[Indie Book Day] 11 editoras independentes para conhecer

Valorize a cultura independente!

Estela Rosa
Mar 23, 2018 · 9 min read

É muito difícil se manter de pé em um mercado que engole as iniciativas mais jovens e menores. Como com toda cultura independente, as médias e pequenas editoras sofrem com a concorrência desleal. Os grandes meios de produzir livros, bobinas enormes de papel, encadernamento facilitado, tudo isso torna a disputa por um espaço na prateleira cada vez mais difícil. Mas se tem um povo que resiste é o povo dos livros.

Desde 2013 acontece um movimento mundial chamado Indie Book Day. A campanha surgiu na Alemanha e rapidamente se espalhou pelo mundo inteiro. No Brasil, já faz uns anos que as livrarias independentes trazem à tona essa hashtag, uma das livrarias que faz isso aqui no Rio de Janeiro é a nossa querida parceira Blooks Livraria, capitaneada pela Elisa Ventura. As feiras de livros também celebram esse momento. Em 2018, o Indie Book Day é dia 24 de março. Em São Paulo, acontece a Feira Plana, com lançamentos super esperados de editoras independentes. A ideia do Indie Book Day é simultaneamente dar apoio às editoras independentes, que produzem títulos incríveis, e às livrarias independentes que vendem livros menos conhecidos e valorizam editoras menores. Neste dia, as livrarias expõe sua vitrine de livros independentes e estimulam seus clientes a conhecerem outras histórias, outras narrativas.

E nós sabemos que muitas vezes são os independentes que abraçam os discursos fora do cânone. Mulheres, negros, lgbts, as narrativas dos oprimidos encontram espaço nas editoras e livrarias independentes porque, de alguma forma, se dobrar ao mercado não é exatamente uma vontade de quem trabalha independente. Em conversas com nossa querida poeta Jarid Arraes, sempre a ouvi dizer que por ser mulher e negra, por produzir literatura de Cordel, teve que encontrar seus meios de editar seus livros de graça, com a cara e a coragem. Seu livro 15 Heroínas Negras Brasileiras, que é um recorde de vendas, foi abraçado justamente por uma editora independente capitaneada por uma mulher: a Editora Pólen, da Lizandra Magon de Almeida.

Para celebrar esse dia do livro independente, resolvi fazer uma lista das onze editoras independentes que mais amo. Não deu pra ficar só em dez, fui pra onze e ainda é pouco, há muitas mais por aí, espalhadas pelo Brasil inteiro! Então essa é uma lista que já começa falha e que, como sempre, vai contar com a ajuda de vocês nos comentários. Que editoras e livrarias independentes você indicaria nesse Indie Book Day? Conta pra gente!

E não se esqueça de comprar um livro delicioso (como diria a rachel gontijo araujo, capitã d’A Bolha Editora) e compartilhar nas redes sociais com a hashtag #indiebookday. Se for escrito por mulher, ganha cem pontos com a gente, aí coloca a hashtag #mulheresqueescrevem junto, pra celebrar esse momento!

1- Pólen Livros

A Pólen nasceu em 2014 com o objetivo de produzir livros de autores brasileiros instigantes e ousados para crianças e adultos. Com a editora Lizandra Magon de Almeida a frente, a Pólen já publicou livros lindíssimos e super importantes escritos por mulheres como o 15 Heroínas Negras Brasileiras em Cordel, da Jarid Arraes, e a coleção de zines/livrinhos Mulheres de Verdades. Somos muito suspeitas para falar da Pólen Livros porque essas mulheres que tocam a editora moram faz um tempo no coração da Mulheres que escrevem! Para conhecer mais o catálogo da Pólen, você pode acessar o site da editora ou seu perfil do Facebook.


2- Edições Macondo

A Macondo também surgiu em 2014 e segue firme e forte produzindo livros maravilhosos ali em Juiz de Fora. Quando descobri a Macondo, comecei automaticamente a chamar a editora de crush. Os livros são focados geralmente em poesia e foi lá que conheci algumas poetas pelas quais me apaixonei como a Carla Diacov e a Laura Assis. A Macondo tem a poeta Anelise Freitas e a Fernanda Vivacqua no comandando, ao lado de Otávio Campos. A editora está prometendo lançamentos incríveis para 2018, com a presença de muitas poetas que amamos, então fica de olho no site da Macondo e em sua página do Facebook.


