Futuro e o passado: Ambiência em Tales from the Boderlands

O Game Tales from the Borderlands, da Telltale, inicia com um narrador perguntando se o jogador quer ouvir outra história sobre fortuna. Enquanto o jogo apresenta ilustrações sobre a lenda, o narrador diz: “Nas Borderlands de Pandora havia tesouros alienígenas misteriosos, cheios de tecnologias avançadas e incrível poder. Chamam de cripta e procurar uma cripta era um jeito de ganhar o titulo de caçador de cripta… Pelo menos para mim”. A partir desta fala o jogador sabe que vai interagir com uma nova narrativa sobre caça ao tesouro. O game não se refere aos tesouros da época dos piratas, homens que roubavam baús lotados de moedas de ouro e joias, e sim aos extraterrestres de Bordelands. O jogo tem como protagonistas Rhyes e Fiona que buscam, em Pandora, a chave para abrir a cripta que dá acesso ao tesouro.

Para contar esta história, o game cria um ambiente que reúne elementos pertencentes a mundos passados e futuros. No primeiro episódio do game, a narrativa mostra dois ambientes: o planeta Pandora, com uma paisagem de terra batida e casas com aparência de balcões antigos e abandonados, e a nave da companhia Hyperion, com toda sua modernidade tecnológica. O jogo começa com Rhyes chamando por Fiona e de repente, ele é atacado por uma pessoa que está usando uma máscara. A voz robótica do personagem agressor lembra a de Darth Vader, de Star Wars. O mascarado pede para Rhys que fale sobre o projeto Gorkys. A narrativa, então, é contada em flasback. Hugo Vasquez tomou o lugar de Handerson na companhia Hyperium e rebaixou Rhyes em sua posição na empresa. Juntamente com Vaugh e Yvette, Rhyes decide derrubar Vasquez, indo para Pandora para fechar a compra da cripta antes de seu inimigo na Hyperium. No final do episódio, o jogador descobre que o projeto Gorkys é uma espécie de mapa para achar a cripta.

A tecnologia

As histórias de ficção científica com narrativas sobre naves espaciais sempre projetaram objetos tecnológicos futuristas. Algumas ideias de futuro de filmes e seriados do passado se tornaram uma realidade, como a possibilidade da comunicação entre pessoas via monitores de vídeo, o que pode ter feito os roteiristas apresentarem outras soluções para mostrar o futuro. No game Tales from de Borderlands, a ambiência futurista é construída através de objetos, como por exemplo, o computador holográfico mostrado na nave Hyperium, que dá detalhes da chave da cripta. Outro exemplo que pode ser citado é um equipamento que permite que Rhyes adquira um robô para ajudá-lo a lutar contra os inimigos. Em uma cena em Pandora, Rhyes entra em contato com Yvette através de um equipamento. Apertando um botão, um menu se abre e Rhyes pode escolher o tipo de robô que precisa para sua defesa. O robô é enviado em segundos após o pedido.

Outro elemento futurista da narrativa é um dispositivo implantado em um dos olhos de Rhyes. Chamado de echo-eyes, o aparelho permite que o protagonista escaneie corpos sólidos que estão a sua frente. O jogador participa desta função, escolhendo os alvos para o scanner como o planeta Pandora e Vasquez, por exemplo.

O mito

O nome do planeta onde ocorre a trama tem origem no mito grego intitulado Caixa de Pandora. Rheys e Vaugh estão em Pandora para comprar a chave da cripta. A referência ao mito grego, além do nome do planeta, aparece também quando os personagens se referem ao mundo da curiosidade. O mito grego fala da curiosidade da mulher que abriu uma caixa de onde saíram as maldades para o mundo.

O planeta Pandora do game tem um visual abandonado. Sua paisagem é construída por casas que mais parecem velhos galpões de ferro montados em volta de uma fábrica. Apesar da imagem decadente, o lugar possui um traço futurista: um trem cujo trilho é suspenso, colocado acima do vagão e não embaixo.

Outro elemento na paisagem é a presença de animais com aparências monstruosas, que circulam normalmente entre os humanos.

O mundo construído para Pandora serve de pano de fundo para uma trama com elementos de uma cidade sem lei. No diálogo que Rhyes e Vaugh têm quando estão chegando ao planeta fica claro a ideia de que é um lugar onde a regra que prevalece é a dos bandidos.

A ambiência do game, portanto, traz para o jogador a possibilidade de experimentar uma narrativa que junta elementos futuristas e de mundos passados. O contraste possibilita que se conte uma história que envolve uma pirataria do futuro que acontece em outro planeta que não a Terra.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Marta Lúcia Estumano Frei’s story.