, bem gorda. Gordiva.


*Sista Katia é uma das makers da nossa crew de Salvador, cidade onde agita nos mais variados rolês. Você pode conhecer um pouco mais dela através do canal divegana.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.