Quero representar meu país da melhor forma que posso

Por Thaís Carvalho, atleta paralímpica de tiro com arco

Olá! Meu nome é Thaís Carvalho, tenho 24 anos e faço parte da seleção brasileira de tiro com arco paralímpico. Meu primeiro contato com a modalidade foi em 2012 e, desde então, sou apaixonada pelo esporte.

Aos três anos de idade, enquanto esbanjava glamour dançando uma música da Xuxa, sofri uma queda e acabei fraturando os ossos da perna direita. Comecei meu tratamento e quando o osso estava calcificando, tropecei num degrau de casa e os quebrei novamente. Daí em diante, fiz uma série de cirurgias e, mesmo com o esforço constante, não conseguimos o resultado esperado.

Foto: Arquivo Pessoal

E assim seguiu a vida! Estudando, brincando, aprendendo, crescendo. Até que um dia, esbarrei no esporte. Em 2012 conheci o tiro com arco (famoso arco e Fflecha) e decidi me dedicar à prática.

Após quatro meses de pura felicidade, fui obrigada a interromper os treinos para fazer mais uma cirurgia. Dessa vez a ideia era fixar o osso com uma haste interna, que deveria permanecer nele por volta de 10 anos, evitando novas cirurgias nesse período. Foram alguns meses de recuperação… Reaprendi a andar e, no início de 2013, retomei meus treinos, que não duraram muito tempo.

Em outubro de 2013, perdi uma das pessoas mais importantes da minha vida. Aquele que sempre me incentivou em TUDO! Meu pai partiu depois de uma enorme luta contra um câncer. Só fui capaz de pensar em esporte novamente depois de um tempo.

O retorno ao campo de tiro aconteceu em 2014. Quando achei que as coisas tinham estabilizado, a haste que estava na minha perna quebrou dentro do meu osso, danificado enquanto caminhava.

Após esses episódios e muitos outros não mencionados, optei por tirar a haste e aproveitando a oportunidade, “um pedacinho da perna junto”, como disse para minha mãe quando tomei a decisão. Foi uma decisão pensada, acompanhada pelos meus médicos, apoiada por familiares e amigos que viveram as partes mais difíceis comigo.

Foto: Arquivo Pessoal

Depois da amputação, no mesmo ano, voltei aos meus treinos fui convocada para participar dos Jogos Parapan-Americanos de Toronto — 2015. Lá ganhei a medalha de prata além de ter conquistado uma das vagas para o país no Rio 2016. Neste mesmo ano, também levei a medalha de ouro no Campeonato Brasileiro realizado em Goiânia.

Intensifiquei meus treinos, buscando melhores resultados, e apesar dos vários problemas que surgiram com minha prótese, conseguimos tratar as lesões de modo razoável e trouxemos a medalha de ouro do Parapan-Americano de tiro com arco realizado na Costa Rica.

Como precisávamos dar um jeito na prótese antes da Paralimpíadas, com a ajuda de familiares e amigos, corri atrás de apoio para melhorar e resolver a situação. Foi aí que a empresa Conforpés de Sorocaba me deu um SUPER presente: uma nova prótese adequada para meu esporte e que felizmente não me machuca no dia a dia. Para mim e minha família, foi a realização de um sonho e serei eternamente grata pelo modo como fui recebida na família Conforpés!

Agora, de perna nova, mantenho meus treinos rumo ao Rio2016, buscando cada vez mais melhorar meus resultados e representar meu país da melhor forma que posso!

Bons jogos a todos, e vamos lá!


Acesse o twitter, o facebook e o instagram do Brasil 2016. Estamos no snapchat! Procure por VaiBrasil_2016
Acesse também o twitter, o facebook e o instagram do Ministério do Esporte.