Mil em uma — Mulheres

Sou mulher e nunca desejei ser mãe.

Sou mulher e nunca quis me casar.

Sou mulher e não vejo glória em se doar inteiramente por alguém.

Sou mulher e não acredito em "felizes para sempre".

Sou mulher e faço questão de ouvir meus amigos.

Sou mulher e vibro pelas bodas de ouro dos meus avós.

Sou mulher e coloco a mão no fogo pelos meus familiares.

Sou mulher e leio "Romeu e Julieta".

Ser mulher é ser dura e sensível.

Ser mulher é engolir o choro e transbordar em lágrimas.

Ser mulher é lutar pelo que queremos e aceitar batalhas perdidas.

Ser mulher é se armar por medo e se despir por coragem.

Belas mulheres, com suas listras e curvas.

Fortes mulheres, com seus corações partidos e baques.

Doces mulheres, com seus abraços e carinhos.

Geniais mulheres, com seus conselhos e saberes.

Seja uma, seja duas e seja mil.

Seja porto seguro e seja efemeridade.

Seja espontaneidade e seja pragmática.

Seja você e seja outra.

Das faces e interfaces, mulheres são todas.

Mulheres de Caetano.

Mulheres que a vida criou.

Mulheres donas de si.

Like what you read? Give Amanda Amora a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.