Foto por Stanley Kubrick

Um textiño de Letícia Novaes

“Para com isso, vamos, a porta vai fechar”

Estamos no metrô. Eu sento de um lado. Você do outro, não exatamente à minha frente, mas como se. À minha volta, uma mulher mexe no celular, a outra quase dorme. Você senta do lado de uma mulher que está lendo um livro. Você obviamente tenta adivinhar qual livro. Eu te acompanho. Você tira o seu livro da mochila e agora é a vez da mulher tentar adivinhar o que você lê. Ela não sabe que estamos juntos. Esses eram os lugares disponíveis e nos sentamos em silêncio. Eu te vejo ao lado dela, você tão lindo, tão júpiter. Ela ao seu lado, silenciosamente em harmonia, bonita também, um pouco pela sua beleza, mas bonita. Vocês dois lendo juntos.

E se quando nossa estação chegasse, eu fosse até você e falasse “Vamos?” E você respondesse “Quem é você?”. E eu ficasse sem graça e nervosa pela brincaderinha em ambiente público e apressadamente falasse “Para com isso, vamos, a porta vai fechar”, e você me olhasse sério “Desculpa, acho que você está maluca, eu estou aqui com a minha namorada”, e o nome dela seria Isabela, claro, e ela também me olharia espantada e com algum ciúme. E eu não saberia o que fazer, permanecer e esperar uma reviravolta sã ou ir direto para o Pinel.

Se eu passasse as horas que eu passo delirando, estudando piano ou economia, não estaríamos aqui nesse metrô.

Vocês dois sentadinhos, um do lado do outro, peles parecidas até. Harmonia dos estranhos. Lendo.

Eu, do outro lado, caótica, neurótica que quer estar na porta exata em frente à escada na hora da saída. Escrevendo.


Crédito: Daryan Dornelles

Letícia Novaes é atriz, escritora, compositora e cantora. Como atriz já participou de filmes, stand-up comedy e seriados. Como escritora já foi colunista do Segundo Caderno, escreveu para zines e sites e lançou seu primeiro livro, Zaralha — abri minha pasta, em 2015, pela Editora Guarda Chuva. Como cantora lançou 3 discos com sua banda Letuce e acaba de lançar seu primeiro disco solo intitulado “Letrux em Noite de Climão”, pelo selo Joia Moderna.


Este texto foi publicado na iniciativa Mulheres que escrevem. Somos um projeto voltado para a escrita das mulheres, que visa debater não só questões da escrita, como visibilidade, abrir novos diálogos entre nós e criar um espaço seguro de conversa sobre os dilemas de sermos escritoras. Quer colaborar com a Mulheres que escrevem? Acesse esse link, conheça nossa iniciativa e descubra!
Siga também nossas outras redes sociais: Facebook | Instagram | Twitter