O que aprendi na minha 2ª semana em San Francisco

“Posso escalar seu produto para quantos países em 1 ano?”

Também turistei um pouquinho.

Antes de começar, queria agradecer todos os feedbacks que recebi sobre o primeiro texto (você pode ler o “O que aprendi na minha primeira semana em San Francisco” clicando aqui), acho que compartilhar conhecimento e experiências talvez sejam algumas das mais importantes ‘moedas’ da nossa geração.

Falando em gerações, tenho tido uma excelente experiencia com o voluntariário no programa da CTN (Community Technology Network) como "Professor de Tecnologia" em asilos aqui. É incrível como coisas tão simples para nós, fazem tanta diferença para os mais velhos, além dos milhares de insights sobre produto e UX. Ter apenas uma ação para cada botão ("mais pera, eu posso clicar nesse, nesse e nesse lugar pra fazer a mesma coisa? Não entendi"), aproximar muito os ícones e dificultar clique/interação, explicar ao usuário o que ele precisa fazer com frases claras e objetivas, os triggers para os usuários retornarem "O que será que XXXX postou?", "Quero que meu neto veja isso", entre outras mil coisas. Mas o mais gratificante é sem sombra de dúvidas ver os sorrisos após aprenderem algo novo :)

Bom, o assunto da semana foi Retenção e Growth Hacking. Uma área fundamental para toda e qualquer empresa, mas muitas vezes esquecida. Uma boa analogia pra isso é pensar, independente do segmento, as promoções para novos usuários (as vezes, agressivas até demais) e os atuais usuários sem nenhum beneficio extra…

Growth Clinic — Retain or die

"Your job as a growth hacker is to show value as soon as possible to the user"

O Growth Clinic, evento criado pela Amplitude (Uma boa e completa ferramenta para análise de dados, comportamento e segmentação, funciona tanto pra web quanto pra mobile: https://amplitude.com/) teve painéis com os time de Growth do Instacart, Square, Invoice2go e Rise, além dos fundadores da Amplitude. Vamos aos melhores momentos:

  • Todo mundo precisa entender de métricas, principalmente as de retenção: E aquela velha história, quando todo mundo entende algo, podem vir insights que você nem imagina ou deixou passar por conta do “vício”;
  • Números precisam virar ação: Não se gabe por “Sei tudo que o usuário faz no meu app/site” ou “tá tudo mapeado”. Beleza, parabéns por isso campeão, mas como esse caminhão de informação vai ser útil?

Um mockup interessante que pode ajudar você a transformar dado em inteligência e também mostrar o valor para seus desenvolvedores que vão investir tempo em programar o disparo de todos os eventos é:

“Estou trackeando ______(dado) para entender ____________(algum comportamento) e com isso, poder ____________(ação)"
  • Atenção aos usuários ativos! Analise os com atenção (e muita). Talvez eles enxergam valor em outra feature que não a que você julga como principal;
  • Benchmark everything!
  • Estruture e engaje seus times: Por exemplo, na Square (solução de pagamentos de um dos fundadores e atual CEO do Twitter), cada perfil de usuário tem uma equipe focada em retenção;
  • Dashboard everything! (Leitura visual): Dashboards podem te ajudar a identificar problemas ou dar insights de uma forma prática antes de você mergulhar nos dados;
Você sabia que menos de 25% dos usuários voltam ao app no 2º dia após o download / primeiro acesso?
  • A primeira vez a gente nunca esquece (ou "A saga pelo onboarding perfeito"): Existem bastante gente que defende que se você precisa explicar como seu produto funciona, talvez você precise repensar seu produto, mas é fato que o onboarding tem seu valor. Se você tem uma chance de fazer isso bem para formar uma ótima opinião e entendimento do seu produto, faça-a! (bons exemplos de onboarding aqui)
  • Batalha naval vs. Marretada: O processo de testes/experimentos é eterno. Você pode ter "falsos positivos" mudando tudo de uma vez só (marretada). Teste, aprenda, ajuste (loop infinito).
O ponto principal não é errar rápido, e sim, aprender rápido.
  • Tempo certo, usuários certos:Quanto mais você gasta, mais usuários você conquista”. Não adianta você reservar uma parte gigantesca do seu budget para aquisição de usuários, sendo que você gasta trazendo os usuários errados pelos canais errados. Por exemplo, apps que enviam push todo dia tem a maior taxa de desativação de pushs. Invista tempo planejando e entendo seus usuários mais ativos, para depois investir seu budget buscando outros parecidos 😉
  • Retention or die! As companhias que bem sucedidas são bem sucedidas pela habilidade de reter seus clientes, não simplesmente por conta de growth hacking.

