Tenório Cavalcanti, é “ Meu Parente” ?

Notas Históricas e Genealógicas - Edição 01/2017

por: Eduardo Padilha dos Santos

Ao pesquisar sobre a família Tenório Cavalcanti é quase que inevitável não mencionar o nome de Natalício Tenório Cavalcanti de Albuquerque, de cognome “O Homem da Capa Preta” ou simplesmente “Tenório Cavalcanti”. Ao decorrer do artigo citarei o mesmo como:

“Tenório Cavalcanti.”

À medida que conversamos com membros da família Tenório Cavalcanti, em específico dos estados de Alagoas e Pernambuco, “Tenório Cavalcanti”, é sempre apontado de maneira familiar com as seguintes expressões:

é primo legítimo de meu avô, é da minha família, é parente próximo, é meu parente só não sei o grau de parentesco, meu avô contava histórias sobre ele, e assim varia outros relatos.

Tais relatos que comecei a indagar-me ao longo de minha pesquisa, seria realmente todo Tenório Cavalcanti da mesma parentela de “Tenório Cavalcanti”.? Ou simplesmente associam o sobrenome herdado ao de “Tenório Cavalcanti”.? Bem sabemos nessas cidades menores as famílias ali existentes de uma certa forma são parentes a grande dificuldade é saber o grau de parentesco entre si. Daí surgem tantas perguntas que para responde-las é preciso um estudo mais apurado dessa imensa família que atravessa séculos de raízes genealógicas no Brasil, pois assim o fiz, investiguei com maior cautela os relatos citados pelos membros da família.

A seguir cito: relatos, fatos, evidências e comprovações da família Tenório Cavalcanti, vale ressaltar que neste artigo vou historiar a genealogia de “Tenório Cavalcanti” assim como outros personagens, não viso descrever a trajetória e nem a biografia do mesmo pelo menos não neste artigo.

Início a genealogia de um tronco específico no caso a família TENÓRIO CAVALCANTI de Pernambuco/Alagoas no artigo não relatarei o tronco mais primitivo da família TENÓRIO ou CAVALCANTI no Brasil, está abordagem mais ampla será cenas para os próximos artigos.

Prosseguindo ……
Contraponto a Dr. Orlando Cavalcanti

Dr. Orlando Cavalcanti, dispenso apresentações, coloquei-o como destaque no site omeulegado.com.br por ser um dos maiores nomes da genealogia moderna, pioneiro das famílias do sertão do nordeste nos deixando uma enorme contribuição. Dr. Orlando Cavalcanti introduz alguns nomes e sobrenomes importantes, mas que se perdem ao longo do tempo estes por diversos motivos. Em minha pesquisa resgato documentos comprobatórios de alguns personagens esquecidos ou desconhecidos da genealogia brasileira, tentando de alguma forma contribuir com a obra de Dr. Orlando Cavalcanti e trazendo à tona novas descobertas para o mundo genealógico.

A FAMÍLIA TENÓRIO CAVALCANTI

O tronco mais remoto de Pernambuco da família TENÓRIO CAVALCANTI, já relatado por grandes genealogistas do passado como inicia-se com Capitão José Fernandes Tenório de Albuquerque e sua irmã Luiza Tenório de Albuquerque (a quem temos conhecimento), filhos de José Fernandes Nogueira e de Ana Tenório; neto paterno do Capitão Francisco Vaz da Silva e de Augusta de Araújo de Luna, desse casal procede uma enorme descendência, inclusive muitos deles enraizados na cidade de Pedra, Pernambuco; neto materno de Manoel Tenório Molina e de Inês de Luna, todos esses de nobres famílias conhecidos em “Nobiliarquia Pernambucana” de Borges da Fonseca.

O Capitão

José Fernandes Tenório de Albuquerque (1726–1789), casou-se com Francisca das Montanhas Cavalcanti (1733 -?), no ano 1757 no julgado de Garanhuns, Pernambuco, homem de larga projeção, abastado proprietário das fazendas Santo Antônio das Varzinhas e Santa Rosa, ambas em Águas Belas. Na genealogia do Capitão são encontrados 9 filhos, aonde cada um desses filhos, disseminam uma vasta prole a cada geração, subsequente por todo sertão nordestino.

Abaixo a imagem do livro de assento matrimonial que encontrei na Igreja de Santo Antônio de Garanhuns, datado de 17.08.1785, referente a José Tenório de Albuquerque e Maria de Jesus Cavalcanti, este um dos nove filhos do Capitão José Fernandes de Albuquerque.

