Imergindo nos Inversos

Dos dias 29 de abril a 1º de maio de 2017 aconteceu a primeira Imersão com a turma inaugural de corajosos da Multiversidade. Aguardamos ansiosamente por esse momento e vamos dividir com vocês um pouco do que foram esses dias!

Vai ser desafiador colocar em palavras, mas bora lá…

Podemos dizer que a imersão começou com o processo de chegada até o local. Tá, mas por que alguém ia se interessar em saber como a gente foi até lá? Bom, porque fomos todos de carona uns com os outros, então a imersão e o senso comunitário já começaram nos carros!

No percurso aconteceu uma super interação, hahaha. Durante o trajeto trocamos ideias super incríveis, contando um pouco da nossa história, do que nos levou até a Multiversidade, do que nos fascina hoje e o que a gente esperava dessa viagem. A maioria do pessoal não se conhecia, mas a sintonia que rolou foi demais. Cada um era diferente um do outro e tinha algo de legal para acrescentar. Os aprendizados já estavam rolando e alguns planos nascendo também. Foram cerca de 2 horas de conversa muito gostosa.

Enfim chegamos ao local do encontro, o espaço Terra Luminous. E de cara já nos encantamos! Uma energia muito mágica rolava por ali. Aqui vai uma foto para vocês sentirem um pouco do que é esse lugar…

Terra Luminous

Os quartos eram também maravilhosos. Cada cantinho era um mimo. Dava para sentir o amor e o carinho que eram colocados ali diariamente. Demos uma volta pelo lugar para conhecer outros espaços e a cada canto novo ficávamos mais e mais apaixonados. Além de ser uma prova de amor para os humanos que passam por ali, o Terra Luminous é uma prova de cuidado com toda a natureza que circunda o local. O espaço está em harmonia com tudo que o cerca.

A Fabi, idealizadora e uma das moradoras dessa comunidade, nos presenteou com falas riquíssimas sobre o processo de criação do espaço, como tem funcionado e o que sustenta o lugar. O Terra Luminous é uma comunidade intencional que tem três pilares principais: a Permacultura ( harmonia com o meio ambiente, construção de um ambiente sustentável), a Comunicação Não Violenta (cuidado com as relações) e a Sociocracia ( metodologia para governança e tomada de decisão). Uma coisa mais legal que a outra!!!

Eles estão caminhando para a autossustentabilidade do local. Eles mesmos cuidam dos resíduos gerados: os orgânicos são compostados, alguns incinerados e pouquíssimo é destinado aos aterros sanitários. Possuem tratamento natural de águas cinzas (provenientes de chuveiros e pias) e negras (vindas de vasos sanitários), possuem uma horta que está em expansão e as águas utilizadas tem origem nas nascentes próximas. Sem falar na riqueza natural que rodeia todo o espaço. Lá é um dos poucos lugares de preservação ambiental da Mata Atlântica, uma raridade nesses tempos. Ou seja, não poderíamos estar em um lugar melhor.

O ambiente onde nos reuníamos era dos sonhos. Na verdade nem em sonhos poderíamos imaginar uma “sala de aula” melhor, hahaha. É, as comparações com o modelo de ensino tradicional foram bem presentes nos nossos dias, hahaha.

Nossa “sala de aula”

Como vocês puderam sentir o lugar era divino, mas o que deixou esses dias mais surreais ainda foram as PESSOAS e as conexões verdadeiras que foram formadas ali. Cada ser que esteve presente agregou algo de muito valioso para o grupo. Cada história, cada jeito, cada mania, cada piada, cada risada, cada choro e cada abraço salpicou esse encontro com muito amor e muita verdade. Ninguém estava ali para agradar ninguém, para ser melhor do que ninguém, para vestir máscaras, todo mundo estava ali de corpo e alma, expressando a sua autenticidade, a sua vulnerabilidade, a sua humanidade. Cada um expressando quem É.

E muita coisa linda surgiu nesse espaço.

No começo não nos conhecíamos muito bem, mas foi preciso muito pouco para todo mundo já se sentir bem um com o outro. Esse sentimento de confiança, de poder ser você mesmo é a maior riqueza que a gente pode encontrar. É libertador. E é muito interessante como não foi preciso muito para construir esse espaço. Não foram necessárias horas de conversa, vários encontros, muito dinheiro. Só foi preciso abertura, espaço, vulnerabilidade, acolhimento. Abraçar quem nós somos e nos entregar à experiência. A variedade, diversidade de personalidades, trajetórias de vida, jeitinhos, gostos, traços, trouxeram uma riqueza ímpar ao encontro. A troca que rolou com todo mundo foi realmente mágica. Esquecemos dos rótulos e focamos nas preciosidades que cada um traz dentro de si.

