Gabriela Góes

Mulher, 21 anos, estudante e produtora de Design de Moda

“Moda é vida”, dispara a estudante e produtora, Gabriela Góes. E assim começa o nosso papo…

Para Gabi, o mundo fashion está mais presente no nosso dia-a-dia do que imaginamos. Ela diz que mesmo quem não exerce nenhuma influência no assunto, pensa de alguma forma nele — seja na forma de se vestir ao sair de casa para o trabalho ou para uma festa. Pensamos moda.

Como tudo, a moda tem seus obstáculos. É claro que ela vem conquistando cada vez mais espaço na sociedade trazendo diferentes estilos para as ruas e passarelas, mas ainda é preciso uma melhor aceitação de ideias mais atuais impostas por jovens envolvidos com a área.

“Empresas que estão no ramo a anos precisam dar ouvidos e serem mais abertos aos recém-formados que querem entrar nesse mercado. Afinal, temos muito a oferecer e acrescentar com novos gostos e informações”, acentua Gabriela.

A MODA TE DEFINE OU VOCÊ DEFINE A MODA?

“Um pouco dos dois. A moda pode definir quem você é ou o grupo em que se insere, assim como na década de 70, quando tínhamos os hippies e punk’s muito diferenciados por suas vestimentas. Porém, acho que também podemos definir a moda de acordo com o nosso gosto e com o que queremos usar no momento. Você pode usar roupas pretas com correntes e meia arrastão (um estilo mais punk), mas nada te impede de querer usar um colete com franjas e uma calça flare (um estilo mais hippie). Você usa o que quiser. Não existem regras apesar da existência de uma sociedade ‘opressora’.”
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.