Cigarro — Proposta de Redação Enem

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema Como combater o vício do cigarro no Brasil apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

O cigarro no mundo

por Drauzio Varella — publicado 20/07/2014 00h01

Na desigual geografia do vício, onde se fuma mais hoje é nos países pobres

Na primeira metade do século XX, o cigarro virou epidemia masculina. Nas décadas que se seguiram à Segunda Guerra Mundial, perto de 80% dos homens haviam fumado em algum momento da vida adulta.

Desde então, a prevalência começou a cair nos países de língua inglesa e no Norte da Europa. Como consequência, a partir dos últimos 20 anos do século passado as mortes causadas pelo cigarro entraram em declínio, também na América Latina, Europa Central e Sul da Europa.

O pico da mortalidade feminina aconteceu mais tarde, porque as mulheres começaram a fumar em massa só a partir do anos 1960. A redução da prevalência entre elas ocorrida nas últimas décadas nos países de língua inglesa, Europa do Norte e Brasil começa a diminuir o número de mortes.

Com as medidas restritivas adotadas nos países industrializados e naqueles de renda média, a indústria passou a investir na Ásia, África e Oriente Médio, países populosos em que a legislação mais frouxa permite a publicidade e a presença do cigarro em toda parte.

Entre mais de 1 bilhão de fumantes espalhados pelo mundo, a maioria vive hoje em países pobres ou de renda média.

A prevalência caiu para menos de 20% na Austrália, Canadá, Brasil, Estados Unidos e Europa do Norte, mas ficou estabilizada em níveis ao redor de 60% nos lestes europeu e asiático.

A prevalência entre as mulheres ainda se mantém ao redor de 40% em algumas partes da Europa. Na África abaixo do Deserto do Saara, os níveis são relativamente mais baixos, e o consumo de cigarros por fumante é menor do que nas Américas, Europa e Ásia.

http://jcoutinhomaimai.com.br/sem-cigarros-com-saude/

Famosos que pararam de fumar

Juliana Paes abandonou o cigarro, voltou para a academia e resolveu levar uma vida mais saudável. O grande motivo da decisão era o plano de engravidar de seu marido, Carlos Eduardo.

Letícia Bikheuer — Depois de muitos anos de vício, a atriz conseguiu para de fumar em novembro de 2009. Ela chegou a contar em uma revista que ficou dois anos tentando, chegou a tomar remédio, mas acabou virando o jogo sozinha. Letícia disse que estava sentindo sua pele muito mais bonita.

Marcello Antony — Para dar um bom exemplo para seus filhos, Francisco e Stephanie, o ator largou o vício.

Malu Mader — A atriz chegou a ser garota-propaganda de uma marca de cigarros nos anos 80. Mas atualmente ela não chega perto de cigarro.

Lavínia Vlasak — Os planos de engravidar também ajudaram a atriz a largar o vício. Ela parou de fumar em janeiro de 2008 deu à luz Felipe em dezembro do mesmo ano.

Penélope Cruz — No começo de 2009, a atriz disse que acordou inspirada e resolver largar o cigarro.

Ney Latorraca — O ator começou a fumar aos 13 anos de idade e aos 59 resolveu largar o cigarro. Agora ele caminha todos os dias e faz acupuntura.

Dado Dolabela — A decisão de parar de fumar veio durante a sua participação no reality show “A Fazenda”. O campeão do programa deixou o cigarro ainda confinado.

Por que as pessoas fumam

Em geral, as pessoas fumam para:

  • relaxar, aliviar as tensões
  • disfarçar o tédio
  • amenizar uma situação de estresse combater a ansiedade
  • ocupar as mãos e a boca em ambiente social em que há grupos de pessoas reunidas

Os adolescentes são levados ao vício pela

  • imitação dos adultos
  • necessidade de aceitação pela turma de amigos
  • ilusão de que fumar os faz parecer mais velhos
  • ansiedade e timidez
  • crença de que levar um cigarro à boca é gesto de elegância

O QUE CONTÉM UM CIGARRO

Em cada tragada, o fumante inspira mais de 4000 substâncias, entre elas a nicotina, o alcatrão, o monóxido de carbono, altamente prejudiciais à saúde. Após a inalação, entre 70% e 90% permanecem nos pulmões.

