Barraca de Mochileiro

O que, porquê e quanto gastar para adquirir sua casa-portátil para viajar pelo mundo com segurança, conforto e pouco peso.

Planejando | por Aldo Lammel

Eu em algum lugar da costa rochosa e deserta do norte chileno — 2015 (Aldo Lammel, CC BY-NC)

É impensável um cicloviajante não possuir uma barraca em uma viajando por inúmeros países ao longo de meses. Até mesmo o mochileiro convencional (sem bicicleta), que planeja hospedar-se todos os dias, para não depender de um orçamento diário de U$50. É mais fácil o mochileiro não ter uma barraca por pura inexperiência do que por sabedoria. A barraca, além de símbolo da liberdade de mochilar, de viajar como um viajante e não como um turista, é uma verdadeira visita aos tempos de quando nós éramos nômades, acampando quilômetro a quilômetro atrás de nossos objetivos e é exatamente a barraca que sintetizará sua viagem em uma aventura real. Ao longo da estrada, conheci muitos mochileiros que não tinham barracas e por este detalhe estruturei este artigo de forma diferente a modo de atender o máximo de perfis viajantes possível.

Dicas de barraca (Mochila & Bike)

Quando eu estive numa ilha panamenha, conheci um casal de mochileiros finlandeses que não encontravam lugar para dormir. Eu já estava dentro da barraca confortável, protegido da noite, do vento, da garoa que caia. O casal perguntou se podia dormir no lado do meu acampamento, eu assenti, claro. Horas depois, despertei para seguir viagem e, ao sair do abrigo e olhar para o lado, não pude crer: o casal dormia dentro de um saco de dormir para neve (impermeável e com isolamento térmico); eles estavam abraçados romanticamente, porém deitados no gramado encharcado, debaixo do chuvisco, sem qualquer cobertura ou proteção maior do vento ou para a água que acertava-os pelas frestas onde o ar chegava até eles. Você pode aplaudir este tipo de experiência ainda mais regressora ao passado nômade, mas lhe adianto que é algo de extremo desconforto e se o casal tivesse uma barraca, não pensaria duas vezes em usá-la.

Você precisará de:

  • 1 Barraca para Duas Pessoas (R$500)
  • 1 Saco de Dormir para Inverno (R$400)
  • 1 Isolante Térmico (R$35)
  • 1 Lanterna Recarregável (R$20)
  • 1 Lençol Solteiro (R$15)
  • 1 Mosquiteiro Solteiro (R$35)
  • 1 Lona (R$40) (opcional)
  • 1 Colchonete Isolante Inflável (R$165) (opcional)
  • 1 Travesseiro Inflável (R$33) (opcional)
  • 1 Banquinho portátil (R$28) (opcional)
  • 1 Rede Portátil (R$90) (opcional)
Custo do kit completo: R$1.381 (incluindo opcionais sugeridos)
Custo do kit essencial: R$1.025 (sem opcionais)

Barraca — pense que sua barraca não deve ser uma mansão, mas deve ter pelo menos estas características: deve caber você e suas mochilas dentro; ser impermeável e resistente a ventos (possuir estacas). Sua barraca pode ser autoportante ou não, mas para suportar ao vento inesperado sua barraca precisa ter a opção do uso de estacas. Considere que sua barraca também lhe protegerá do frio, esquentando em média cinco graus a temperatura dentro do abrigo com relação a temperatura externa à barraca. Suas mochilas devem sempre próximas de você. Em dias com grande probabilidade de chuva ou qualquer intempérie que lhe faça ficar por muito mais horas dentro da barraca, cogite em levar todas suas mochilas para dentro dela, mas não torne isso uma regra. Uma barraca resistente a forte chuva com ventania, é fundamental. Já acampei com um rapaz que vivia procurando um teto para montar sua tenda abaixo já que sua residência móvel não era à prova d’água, tampouco aerodinâmica para suportar ventos além da brisa do mar, o fazendo perder de acampar no alto de uma colina ou no meio de outra paisagem inspiradora. Eu uso uma Azteq Minipack e mesmo ela não sendo autoportante, quando estou em terrenos onde o solo não me permite usar as estacas, uso minhas quatro mochilas ou pedras em cada canto interno da barraca a fim de ancorá-la. O mesmo precisa ser feito com a capa impermeável, porém utilizando apenas pedras, areia ou neve.

Saco de dormir — não economize nisso. É ele que garantirá que você não precise de cobertor, nem nada. Seu saco de dormir deve ser suficiente para lhe abrigar do frio das regiões que você passará e ser um modelo sarcófago. Um que suporte temperaturas de 15ºC negativos no modo extremo e zero no modo conforto está de bom tamanho para quem viajará no inverno (para cordilheiras, países como Rússia, Finlândia, outros países escandinavos) além de lugares muito altos (Bolívia e Nepal, por exemplo) ou regiões polares (como a Patagônia e Sibéria) onde, dependendo do caso, é preciso um saco de dormir ainda mais térmico. Sacos feitos de pena de ganso são de grande eficiência. No calor ou em baixas temperaturas, mas não suficiente para você ficar dentro do equipamento, deite sobre ele, tapando-se com o lençol. Leia atentamente as instruções de uso e armazenamento do seu saco de dormir pois ele será um grande companheiro de viagem. Eu uso um Trilhas & Rumos Super Pluma Gelo -15ºC e em 80% das vezes não consigo dormir dentro dele de tão eficiente que é, porém, se necessito, estou seguro de saber que não passarei frio.