3- Quintal Edições

A Quintal Edições é um projeto que entrou em contato com a gente recentemente e já ganhou um enorme espaço no nosso coração. Nas palavras de quem criou, a Quintal Edições é uma editora mineira composta só por mulheres, que nasceu com uma proposta: criar espaço num mercado sabidamente tão restrito para que escritoras mulheres possam começar a encontrar seu lugar como autoras. As edições são lindas, super bem feitas e, no catálogo, há uma coleção que nos fez morrer de amores que é a Yebá: através de uma chamada aberta apenas para mulheres, surgiu essa coleção linda que conta com nomes como Ana Libânio, Anna Luisa Araujo, Flávia Ruiz e Gisela Gold. Você pode conhecer mais sobre o trabalho da Quintal na página no Facebook ou abrir logo essa mão e comprar uns livros lindos pelo site.


4- Bebel Books

Conheci a Bebel quando brotou na minha frente uma coisa incrível chamada Suruba de Colorir. Fiquei insana com aquele livro que contrariava toda a lógica dos livros de colorir tradicionais. Fui descobrir quem estava atrás daquele selo BbBooks. A mini-editora da produtora cultural e calígrafa amadora Bebel Abreu, surgiu em 2012 e traz publicações da Bebel e de artistas convidados. A mini-editora já cresceu para caramba desde então e tem livros de deixar a gente suspirando. Um dos meus projetos favoritos é o zine É bom para o moral, “o selo pornô elegante” segundo as palavras da própria Bebel. A primeira edição do zine foi feita só por mulheres e você pode comprar aqui. Para saber mais, você pode comprar uns livros aqui no site ou então acompanhar a editora pelo Facebook.


5- Pipoca Press

A Pipoca Press é uma história de amor na vida das organizadoras da Mulheres que escrevem. Eu, Natasha, Seane e Taís somos loucas por eles, é unanimidade. Os posters, os zines, os livros, tudo feito com tanto carinho que é impossível não cair de amores. A Pipoca Press é uma editora independente carioca, criada em 2013/2014, e tem a belíssima Manon Bourgeade (ao lado do queridíssimo Pedro Lima) no comando! Um dos trabalhos mais incríveis da Pipoca Press é a coleção Puxadinho que depois foi reunida em um livro chamado Terreno. Lá eles têm contos de vários escritores, dentre eles nossas crushes Julia Wähmann e Leticia Lewkowics. Para comprar livros lindos você pode acessar a lojinha da Pipoca ou acompanhar sua página no Facebook.


6- A Bolha Editora

A Bolha é um caso de amor também. A incrível rachel gontijo araujo comanda essa editora com tanto amor e delícia que fazemos sempre questão de falar dela. Participamos de um lançamento de uma zine da Alpaca Press (outra editora independente super crush) da nossa editora Taís Bravo junto com a nossa colaboradora Brena O'Dwyer lá na antiga casa d’A Bolha, a Comuna, e foi um momento único. Estar entre os livros editados pela Raquel é sempre um prazer. A Bolha é especializada em títulos traduzidos para o português e também na divulgação de obras brasileiras na América do Norte. Em seu catálogo há autoras fodas como a Claude Cahun e a Tove Jansson. Aliás, A Bolha está com uma campanha de financiamento para publicar o terceiro volume do Moomin, essa obra master da Tove Jansson, aproveita para colaborar e garantir um livro delicioso! Para acompanhar o trabalho d’A Bolha Editora você pode acessar o site e seguir a página no Facebook.


7- Edições Chão da Feira

As Edições Chão da Feira são uma editora independente focada, principalmente, em poesia. É comandada por quatro mulheres que fazem um trabalho impecável de edição: Cecília Rocha, Júlia de Carvalho Hansen, Luísa Rabello e Maria Carolina Fenati. Além dos livros, a Chão da Feira também edita a Revista Gratuita que, como o nome diz, é gratuita e pode ser pedida no site, você paga apenas o frete! Ainda dá tempo de pedir a edição #3 e você pode ler as outras edições online. No catálogo, as Edições Chão da Feira têm nomes super maravilhosos como Maria Filomena Molder e Júlia de Carvalho Hansen. Para acompanhar o trabalho dessas editoras-maravilha, você pode acessar o site e seguir o perfil das edições no Facebook.


