Aline Santana: cantora e professora de canto

Como sucedeu a sua carreira?

Comecei a cantar ainda cedo por influência da minha família, em cultos e eventos na minha igreja. Mas foi aos 12 anos que iniciei minha carreira profissional adentrando em estúdios de gravações e recebendo convites de cantores consagrados para atuar como backvocal. Aos 15 anos recebi o de participar do grupo Dorianfiver, formado só com meninas, que me proporcionou muitas viagens e momentos inesquecíveis. Dia 3 de dezembro de 2004, com 18 anos, gravei meu primeiro cd (Não posso viver sem Jesus) depois de participar e ganhar o programa de talentos “Talentos de jesus”, fechando contrato com a gravadora Zecape Gospel. Após muito analisado, o cd foi usado como referência para várias escolas de música do Rio de Janeiro.

Qual foi o momento mais marcante em sua trajetória? E qual música foi o divisor de águas para abrilhantar sua carreira?

Em janeiro de 2007 fui convidada para me integrar ao grupo Apascentar, bem consagrado até hoje, e permaneci por dois anos. Esses anos me proporcionaram muito amadurecimento e experiências. Tive a honra de fazer uma participação especial na música “ Deus do impossível”, que foi com um divisor de águas na minha carreira, atingindo uma imensa proporção e alegrando muitas vidas.

O que você tem a dizer sobre sua nova experiência como professora de canto? E como surgiu a ideia do canal “Dica Musical”?

Assim que sai do grupo apascentar iniciei uma nova etapa em minha vida. Comecei a dar palestras, dirigir grupo louvor, e tive a oportunidade de conhecer diversos estados do Brasil promovendo Works shops, juntamente com meu esposo que também é musico. Juntos criamos o Canal “DICA MUSICAL” que hoje soma mais de quatorze mil inscritos. Com a expansão dele, conseguimos alunos da Inglaterra, Colômbia e dos Estados unidos. Assim estamos trabalhando e lutando para alcançar e ajudar muitas outras pessoas levando dicas de música e arte.

Quais foram as experiências e as dificuldades enfrentadas ao longo da caminhada?

É a desvalorização do musico ou artista, pois todo mundo gosta de ouvir música e escutar alguém cantar, mas acredita que isso não vale dinheiro, mas sim que o artista deve viver de luz, pois se o artista não é reconhecido por uma maioria ou algum segmento, o mesmo sofre uma desigualdade e, muitas das vezes, sobe no palco e vai embora sem receber nada. As dificuldades são muitas, mas precisamos seguir em busca dos nossos sonhos, já que o artista que nasceu para ser artista não se ver fazendo outra coisa!

Você acredita que o mercado Brasileiro na música é menos valorizado que o mercado Americano? E porquê?

Não entendo que o mercado Americano na música seja mais valorizado do que o Brasileiro. Acho que isso depende da cultura de um povo. Acredito que o Brasil investe muito nesse mercado, mas desliza por investir de forma desigual em segmentos diferentes. Portanto, se o país eliminar essa desigualdade, teremos muito mais artistas incluído no mercado e uma valorização maior para a nossa arte.

Por Izabele Oliveira

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.