Monstros do niilismo: Nick Land

Continuando a série de eventos “Monstros do niilismo”, que no final de 2016 discutiu a obra de Max Stirner, começaremos o ano com uma apresentação do pensamento de Nick Land por Uriel Alexis, com transmissão e participação online. Para mais informações, ver evento no Facebook.

Autor de livros como “A Sede de Aniquilação” e “Númenos com Presas”, o filósofo e escritor inglês Nick Land tem sido desde os anos 90 uma referência instigante da subcultura cyberpunk e hiper-aceleracionista nas redes digitais. No crepúsculo atonal de um presente que parece congelado num cubo de passividade depressiva e repetições fantasmáticas do Mesmo, jaula de vidro metafísico para o “último homem” nietzschiano, explodem do outro lado protestos e atentados antipolíticos, violentos e sem qualquer pretensão de reencantar o mundo ou reprogramá-lo noutra utopia positiva. Diante do tema intrusivo da extinção, o que a radicalidade aniquilante de Land pode nos apontar em termos de tendência, diagnóstico, ou (fim das) estratégias?