Acervo Meulegado: REF. 17081785.0266

Aos desasete dias do mez de Agos de mil e Sete-centos e oitenta/e sinco corridos os banhos da freguezia de Aguas Bellas domicilio/do nubente, nesta de Garanhuns donde são naturais […]/e nubente, sendo dispensados pello Reverendo Senhor/Doutor Juiz das despensas Manoel Vieira de Lemos Sampaio/cujos papeis ficam em meu poder Sem […] impedi-/mentos em prezensa do Reverendo Padre Gonsalo Pereira/Ribeiro e das testemunhas o Capitam Antonio de Albuquer-/que Cavalcanti e o Tenente Feliz da Costa Monteiro […]/Solenemente na Capella de Pedra desta freguezia/Joze Thenorio de Albuquerque filho do Capitam Joze Fernan-/des Thenorio de Albuquerque, e de sua mulher Dona Francisca/das Montanhas Cavalcanti, com Dona Maria de Jesus/Cavalcanti filha de Francisco Vaz da Silva e de sua mulher/Dona Anna Potencia de Brito Cavalcante o que tudo/foi de minha lisensa; […] na forma que/[…] e Santa Madre Igreja: Do que fiz este termo que/por verdade assinei.

Transcrição: Cassia Carauta de Albuquerque

Será, então “Tenório Cavalcanti” da ramificação do Capitão José Fernandes Tenório de Albuquerque?
Não! Mas de sua irmã Dona Luiza Tenório de Albuquerque, vejamos as raízes genealógicas de Dona Luiza Tenório.
Dona Luiza Tenório de Albuquerque

Tão pouco são os registros onde Dona Luiza é citada, mas seu marido Bento Leite Cavalcanti, aparece com maior frequência por ser filho de Manoel Leite da Silva e Maria Cavalcanti de Albuquerque, nada mais nada menos que um dos fundadores da cidade de Pedra, Pernambuco, chegou a ser o Comandante-Regente de Ararobá (hoje Garanhuns). Do casal conhecemos quatro filhos: Felipe Neri Cavalcanti, João Cavalcanti de Albuquerque (engenho Noruéga, no cabo/PE), Manoel Leite Cavalcanti e Ana Cavalcanti de Albuquerque.

Do tronco de Felipe Neri Cavalcanti, falecido em 1804, ano em que se procedeu ao seu inventário, iniciado na propriedade Maremba, julgado de Garanhuns, casou com Tereza de Jesus Cavalcanti, filha do Capitão Francisco Vaz da Silva e de Ana Potencia de Brito Cavalcanti já mencionados na transcrição do documento acima.

Dentre diversos filhos do casal, a filha Maria Joaquina Cavalcanti (1798 — ?), casou-se com Cristóvão de Holanda Albuquerque na cidade de Altinho, julgado de Garanhuns, Pernambuco em 01.08.1813, ele filho de Manoel de Holanda Calheiros de Vasconcelos ora aparece como Manoel de Holanda Calheiros de Albuquerque e Paula Margarida da Silva, este Manoel de Holanda Calheiros enraizou-se em terras denominado de Caldeirões onde muito de seus filhos também procriaram por essas terras além de Quebrangulo e Rua Nova ambas em Alagoas.

Abaixo a imagem do livro de assento matrimonial que encontrei na Igreja de Santo Antônio de Garanhuns, datado de 01.08.1813, referente a Cristóvão de Holanda Albuquerque e Maria Joaquina Cavalcanti.

Acervo Meulegado: REF. 01081813.0272
Acervo Meulegado: REF. 01081813.0273

Aos primeiro de Agosto de mil oitocentos/treze na Capella da nossa Senhora do Ó do/Altinho filial da Matriz deste/municipio de Garanhuns depois de ocorridos os banhos feitos as […] deligencias/[…] que declarou impedi-/ mento algum, de minha licensa com pre-/cenca do Reverendo Joze Luiz de Barbo-/sa e das testemunhas o Comandante Pedro/Ignacio de Albuquerque, Christovao/Cavalcanti, e de varias pessoas todas destas/paroquiana, receberao em Matri-/monio com palavras do presente Chris-/tovao de Olanda de Vasconcellos filho le/gitimo de Manoel de Olanda Calheiros/de Vasconcelos, e de Donna Paulla Mar-/garida da Silva, com Donna Maria Joaqui-/na Cavalcanti filha legitima de Felippe/Neri Cavalcanti, ja defunto e de Donna/Tereza de Jezus Cavalcanti ambos os nu-/bentes naturais e moradores nesta fregue-/zia e logo dei lhes a benção […] na for-/ma do Sagrado Concilio Tridentino. E ma-/is não continha receberao do dito Reveren-/do e dos Santos. Do que para constar man-/dei fazer este assento em que assinei.

