A chama olímpica passou… E o que ficou?

Por Mariana Magalhães

Foto: Arquivo Pessoal

Vamos voltar um pouquinho.

Há 9 meses, estávamos estreando aqui no Medium, contando um pouco da nossa história. Para quem não me conhece, meu nome é Mariana Magalhães, autora da página O Meu Mundo é Azul, também conhecida como mãe do Douglas. Um lindo garotinho, hoje com 6 anos de idade , diagnosticado com autismo aos 3, e totalmente recuperado através do esporte e da alimentação saudável.

Nesse tempo muita coisa aconteceu.

Em abril, conseguimos realizar o 1º Congresso de Autismo: Nutrição e Esporte como Terapia, com direção do mago, ou melhor, médico, Dr. Rogério Rita, em Vila Velha/ES. O Congresso contou com os melhores profissionais da área do tratamento biomédico, e o melhor, de forma gratuita. Com a ajuda de grandes empresas parceiras, como o Grupo Águia Branca, Arcelor Mittal, Ambiental, e a Prefeitura de Vila Velha, conseguimos levar conhecimento e esperança a muitas famílias. Foram quase duas mil solicitações de inscrição em apenas uma semana. Auditório cheio, famílias com o coração inflado de esperança, concretizando o que sempre sonharam… um caminho para o tratamento dos seus entes queridos. E encontraram… Afinal, alimentação saudável e esporte só faz bem!

Também realizamos o Evento Surfistas pelo Autismo, inspirado no Surfers Healing , em parceria com a body boader Mayla Venturim, e a Juliana Gama, mãe do João e super dedicada a causa. Foram tantas crianças lindas surfando com voluntários, e sorrisos cheios de vida de todos os presentes, que já estamos ansiosos para a segunda edição.

Douglas e eu fomos agraciados com a medalha de honra ao mérito da área de esportes pelo município de Vila Velha/ES, e também com a Comenda Monsenhor Rômulo Neves Balestrero. Essa Comenda é dada aos cidadãos e entidades que se destacaram nas ações de Promoção do Desenvolvimento Social. Fico lisonjeada em saber que através da nossa historia com o esporte, muitas famílias estão reacendendo a chama da esperança, e conseguindo resultados incríveis.

Fotos: Arquivo Pessoal

Gosto sempre de lembrar das pessoas que tanto nos ajudam nessa caminhada e tem aberto caminhos para uma dupla imbatível: esporte crianças especiais. Essa junção, que proporciona a administração publica diminuição do ônus na rede publica de saúde, melhores resultados na educação, contribui com o desenvolvimento social dessas famílias e suas comunidades, além claro, da diminuição do preconceito, e com isso o aumento do amor e respeito ao próximo.

Deixo aqui meu grande carinho e muito obrigado aos amigos, Rodney Miranda, Marcelo Santos , Theodorico Ferraço, Zé Nilton, Tião Barbosa, Anna Carolina Passos, Laecio Nunes, além claro, do meu pai, Toninho Magalhães, que faz o impossível para nos ajudar a ajudar quem precisa.

Foto: Arquivo Pessoal

Doug recebeu oficialmente seu título de Kickboxing, sendo considerada a primeira criança autista a passar em um exame de faixa regular no mundo. Em outubro ele participará do Campeonato Intercontinental de Artes Marciais no Rio de Janeiro.

E para comemorar tantas noticias boas… A chama olímpica chegou mostrando a todos, como o esporte e capaz de transformar a vida das pessoas.

Foto: Arquivo Pessoal

Desde o início, eu iria representar o Doug, pois devido a pouca idade o Comitê Organizador não tinha autorizado que ele a carregasse. E então eu, ainda com aquela esperança no coração, afinal, desistir não é comigo, comentei com o Rafael, assessor de Comunicação do Ministério do Esporte, que veio para Vitória acompanhar nossa história (chique né, e ainda trouxe presente haha) que esse momento era do Doug e não meu. E ele reacendeu minha esperança dizendo pra eu não desistir, porque iriam me ajudar conversando novamente com o Comitê. Para completar esse timaço a galera da Nissan.

Até o momento em que desci do ônibus, eu tinha um não. Mas seguindo meu coração, levei Doug vestido à caráter para um sim.

Já estava vendo a chama olímpica chegando perto de mim, aquela festa linda a minha volta, quando de repente vejo a Mônica da Nissan super emocionada, literalmente se ‪‎atrevendo e pedindo mais uma vez a organização. Sim, ela foi o anjo escolhido por Deus para nos dar a certeza que já tínhamos; Ele estava ali! Quando eu inclinei a tocha para a chama olímpica, chega a Monica com um sorriso lindo no rosto, junto a um cara do Comitê e diz: Mari, conseguimos!!!

Foto: Arquivo Pessoal

Não me lembro ao certo se foi assim que as coisas aconteceram. A emoção era inexplicável. E então veio meu branquelo correndo, super feliz colocar a cereja no bolo da sua vitória. Quando tudo terminou , Doug falou: Mamãe, da próxima vez vou carregar sozinho, porque já estarei grande e serei um campeão.

E o que ficou? Ficou mais força, mais coragem, mais esperança, mais garra e mais luta. Ficou a certeza de que o esporte une as pessoas e as histórias. Obrigado a todos vocês que torceram por nós. Cada mensagem, cada ligação com tantos sotaques diferentes, cada apoio e todo carinho recebido serão lembrados para sempre.

A partir de hoje um novo capítulo se inicia nas nossas vidas. Teve autista nas olimpíadas siiiimmm!!!!!!

E a partir de agora, tem autista abrindo os Jogos Escolares, divulgando o esporte e superando a cada dia, qualquer barreira que vier a encontrar no caminho. E eu como mãe, sempre estarei apoiando e dando o melhor de mim para que todos vocês conheçam não só a história de superação do Douglas, e sim a história de superação, que trará muitas vitórias ao atleta Douglas Magalhães, futuro campeão olímpico.

2024 estamos chegando!!!!


Acesse o twitter, o facebook e o instagram do Brasil 2016. Estamos no snapchat! Procure por VaiBrasil_2016
Acesse também o twitter, o facebook e o instagram do Ministério do Esporte.