#bonus1: Assista os painéis:

Insights do time de Growth da Invoice2go;

Insights sobre Métricas e Cultura da Square;

Insights de Retenção com os Heads de Growth do Instacart, Hubspot e Rise

#bonus2: State of Analytics 2016 (um super report!)

Shark Tank — Live edition

"Para quantos países posso escalar seu produto em 1 ano?"
aplausos pra mulherada!

Vocês conhecem o Shark Tank? É tipo um "Aprendiz" de startups. Você se inscreve, faz seu pitch pra investidores, que fazem as perguntas e etc e talvez você receba alguns milhões de investimento. A edição de SF foi bem interessante. Teve um senhor com mais de 60 anos apresentando pitch, com uma solução que transformava agua em gasolina, um cara que já foi em uns 5–6 edições apresentar seu "marketplace de bloggers", um outro que queria "dronizar" (pra fazer o trabalho das pessoas no aeroporto), uma maquina de lavar roupa customizada para encaixar em qualquer canto da casa e até brasileiro fazendo pitch (o André Camarotti apresentou a InvestFast que por pouco não foi selecionada). Conversando com Simon Lim, um dos dos jurados/investidores antes do programa começar — sim, todos investidores ficaram andando entre as mesas antes do início do programa, super abertos e prontos para ajudar (e talvez investir antes mesmo do programa começar) ele disse que o ponto chave para decidirem o investimento é: "Posso escalar seu produto para quantos países em 1 ano?". E o palco ficou florido com as 3 finalistas sendo mulheres. Palmas pra elas :)

Product School — Overview

Nas duas primeiras semanas de curso, falamos muito sobre o processo de desenvolvimento de um produto, desde a concepção, passando pelas personas, testes, feedback, roadmap, lançamento e métricas e bug fix. Algumas dicas:

  • Personas! Dê um rosto para suas concepções (alguns mockups aqui);
  • Testes & Feedback: Nas pesquisas e testes com usuários interagindo com seu produto, nas interações, pergunte: “O que você espera que apareça na próxima tela?”. E depois que ele realizar a ação de ir para a próxima tela: “Era o que você esperava?”

É uma forma interessante de descobrir percepções e se seus usuários estão entendendo seu produto;

  • Métricas Piratas (AARRR Concept): Um mockup interessante para analisar seu produto.
Acquisition: quais canais você vai buscar seus usuários;
Activation: a primeira impressão é a que fica ;)
Retention: como e por que seus usuários vão voltar?
Referral: seu produto é bom ao ponto de seus usuários o indicarem para outros?
Revenue: money!!!!

#bonus3: Alguns materiais para entender mais sobre isso aqui e aqui.

  • Mais métricas, mais analogias. “Métricas Starbucks”:

Pense em métricas como os tamanhos das bebidas do Starbucks:

Venti: Quais as métricas importantes para a empresa?
Grande: Quais as principais métricas para seu produto?
Tall: Quais as métricas para medir o sucesso de determinada feature?
  • Roadmap: Antes de mudar o mundo ou incluir 50 features que ninguém vai usar, ou planejar as próximas 5 releases do seu app, responda essa pergunta: What would be stupid for us NOT to do in the next 90 days?

#bonus4 — Combo de Ferramentas

Algumas das ferramentas mais usadas e comentadas pelas mais diversas empresas e Product Managers por aqui.

Clarity — Encontre um expert em determinado assunto, agende uma conversa e debata com qualidade.

Meu clarity: https://goo.gl/9OOgJy

Zana: Uma espécie de universidade com relato de experiências e aprendizados de vários empreendedores de empresas com IPO ou que levantaram bastante investimento;

Framebox: Mockups rápidos e práticos;

Popapp: Excelente para mockups rápidos e visualizar interações. Desenhe, tire foto e dê ação (tipo swipe, scroll, zoom…)

Olark: chat com seus usuários com fácil integração;

Delighted: pegue feedback com seus usuários;

Sumone: entenda o que, onde e como os usuários interagem com seu site;

Productplan: construa o roadmap do seu produto;

Dapulse: construa o roadmap do seu produto [2] (mais visual e interativo);

Aha!: roadmap roadmap roadmap…

Mixpanel: excelente ferramenta de analytics (funciona mobile e web)

Kissmetrics: customer intelligence e analytics (funciona mobile e web);

Klout: veja a influência dos seus usuários em várias redes

Então é isso. Semana que vem tem mais! ;)

Gostou? Não custa nada dar aquela força e clicar no coraçãozinho, ou compartilhar (ou os 2) para que mais pessoas possam ver/interagir com esse artigo.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated @arthurklose’s story.