A nicotina estimula a liberação da epinefrina e da adrenalina, que alteram o fluxo e a pressão sangüínea, fazendo o coração bater mais rápido, podendo.

O monóxido de carbono reduz a quantidade de oxigênio dos glóbulos vermelhos porque passa dos pulmões para a corrente sangüínea. Danifica a parede interna dos vasos, contribuindo para o surgimento da arteriosclerose.

O alcatrão provoca irritação crônica no sistema respiratório e é o principal causador do câncer do pulmão.

DOENÇAS PROVOCADAS PELO FUMO

Câncer

90% dos casos de câncer do pulmão, que neste ano deve causar 12.000 mortes no Brasil, são causados pelo fumo, que também é responsável pela ocorrência de câncer na boca, laringe, esôfago e bexiga, além de contribuir para um risco maior de câncer de estômago, rins e pâncreas.

Outras doenças e seus sintomas

Bronquite crônica, enfisema: falta de ar, respiração ofegante, mal-estar, tosse.

Gastrite, úlcera péptica: crises repetidas de dores abdominais, com náusea, vômitos e regurgitação

Doenças coronárias do coraçã dores no tórax

Problemas de circulaçã Câimbras nas pernas, úlceras.

50% dos fumantes morrem de doenças provocadas pelo cigarro. Metade deles perdem, em média, 17 anos de vida. Após cinco anos sem fumar, o risco de morte, em conseqüência do tabagismo cai pela metade e, após 15 anos, o risco para o ex-fumante é quase o mesmo do não-fumante

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

O fumo na gravidez — A nicotina diminui a quantidade de oxigênio e de nutrientes para o feto, por isso, os abortos, bebês natimortos, prematuros ou de baixo peso são mais comuns entre as mães que fumam. Como o feto recebe as substâncias tóxicas do sangue materno através da placenta, corre o risco de sofrer anomalias, o que explica, muitas vezes, a morte súbita do bebê ou o comprometimento de sua inteligência.

O fumante passivo — Respirar a fumaça do cigarro de outras pessoas é fumar passivamente, por isso, conviver com fumantes é estar sujeito às mesmas doenças que eles, por inalar as mesmas substâncias. Crianças cujos pais fumam estão propensas a desenvolver bronquite e asma.

COMO PARAR DE FUMAR

Procure descobrir as razões que o levam a fumar.

Analise o seu perfil como fumante

Prepare-se física e psicologicamente para parar de fumar, procurando mudar sua dieta alimentar (café, bebidas e doces aumentam o desejo de fumar) e sua rotina diária.

Modifique hábitos facilitadores do vício no ambiente familiar e profissional

Planeje e estabeleça prazos para si mesmo.

Conte a sua decisão para familiares e amigos.

Adie, pelo tempo que for possível cada cigarro.

Ao sentir vontade, beba água ou chupe uma bala.

Procure o apoio de amigos não-fumantes.

Se necessário, consulte um médico que possa orientá-lo a usar adesivos ou receitar-lhe chicletes terapêuticos.

Estabeleça metas e, periodicamente, tente avaliar os benefícios que já está sentindo em sua saúde.

Renove, diariamente, sua decisão de parar de fumar.

Parar de fumar permite a você retomar o controle de sua saúde, proteger os membros da sua família contra os perigos de se tornarem fumantes passivos e dar uma bom exemplo de autodisciplina e determinação aos seus filhos.

http://www.nutricionistajuliana.com.br/Dicas/parar-fumar-sem-engordar.aspx

INSTRUÇÕES:

  • O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
  • O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
  • A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Receberá nota zero, em qualquer das situações expressas a seguir, a redação que:

  • tiver até 7 (sete) linhas escritas, sendo considerada “texto insuficiente”.
  • fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo.
  • apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos.
  • apresentar parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto.

Originally published at blog.mundoedu.com.br on July 16, 2017.