Transcrição: Eduardo Padilha dos Santos

PODERIA, então “Tenório Cavalcanti” também descender da família HOLANDA?
A FAMÍLIA HOLANDA

Do casal, Cristóvão de Holanda Albuquerque e Maria Joaquina Cavalcanti, tiveram uma enorme prole onde muitos desses enraizaram nas cidades de (Victoria) Quebrangulo, (Riacho do Meio ou Vila de Assembleia) atual Viçosa, Palmeira dos Índios e União dos Palmares todas em Alagoas além de outras cidades de Pernambuco.

Entre eles há um filho de nome João Francisco Cavalcanti de Albuquerque que casou-se com Ana Tereza Tenório de Albuquerque, essa não sendo possível identificar seus pais.

João Francisco Cavalcanti de Albuquerque, tudo indica que ele também descendia da família Holanda, de modo que encontrei alguns assentos onde o mesmo assina João Francisco de Holanda Cavalcanti de Albuquerque. Este viveu em Quebrangulo, Alagoas, homem de larga projeção, abastado proprietário da fazenda denominada Lagoa de João Francisco, ele também é referido no livro Tenório O Homem e o Mito, de Maria do Carmo Cavalcanti Fortes, (filha de Tenório Cavalcanti).

“João Francisco Cavalcanti de Albuquerque, homem forte do sertão alagoano, “plantador de cidades”, um pioneiro. Quando a seca se prolongava, ele saia em busca de outras terras, levando consigo a família, os parentes, os vizinhos, os animais. ”
RELATOS / EVIDÊNCIAS

Eu, já possuía em minhas anotações de pesquisa os registros de João Francisco Cavalcanti de Albuquerque e Ana Tereza Tenório de Albuquerque, entretanto ainda não havia elementos suficientes para montagem desse “quebra-cabeça”, até ler o depoimento a respeito de “Tenório Cavalcanti pela antropóloga alagoana Luitgarde Oliveira Cavalcanti Barros onde ela diz:

“Eu sempre soube que o Dr. Natalício Tenório Cavalcanti, conhecido como deputado Tenório, era nosso primo. Eu vivia no sertão de Alagoas, em Santana do Ipanema, o município do lado de Palmeira dos Índios e lá eu sabia que vivia a mãe dele, dona Maria do Carmo. Eu tinha um tio mais novo, irmão do papai tio Nicodemos Nobre Cavalcanti, em quem o Tenório tinha absoluta confiança. Tio Nicodemos morava em Palmeira (Palmeira dos Índios) e quando Tenório já estava no Rio ele é que cuidava dos interesses da dona Maria do Carmo. ”

E mais……

“Ele gostava de cantar! Ele gostava muito de contar histórias, de ouvir histórias. Gostava de violeiro do sertão. E as histórias do sertão para ele eram tudo. Ele tinha um culto muito grande pela cultura sertaneja. Na verdade, quando eu o conheci ele me abraçou e falou: “Minha filha! Eu estou vendo a minha tia Tetê”. Porque a minha bisavó, Tereza Tenório de Holanda de Albuquerque Cavalcanti, era irmã do avô do Tenório.

E o avô do Tenório morreu e deixou só o pai do Tenório. Morreu cedo o irmão da minha bisavó, a Tereza. E ela ficou protegendo o sobrinho. Esse sobrinho era muito aliado ao meu avô. Viviam muito juntos lá em Palmeira dos Índios, num lugar mais afastado chamado Rua Nova.

Então ali vivia o pai do Tenório. O pai vivia na proteção da minha bisavó que tinha uma fazendo muito grande chamada A Lagoa de João Francisco e quando o meu avô, com os tios e irmãos já eram adultos, foi assassinado o pai do Tenório Cavalcanti e o menino Natalício foi morar na casa da minha bisavó Tetê. ”

Após a leitura rapidamente contatei Dona Luitgarde que gentilmente atendeu-me de prontidão e conversamos por algumas horas e através de suas informações e, em comparação com meus levantamentos, não tive mais dúvida que estamos falando do mesmo ramo familiar de “Tenório Cavalcanti”, ou seja, consegui associar o elo das duas genealogias.

