Participação de vilão poderoso aumenta as expectativas para novo filme da Marvel

Thanos, o vilão de Titã, reúne seis joias poderosas para expandir seus poderes e acabar com o universo

Por Bianca Bispo e Fábio Oliveira

A sequência da saga dos Vingadores (grupo de super-heróis da Marvel Comics), nos cinemas tem sua estreia prevista para abril de 2018. Com mais de 65 personagens, nomes como Capitão América, Dr. Estranho, Homem Aranha, Homem de Ferro, Hulk e Thor serão chaves importantes para que Thanos, o vilão icônico da saga cósmica da MCU — Universo Cinematográfico Marvel -, não acabe com o planeta Terra e com toda a galáxia.

Designados para proteger o planeta dos planos do vilão de Titã, o filme foi confirmado em 2014, quando a divulgação do filme Vingadores: Era de Ultron teve início. Dirigido pelos irmãos Russo (Anthony Russo e Joe Russo) o longa desperta a curiosidade dos fãs para ver o resultado nas telonas.

O filme conectará todos os universos apresentados nos filmes até agora e mostrará a ligação entre as “joias do infinito”. Thiago Muniz, redator do CinePOP, possui altas expectativas para a continuação, já que ela será fundamental para interligar todos os personagens e se despedir de nomes importantes do MCU. “Esse filme será grandioso e vai apresentar o início do fim da fase três da Marvel nos cinemas. Muitos personagens devem se despedir dos papéis e abrir espaço para novos heróis, como Capitã Marvel, por exemplo”, contou.

THANOS: O VILÃO DE TITÃ

O grande vilão, cuja a primeira aparição no MCU se dá na cena pós-créditos do primeiro filme dos Vingadores (2012), tem origem obscura desde sua infância, onde viveu na Lua de Saturno de Titã e desenvolveu uma profunda obsessão pela morte. Ambicioso e incontrolável, se voltou contra seu pai e conquistou o trono de Titã para si. Ainda assim, Thanos, um personagem abertamente niilista, rejeitava qualquer sentido no universo e jurou destruí-lo. Almejando mais poder, procurou todas as Joias do Infinito, poderosas armas espalhadas pelo universo, para enfim ter o poder necessário para destruir toda a galáxia. “Thanos deseja reunir todas a Joias para colocar em sua Manopla do Infinito (uma espécie de luva super poderosa) e assim possuir total controle do Universo, além de ter um poder superior a qualquer Vingador”, explicou o redator do CinePOP.

Nos quadrinhos, o vilão faz parte do maior multiverso da Marvel, a Terra-616, e teve sua primeira aparição saga O Invencível Homem de Ferro Vol 1 #55, em fevereiro de 1973.

Thanos, interpretado nos cinemas pelo ator Josh Brolin, reúne as seis Joias do Infinito para destruir o universo em Vingadores: Guerra Infinita. (Foto: Divulgação)

Conhecido pela vasta galáxia da Marvel como Titã Louco, o alienígena possui uma das armas mais conhecidas dos quadrinhos. É através da Manopla do Infinito que Thanos almeja unir todas as Joias do Infinito, atingindo o equilíbrio máximo entre as principais forças da existência. A ferramenta já esteve em posse de nomes importantes como Sr. Fantástico, líder do Quarteto Fantástico, e Homem de Ferro, um dos vingadores mais relevantes da Terra. Mas foi nas mãos do vilão púrpura que o objeto teve real interferência no universo. Thanos é marca registrada na galeria dos maiores vilões das histórias em quadrinhos, e sua influência no Universo Cinematográfico da Marvel era questão de tempo

JOIA DO ESPAÇO (2011)

Em Capitão América: O Primeiro Vingador (2011), um cubo cósmico chamado Tesseract foi apresentado aos fãs, contendo a primeira joia do infinito. Em seu núcleo a Joia do Espaço, que permite o usuário se transportar pelas diversas dimensões do universo, pôde ser vista. Depois de ser usado pelo vilão Caveira Vermelha, o Tesseract passou pelas mãos da organização S.H.I.E.L.D., que tentou preservar o cubo, até que ele acabou sendo roubado pelo desordeiro Loki em Vingadores (2012), e por fim trancado no cofre de Odin, rei de Asgard (o mundo dos deuses).

Tesseract, o cubo cósmico que abriga a Joia do Espaço. (Foto: Divulgação MCU)

Atualmente, a joia azul se encontra em Asgard, como visto em Thor: Ragnarok. O Tesseract permite que aquele que o possui consiga estar no lugar em que quiser em qualquer momento, o que despertou o interesse de Loki e deixou um mistério no ar.

JOIA DA REALIDADE (2013)

Em 2013, a sequência da saga sobre o deus do trovão teve sua continuidade com Thor: Mundo Sombrio. A segunda joia surge sob a forma do éter, onde é possível identificar pela primeira vez a Joia da Realidade, cujo poder permite que o usuário altere a realidade, quebrando as leis do universo. Dessa forma, o éter é utilizado pelo vilão do filme, Malekith, para trazer a escuridão de seu mundo ao universo.

Cena de Thor: Mundo Sombrio que mostra a interação da personagem Jane Foster com o éter. (Foto: Divulgação MCU)

Quando Thor derrota o antagonista, seus companheiros de batalha Lady Sif e Volstagg entregam o éter para o Colecionador, uma das antigas entidades cósmicas do universo Marvel que guarda todos os objetos de grande poder da galáxia consigo.

