Humor x Bullying — Proposta de Redação

Com base na leitura dos seguintes textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo, em norma culta escrita da língua portuguesa, sobre Diferença entre humor e bullying nos discursos sociais apresentando experiência ou proposta de ação social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para a defesa de seu ponto de vista.


Não é o tom politicamente incorreto que separa Danilo Gentilli e Rafinha Bastos dos bons — e consagrados — comediantes stand-up. É a qualidade das piadas, tão baixa que dá a impressão de que Gentilli e Rafinha estão simplesmente proclamando ofensas como quem pratica bullying, sem qualquer conteúdo crítico sobre a atualidade.

  1. “A criatura tem pelo, é feia, fede a enxofre e não posso chamar de demônio? Tem de chamar de Heloísa Helena?”(Danilo Gentili, em cena do ‘espetáculo’ Danilo Gentili Politicamente Incorreto)
  2. “Se ela foi presa e torturada, é porque é otária… Todo mundo fala que a Dilma foi torturada, mas ninguém conta o outro lado da história. Também não foi nada fácil para o carcereiro ficar olhando a cara dela. Eu teria batido nela antes da plástica”(Danilo Gentili, referindo-se à então candidata a presidente Dilma Rousseff, em cena do ‘espetáculo’ Danilo Gentili Politicamente Incorreto)
  3. “Eu não me importo com o que os psicólogos dizem: seu filho não é autista. Ele é simplesmente burro. Ou preguiçoso. Ou ambos”(O comediante americano Denis Leary, no livro Por que Somos Ruins: Um Guia para Permanecer Gordo, Barulhento, Preguiçoso e Burro — Why We Suck: A Feel Good Guide to Staying Fat, Loud, Lazy and Stupid. Leary teve de explicar que se referia ao excesso de diagnósticos de autismo, que ele atribuía a pais que procuravam uma desculpa para problemas de seus filhos. Ele pediu desculpas aos pais de autistas)

“O politicamente correto está virando uma ótima desculpa para humorista ruim. Qual dessas últimas polêmicas se deu em torno de uma piada realmente aproveitável?”, questiona o cartunista Arnaldo Branco. “Quando a Sarah Silverman fala que sente pena das crianças etíopes subnutridas (mas com barrigões de vermes) porque são crianças de um ano grávidas de nove meses, ela está fazendo um personagem idiota para criar um jogo de palavras e uma associação de ideias inteligente. Você ri no limite do prazer culpado. Os nossos amigos stand ups não trabalham com camadas, na hora de imitar seus colegas gringos acham que só precisam de um microfone, uma roupa casual e as bobagens que entendem por insight.”

fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/entretenimento/piada-x-grosseria-a-diferenca-entre-o-humor-e-o-bullying/

O comediante imbecil politicamente incorreto: sua visão de humor é a do bullying. Para ele não existe o humor físico de um Charles Chaplin ou Buster Keaton, ou o humor nonsense do Monty Python: o único humor possível é o que ri do próximo. Por “próximo”, leia-se pobres, negros, feios, gays, desdentados, gordos, deficientes mentais, tudo em nome da “liberdade de fazer rir.” Prega que não há limites para o humor, mas é uma falácia. O limite para este tipo de comediante é o bolso: só é admoestado pelos empregadores quando incomoda quem tem dinheiro e pode processá-los. Não é à toa que seus personagens sempre estão no ônibus ou no metrô, nunca num 4X4. Ri do office-boy e da doméstica, jamais do patrão. Iguala a classe política por baixo e não tem nenhum respeito pelas instituições: o Congresso? “Melhor seria atear fogo”. Diz-se defensor da democracia, mas adora repetir a “piada” de que sente saudades da ditadura. Sua principal característica é não ser engraçado.

fonte: http://www.cartacapital.com.br/politica/o-perfeito-imbecil-politicamente-incorreto

Em menos de três anos, a marca Porta dos Fundos alcança um valor de R$ 500 milhões. O primeiro lucro milionário é esperado para 2015. Saiba como a contratação de uma CEO botou ordem na casa e a transformou numa produtora de conteúdo multiplataforma

O humor ferino, abusado e, muitas vezes, desabusado, bomba e o dinheiro, idem. Nesses quase três anos na estrada, o Porta dos Fundos atingiu 1,6 bilhão de visualizações, conquistou quase 10 milhões de assinantes no YouTube e levou o título de maior canal de humor da internet mundial. Os cinco sócios comandam um negócio com valor de marca estimado em R$ 500 milhões, segundo estudo realizado pela consultoria Millward Brown Vermeer, a pedido da DINHEIRO. “Usamos Time Warner, Fox e CBS como comparação para termos noção do valor de mercado de uma empresa do setor de produção de conteúdo e de entretenimento”, diz o diretor-geral da consultoria, Eduardo Tomiya, responsável pelo ranking AS MARCAS MAIS VALIOSAS DO BRASIL.

A internet como trampolim do humor

Emissoras de tevê buscam sucessos da internet para rejuvenescer seus programas de humor. O desafio é dar a eles liberdade para praticar a irreverência que os projetou no mundo virtual.

Com pequeno custo de produção, mas grande alcance de público, a tela virtual da internet tem-se tornado para muitos humoristas um seguro trampolim para outras telas maiores, as do cinema e da televisão. Guardadas as devidas proporções, é como o menino irreverente que começa a jogar bola feito peladeiro e depois assina contrato com um clube de projeção. Acaba de dar esse salto o comediante Marcelo Adnet, que na sexta-feira 5 estreia na Rede Globo o seu programa? O Dentista Mascarado? Como em tudo na vida, uma boa dose de sorte, além de talento, é necessária na carreira artística, mas o fato é que ele não é um caso isolado ? integra o fenômeno de duas mãos que hoje se dá no mundo do humor: quem faz sucesso na internet ganha convite para migrar para a televisão, e a própria televisão, ao buscar tais comediantes, demonstra que quer novamente consolidar programas desse gênero numa reação à internet. Nesse vaivém ganha o profissional e ganha o público.

fonte: http://www.istoe.com.br/reportagens/286571_A+INTERNET+COMO+TRAMPOLIM+DO+HUMOR

Instruções:

  • A redação deve ser postada no PERGUNTE! assim os outros membros e alunos podem ler e opinar sobre cada uma. Além disso a prof. Dani é nossa moderadora e as redações mais votadas receberão comentários dela.
  • O texto definitivo deve ser escrito em até 30 linhas.
  • A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou de qualquer outro texto terá o número de linhas copiadas desconsiderado.

Lembrem! Na hora da verdade, redação NOTA ZERO será a redação que:

  • tiver até 7 (sete) linhas escritas, sendo considerada “insuficiente”.
  • fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo.
  • apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos.
  • apresentar parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto.

Beijocas, boa redação e esperamos vocês no PERGUNTE!


Originally published at blog.mundoedu.com.br on October 10, 2015.