A idade, o diploma, a formação escolar, a origem, nada disso importou muito. Nos esquecemos de tudo isso e fomos simplesmente humanos. Seres humanos que tem gostos diferentes, que estão passando por fases diferentes, que viveram histórias diferentes, mas que estavam juntos, convivendo na mais pura harmonia. E não é isso que acreditamos para esse mundão ?

Mas e aí, o que essa galera super demais fez nesse lugar mágico ?

Resgatamos o senso de comunidade, estivemos em família, vulneráveis, sendo quem somos, expondo nossas maiores fraquezas e nossos medos (de aranha principalmente, haha).

Conversamos MUUUITO. Sobre muitas coisas sensacionais, desde planos para criar um mundo novo, crises políticas e extraterrestres. Papeamos sobre autoconhecimento e sobre a nossa relação com o dinheiro. Divagamos sobre conexões verdadeiras, sobre vulnerabilidade, sobre o poder da comunicação autêntica, sobre educação.

Trabalhamos na horta do espaço, nos conectamos com a Mãe Terra. Aprendemos sobre a permacultura. Fizemos trilha pelo espaço, visitamos a floresta. Nos sentimos ligados ao natural.

Conhecemos cada um por meio das palavras, falas, olhares e abraços. Cuidamos muito uns dos outros. Cuidamos do grupo como um todo.

Fizemos fogueira. Cantamos para o fogo. Cantamos para os elementos da natureza. Cantamos para nós mesmos. Cantamos por cantar.

Descobrimos mais sobre nós mesmos. Descobrimos mais sobre os outros. Abraçamos nossas multipotencialidades.

Jogamos escravos de jó (e erramos várias vezes). Rimos de nós mesmos. Nos divertimos como crianças. Choramos. Assistimos filmes. Declamamos poesias. Ficamos tranquilos lendo livros.

Fizemos meditação com gongos. Sentimos a vibração do Universo.

Com um ritual, decidimos o nome da turma. INVERSOS! Cada um compondo essa poesia com o seu próprio Verso, vivendo o inverso do tradicional, do comum. Escolhemos um outro lado da folha. Escolhemos o olhar apreciativo, o olhar da liberdade e da abundância.

Aprendemos muito uns com os outros, e de uma maneira tão leve e divertida que nem sentimos. Aprendemos sobre a confiança, sobre o poder de uma comunidade, sobre a importância do cuidar. Cada um teve o seu aprendizado. Cada interação trouxe algo diferente.

E o mais incrível de tudo foi que fomos livres livres para fazer ou deixar de fazer qualquer atividade. Fomos livres para propor o que quiséssemos. Tudo era um convite. Vivemos a liberdade e a autonomia.

E entre todas essas programações fomos presenteados com numerosas refeições vegetarianas divinas!!! De verdade, eram muitas e cada uma melhor que a outra. Nutrimos alma, coração e corpo. Difícil imaginar uma Universidade melhor.

Tudo estava muito perfeito. Era um sonho que se tornou realidade. Foi uma oportunidade linda de nos reconhecermos uns nos outros, para nos reconhecermos em nós mesmos, e para acreditar que é sim possível uma nova forma de aprender, de viver, de estar nesse mundo. Não queríamos ir embora, mas levamos muitas coisas de volta conosco.

Levamos todas as conexões que se formaram ali. Voltamos para São Paulo com o coração transbordante. Com a certeza de estarmos no caminho certo, caminhando com as pessoas certas. E um fato aliviava nosso coração: Tudo aquilo era o começo, só o começo de uma jornada que decidimos trilhar juntos! Em direção a nós mesmos e ao futuro desse planeta. E que essa jornada continue mágica como ela começou! Vamos adiante, tem muito ainda pela frente!!! INVERSOSSS !!!!!!

Inversos (com alguns integrantes faltantes)

Site do espaço : http://terraluminous.eco.br/

Site Multiversidade: https://www.multiversidade.org/

Página do face da Multiversidade: https://www.facebook.com/multiversidadebr/