JOIA DO PODER (2014)

Em Guardiões da Galáxia (2014) a terceira joia do infinito é apresentada ao público. A Joia do Poder, que permite ao usuário concentrar todo o poder e energia do universo para si, surge dentro da Orbe, uma esfera luminosa, e é utilizado pelo vilão Ronan para dominar a galáxia inteira. Ao final, a joia é resgatada pelos guardiões e entregue para a Tropa Nova, o corpo policial da galáxia.

Peter Quill, o Senhor das Estrelas, em contato com o Orbe, onde a Joia do Poder está localizada. (Foto: Divulgação)

A Joia do Poder possui uma forte energia, o que faz com ela não possa ser utilizada por qualquer um. No cinema, somente Peter Quill, o Senhor das Estrelas, conseguiu extrair toda essa energia da joia roxa e ainda assim foi necessária uma ajuda externa de seus companheiros de equipe.

JOIA DA MENTE (2012)

Loki, o filho adotivo de Odin, aparece com um objeto característico do personagem nos quatro filmes em que participou: Thor (2011), Vingadores (2012), Thor: O Mundo Sombrio (2013) e Thor: Ragnarok (2017). Embora o personagem seja fundamental em tais filmes, apenas em em Vingadores: Era de Ultron, filme o qual Loki não aparece, os fãs descobrem que dentro do cetro se encontra a quarta joia do infinito. A Joia da Mente é capaz de dar ao usuário o poder de subjugar a mente dos outros e acabou permitindo que um forte personagem fosse criado.

Personagem Visão abriga a Joia da Mente em sua testa. (Foto: Divulgação)

O robô Ultron, também vilão, utiliza a joia amarela para aperfeiçoar seu novo corpo sintético, que viria a se rebelar e se tornar o herói Visão, um andróide que mantém a joia presa em sua testa. A joia permite que Visão tenha diversas habilidades, como telecinesia e o aumento da capacidade mental.

O redator do CinePOP conta que a joia da mente torna Visão um personagem poderoso, sendo uma chave importante para os próximos filmes. “Acho ele extremamente forte e complexo, um personagem super importante, afinal, ele contém a Joia da Mente”, explicou.

JOIA DO TEMPO (2016)

A última joia vista nos filmes da Marvel é a Joia do Tempo, apresentada aos fãs no filme do Dr. Estranho (2016) sob a forma do Olho de Agamotto, permitindo o protagonista Stephen Strange controlar o fluxo do tempo em grande escala, avançando ou retornando no tempo.

Dr. Stephen Strange controla o fluxo do tempo com o Olho de Agamotto, onde se localiza a Joia do Tempo (Foto: Divulgação)

A joia verde permanece nas mãos de Strange, que a utilizará na batalha final em Vingadores: Guerra Infinita (2018). Ela é a responsável pelo aprimoramento das habilidades do doutor, que aprendeu a controlar inteiramente as dimensões temporais de todos os universos e usa isso a seu favor. Também foi utilizada para retroceder todo o caos que foi gerado pelo vilão Kaecilius no filme.

JOIA DA ALMA

A última joia que aparecerá nos filmes é a Joia da Alma, cujo o poder permite manipular e alterar as almas dos mortos e dos vivos. Há rumores que apontam que surgirá no próprio filme Guerra Infinita, já nos quadrinhos a joia é utilizada pelo herói Adam Warlock, e ele foi apresentado na cena pós-créditos de Guardiões da Galáxia Vol.2 (2017) ainda em seu casulo. Nas HQs, Thanos utilizou as seis joias em conjunto para destruir o universo, mas foi impedido pelos Vingadore e por Warlock.

Thiago ressalta que, nos filmes, Warlock foi criado para destruir os Guardiões da Galáxia. “Nos cinemas, Adam foi criado por Ayesha (a mulher de ouro que vemos em Guardiões da Galáxia Vol. 2). As histórias dele nos quadrinhos são bem complexas, mas no cinema ele basicamente foi criado como um ser de destruição em massa e ir atrás dos Guardiões”, explicou. Além disso, o personagem possui um poder fortemente conectado com a Joia da Alma. “Um dos poderes dele é olhar para as almas de outros e as aprisionar em uma dimensão guardada dentro da Joia”, disse Thiago.

Também há rumores de que a sexta joia possa estar com o protetor da Bifrost, ponte que conecta Asgard com os outros planetas e reinos. “Saíram boatos recentes de que a Joia da Alma estaria dentro de Heimdall. Isso deve aparecer apenas em Vingadores: Guerra Infinita”, apontou Thiago.

Guardião de Asgard pode carregar consigo a Joia da Alma em rumores levantados por fãs. (Foto: Divulgação)

Heimdall é um grande protetor dentro da Marvel Comics, possui olhos alaranjados e defende o reino dos deuses fielmente de qualquer ameaça. Em Vingadores: Era de Ultron, Thor tem uma visão em que Heimdall aparece cego. Com isso, há boatos de que Thanos pode, no futuro, arrancar os olhos do guardião, onde estaria localizada a sexta joia do infinito e a última para completar os planos do vilão. Seguindo a mesma teoria, também há um artefato na armadura de Heimdall que lembra a aparência física das joias.

Manopla do Infinito, onde Thanos concentra o poder das Joias do Infinito. (Foto: Divulgação)

Esses rumores fazem com que a teoria relacionada à Thanos faça ainda mais sentido. Nela, cada letra do nome do vilão corresponde ao hóspede das joias: T — Tesseract, H — Heimdall, A — Aether (éter, em inglês), N — Necklace (colar, em inglês, onde se encontra o Olho de Agamotto), O — Orbe e S — Scepter (cetro, em inglês).


Revisão Nathália Garcia

Edição Gustavo Paulo