No mapa abaixo é possível visualizar a propriedade da Lagoa de João Francisco, está bem próxima da divisa entre Quebrangulo e Palmeira dos Índios.

Município de Quebrangulo — Alagoas — Brasil
A GENEALOGIA DE TENÓRIO CAVALCANTI

Curiosidade: Manoel, avô de “Tenório Cavalcanti”, não assinava Tenório, como dito no (livro; Tenório O Homem e o Mito, de Maria do Carmo Cavalcanti Fortes);

pois brigara com os outros irmãos, que o hostilizavam por ter casado com uma cabocla. Os Tenório, altivos e preconceituosos, não admitiam mestiçagem”.

A genealogia a seguir inicia-se a partir de João Francisco Cavalcanti de Albuquerque e Ana Tereza Tenório de Albuquerque, constatando o grau de parentesco entre “Tenório Cavalcanti” e de Dona Luitgarde e assim sendo possível traçar um paralelo com os demais personagens citados acima.

É possível analisar toda pesquisa assim como documentos e outras informações pelo site omeulegado.com.br, neste encontraremos mais detalhes de toda família Tenório Cavalcanti e de muitas outras famílias. Podemos perceber o sobrenome Holanda prevalecendo na escrita de sua filha Tereza e seus netos.

1. — João Francisco Cavalcanti de Albuquerque e Ana Tereza Tenório de Albuquerque

1.1. — Manoel Cavalcanti de Albuquerque e Severina Silva Machado

1.1.1.– Antônio Januário Tenório C. de A. e Maria do Carmo C. de Albuquerque

1.1.1.1.–Natalício Tenório Cavalcanti de Albuquerque e Walkiria Lomba Cavalcanti

1.1.2.– Firmino Cavalcanti de Albuquerque

1.1.3.– José Tenório Cavalcanti de Albuquerque

1.2. Tereza Tenório de Holanda Cavalcanti de Albuquerque e [?] Medeiros de Albuquerque

1.2.1.– José Herculino Tenório de Holanda Cavalcanti e Maria das Virgens Nobre

1.2.1.1. Júlio Nobre Cavalcanti e Maria de Oliveira Cavalcanti

1.2.1.1.1. — Luitgarde Oliveira Cavalcanti Barros

1.2.1.2. — Nicodemos Nobre Cavalcanti

1.2.2.Josefa Tenório de Holanda e José Severino dos Santos

  1. 2.3.Manoel Tenório Cavalcanti (Né Tenório)
RECENSEAMENTO DOS PROPRIETÁRIOS RURAIS DE 1920 — (ALAGOAS)

Vejamos na imagem a seguir que é possível notar o nome de Manoel Tenório Cavalcanti (Né Tenório), filho de Dona Tereza Tenório de Holanda Cavalcanti Albuquerque e neto de João Francisco Cavalcanti de Albuquerque como sendo um dos herdeiros e proprietário da fazenda Lagoa de João Francisco, pelo recenseamento realizado em 01.09.1920 no estado de Alagoas.


CONCLUSÃO

É possível afirmar que aqueles membros da família “Tenório Cavalcanti” sejam estes moradores da cidade natal de Natalício Tenório Cavalcanti de Albuquerque ou das cidades circunvizinhas ou até mesmo de outros estados, sejam do mesmo tronco familiar de “Tenório Cavalcanti”, tronco esse que ao estudarmos com mais profundidade podemos perceber que quase sempre é remetido a raiz primitiva dos primeiros Tenórios Cavalcantis do sertão nordestino.

Uma coisa posso dizer sempre que converso com um membro da família Tenório Cavalcanti, de imediato já tento interligar nomes, datas e acontecimentos com os demais registros já pesquisados, pois sei que em determinado momento encontrarei o elo de ligação.

Os registros já pesquisados podem ser vistos pelo site omeulegado.com.br, neste será possível ter acesso a coleção online com mais de 13.000 nomes catalogados e assim quem sabe, você membro da família Tenório Cavalcanti não encontre seus antepassados ou até mesmo descubra o grau de parentesco com “O Home da Capa Preta” ou “Tenório Cavalcanti” ou Natalício Tenório Cavalcanti de Albuquerque.

Até a próxima……

Eduardo Padilha dos Santos