Isolante Térmico — Na teoria, seria dispensável devido ao uso do colchonete isolante, porém o colchonete é suscetível a furos e como o isolante térmico tem meio centímetro de altura de pura espuma, oferece além de isolamento extra (como na noite que enfrentei 24 graus negativos com chão de gelo), uma proteção ao colchonete. O isolante térmico tem o volume de uma pequena barraca guardada, porém pesando o mesmo que um maço de cigarro.

Lanterna — com uma lanterna boa que funcione por bateria e não com pilha, você estará bem equipado. Ela lhe ajudará a seguir adiante ou preparar suas coisas quando não houver luz. E isso ocorrerá o tempo todo em uma viagem de bicicleta. Na emergência, já usei a luz do celular, mas está anos luz de ser a mesma coisa. Uma dica é ter uma lanterna que possa ser a lanterna frontal da bike e, quando destacada do guidão, ser a sua lanterna de sobrevivência.

Lençol — em qualquer lugar que receba viajantes e que não cobram para eles se hospedarem ali, como no caso dos Bombeiros ou de muitas pessoas de CouchSurfing e WarmShowers, a cama não terá lençol e o travesseiro precisará de fronha. É questão de higiene básica. E você, usando lençol e fronha limpas evitará o inferno que é deixar em um lugar tomado por ácaros que causam coceira incontrolável e que pode destruir seu descanso. Para manter seu lençol e fronha livres disse mesmo quando você não consegue lavá-los é deixe-os pegando banho de sol. Isso mata todos esses bichinhos minúsculos. Faça o mesmo com o seu saco de dormir de vez em quanto.

Mosquiteiro — se você viajará por países tropicais como os da América Latina, África e do Sudeste Asiático, não subestime os mosquitos. É questão de tempo até você se ver dentro de uma casa em um calor absoluto e tomado por mosquitos, não existindo ventilador e repelente. O calor será tão intenso e úmido que na emergência nem mesmo a barraca dará certo. Um mosquiteiro é um tecido barato, leve e não volumoso que pode te ajudar a não ter a pior noite da sua vida. Se você viajará apenas dentro da Europa, este item é dispensável principalmente durante o outono e inverno europeu.

Colchonete Isolante Inflável (opcional) — com dois centímetros de altura e 1,80 metro de comprimento e pesando menos de 900 gramas, te proporcionará proteção isolante onde o solo não roubará a temperatura do teu corpo e macies de superfície para noites excelentes dentro de uma barraca. Com o volume inferior a uma bola de futebol profissional, o colchonete isolante pode fazer a diferença na qualidade da sua viagem. Se você não tiver um sofá para dormir e montar sua barraca não é uma opção a considerar, o colchonete associado com seu saco de dormir ou com o mosquiteiro, fará você se sentir o mochileiro mais profissional do mundo.

Lona (opcional) — eu não tinha um até ver um ciclista que a usava com maestria. Mas não é qualquer lona, a CK300 é uma lona impermeável como qualquer outra, porém é fibrosa a tornando mais maleável e infinitamente mais resistente. Para uma barraca de solteiro (duas pessoas) você precisará de 2x2 desta lona que será utilizada para por debaixo da sua barraca e protegê-la de gravetos que sempre furam a barraca e fazem entrar água (péssimo). Se você está pedalando e quer tirar um cochilo em qualquer lugar, até mesmo no mato, estique a lona e seja feliz. Escolha sempre a cor mais clara possível porque reflete o calor. Obs.: mochileiros sem bicicleta não costumam ter a lona devido ao volume. Eu recomendo apenas para quem irá de fato acampar com muita frequência em lugares não urbanos.

Travesseiro Inflável (opcional) — você pode fazer um travesseiro com suas próprias roupas dobradas, mas um travesseiro inflável (não confunda com travesseiros de pescoço aqueles usados em ônibus) pode lhe trazer maior conforto com quase nada de peso e volume em suas coisas. Eu viajei um bom tempo sem um e eu frequentemente brigava com minhas roupas dentro da barraca. O travesseiro é excelente e dará um grau de profissionalismo ao seu acampamento.

Banquinho portátil (opcional) — parece tolice, mas há banquinhos tão leves e dobráveis hoje em dia que, ao usar um, me perguntei porque não tenho um ainda. Você monta a barraca mas nem sempre quer estar dentro dela. Fora da barraca você nem sempre quer ficar em pé. É curioso. Um banquinho facilita a reparação demorada de algo e perfeito para fazer comida e ficar tranquilo sendo um livro ou apenas apreciando a paisagem a volta.

Rede Portátil (opcional) — um dos maiores confortos para um viajante é ter em suas coisas uma rede portátil. As redes são ótimas para aqueles dias que o chão está encharcado ou intensamente tomado por insetos e animais potencialmente peçonhentos como em uma densa mata. Estas redes tem o volume menor que uma caixa de leite e um quarto de seu peso, valendo muito a pena até porque quem tem uma rede geralmente tem onde descansar de forma bem prática (desconsiderando dias chuvosos). Somando a rede com o seu mosquiteiro (esticando um barbante por cima da rede como se fosse um varal), você ficará protegido dos mosquitos também e muito melhor ventilado do que dentro da barraca.


Observação 1: mais para frente veremos como escolher um bom lugar para montar a barraca na página "Descansando na Estrada";

Observação 2: sobre kit para cozinhar, higiene e manutenção, veremos em outras páginas;

Índice do manual

Recomende

Compartilhe este link abaixo com os amigos:
http://aldolammel.com/manual

Aldo Lammel

Sobre | Youtube | Termos de Uso