Este texto é importante.

Semana retrasada eu tive uma ideia para um texto. Alguns dias depois eu decidi que meu tema não era tão legal e não valia a pena.

Semana passada eu tive mais duas ideias de tema. Nenhuma delas resistiu a mais de dois dias.

Neste exato momento era pra eu estar escrevendo sobre uma série. Você sabe qual se esteve na internet nos últimos dias. Acabei decidindo que não valia a pena mais uma vez. E dessa vez fiquei frustrada. Como é possível que nada em que eu pense seja digno de se escrever a respeito? Não é possível que todas as minha ideias sejam uma completa perda de tempo.

Depois de algum tempo cheguei à conclusão de a partir do momento em que eu tenho uma ideia de texto, minha mente inicia automaticamente um Ciclo da Autodúvida, que eu ilustrei abaixo, para melhor entendimento do leitor:

1. Surge a ideia!
2. Dou um google básico sobre o tema decidir que tipo de texto vai ser meu texto.
3. Acabo me distraindo por horas e horas lendo textos de outras pessoas “mais inteligentes e criativas” do que eu sobre esse tema.
4. Percebo que todas as possíveis abordagens a respeito do tema já foram feitas por gente mais capaz.

E isso acontece toda vez! E pode acontecer não só com a escrita, mas todas as formas de criação (arte, vídeo, fotografia, etc.). A gente se preocupa tanto com originalidade que perdemos a oportunidade de transformar o ordinário no extraordinário e isso é uma baita pena.

Percebi que quando passo pelo Ciclo da Autodúvida, o problema não são as minha ideias, mas a minha inabilidade de perceber o valor da minha voz. É claro que nenhum desses textos em potencial era uma reflexão profunda. Nenhum deles mudaria a vida de alguém, nem mesmo a minha. Mas todos eram importantes. Esses textos importam porque são meus textos e meus textos são a minha voz, minha visão de mundo, minha interpretação de tudo.

Muito dificilmente serão escritas duas coisas idênticas a respeito do mesmo tema, porque cada uma delas é escrita por um indivíduo com uma história, experiência e formação diferente. Originalidade importa, mas talvez não tanto quanto nos fazemos pensar.

E quer saber? Talvez você ache que a minha opinião realmente não importa. Mas eu sou uma escritora e ser escritor nada mais é do que publicar suas opiniões pra um monte de gente que não dá a mínima.