8- Selo do Burro

Foto por Luisa Toller

Tive em mãos recentemente as obras d’O Selo do Burro durante a Terceira | Feira de poesia, no Rio de Janeiro. O Selo é de São Paulo e morria de curiosidade para conhecer. Os livros são maravilhosos! O cuidado na encadernação, os projetos editoriais únicos, tudo é encantador. O selo surgiu dentro do Sarau do Burro e já publicou nomes super importantes para a cena de poesia contemporânea escrita por mulheres como Luiza Romão e Eveline Sin. Para saber mais sobre o Selo do Burro e o Sarau do Burro, você pode acessar a página do Facebook.


9- Alpaca Press

A Alpaca Press é nossa super parceira querida diretamente de Belo Horizonte. A Alpaca é um coletivo editorial de artistas visuais e escritoras mulheres que buscam nas publicações independentes um meio de pensar e compartilhar seus trabalhos. Já publicaram várias zines e trabalhos lindos, dentre eles a Possível da deusa Taís Bravo ao lado de outra deusa a Brena O'Dwyer. Para saber mais sobre esse trabalho voltado para produção de mulheres de maneira independente, acesse o Facebook da Alpaca.


10- Selo Leme

Não podia faltar nessa lista o selo do nosso crush máximo, o Estratégias Narrativas. O Leme foi criado numa parceria da Impressões de Minas com o ateliê de escrita Estratégias Narrativas para incentivar a criação literária e publicar novos autores. Com Laura Cohen Rabelo capitaneando as impressões, o Selo Leme imprime livros lindíssimos e está com um lançamento novinho em folha de poesia, o livro Livre é abelha, da Amanda Ribeiro. Além da Amanda, o catálogo conta também com livros da Laura Cohen, Karen Simões Corrêa e Jussara Santos. Para saber mais sobre o Selo Leme, siga sua página no Facebook!


11- Coletivo Garupa

A Garupa é nossa parceira de aventuras e estamos constantemente flertando por aí, tem Juliana Travassos e Amanda Cinelli encabeçando o time ao lado de mais uma galera do coletivo. Estivemos ao lado deles no lançamento do livro da Marília Flôor Kosby em uma mesa deliciosa com a participação da autora, além de Angélica Freitas, Stephanie Borges, Bruna Mitrano e euzinha aqui. Desde seu início, em 2014, a garupa trabalha em duas frentes: a digital e a impressa. Você pode conferir o conteúdo deles na na revista semestral dedicada às artes [revistagarupa.com] e conferir seus lançamentos em poesia nos livros lindos todos feitos à mão. O coletivo publicada majoritariamente poesia e tem nomes como Ana Kiffer e Adelaide Ivánova em seu catálogo. Para conferir o trabalho do Coletivo Garupa, você pode acessar a página deles no Facebook.


E aí? Quais são as suas apostas para o Indie Book Day? Comenta aqui contando o que você comprou ou pretende comprar ou qual sua editora favorita! O bom de ser independente é justamente isso construir juntos!


Esta lista foi publicada na iniciativa Mulheres que Escrevem. Somos um projeto voltado para a escrita das mulheres, que visa debater não só questões da escrita, como visibilidade, mas abrir novos diálogos entre nós e criar um espaço seguro de conversa sobre os dilemas de sermos escritoras. Quer saber mais sobre a Mulheres que escrevem? Acesse esse link, conheça nossa iniciativa e descubra!

Siga também nossas outras redes sociais: Facebook | Instagram | Twitter

Mulheres que Escrevem

Uma conversa entre escritoras.

Estela Rosa

Written by

Uma poeta caipira que curte ouvir, ler e contar histórias. Curadora, colaboradora e editora na Mulheres que escrevem.

Mulheres que Escrevem

Uma conversa entre escritoras.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade