Correntes do Feminismo: qual é a sua?

Conheça um pouco mais sobre as principais formas de pensar dentro do movimento.

Texto de Gabriela Freire

A palavra “feminismo” ainda assusta muita gente, e em grande parte é porque a sociedade ainda não tem um entendimento básico sobre o que é esse movimento social. Uma das principais militantes da causa, a escritora nigeriana, Chimamanda Ngozi Adichie, define uma feminista como “a pessoa que acredita na igualdade social, política e econômica entre os sexos.”

A busca pela igualdade entre gêneros é a premissa básica do feminismo. Contudo, existem várias correntes feministas que possuem diferentes tipos e formas de pensar e problematizar o machismo. Hoje, vamos conhecer um pouquinho mais sobre as 4 principais.

Feminismo Radical

Apesar do nome, o feminismo radical não significa extremismo, o termo “radical” faz referência a raiz e origem.

Esse tipo de feminismo acredita que a opressão sofrida pelas mulheres está na subordinação do gênero mulher pelo gênero homem, ou seja, a raiz da opressão feminina está nos papéis inerentes ao gênero. As feministas radicais definem o gênero como um sistema hierárquico baseado na divisão binária “homem” e “mulher” caracterizado pela sociedade através da biologia. Um de seus objetivos é organizar as mulheres para destruir o patriarcado e todo o sistema de gênero.

O feminismo radical também é contra a prostituição e a pornografia, pois acreditam que esse é mais um jeito dos homens oprimirem as mulheres.

Feminismo Liberal

O grande objetivo dessa corrente do feminismo é conquistar a igualdade entre homens e mulheres por meio de reformas políticas, econômicas e legais. As feministas liberais trabalham muito com a aceitação feminina, elas acreditam que as mulheres são livres para escolher quem querem ser, seguindo ou não, os padrões de beleza impostos pela sociedade.

A grande ideologia desse feminismo é de que as mulheres só vão vencer a desigualdade por meio de combate da situação de opressão pela via institucional, conquistando representatividade política e econômica. Para isso acontecer, as mulheres precisam ter uma ascensão em sua posição dentro das instituições políticas, meios de comunicação e grandes empresas. O feminismo liberal também é mais aberto a ideia de incorporar os homens à luta feminista, contato que eles não sejam os protagonistas.

Feminismo Negro

Sentindo-se pouco representadas pelas pautas de correntes feministas com uma hegemonia de mulheres brancas, as moças negras começaram a criar o seu próprio movimento com o enfoque em desconstruir além do machismo, o racismo.

Nênis Vieira, Xan Ravelli, Larissa Santiago, Maria Rita Casagrande e Charô Nunes, do site BlogueirasNegras.org, explicam a necessidade desse feminismo: “Ele inclui pautas como, no caso brasileiro, o genocídio da juventude negra e como isso tem impactado as mulheres negras. Questões como a intolerância religiosa e a valorização das religiões de matriz africana são também parte do debate feminista negro que, acreditamos, não sejam pautas nem prioridades em outros feminismos”.

Feminismo Interseccional ou Pós Moderno

O feminismo interseccional procura conciliar as demandas de gênero com as de outras minorias, ou seja, eles fazem recortes dentro do grupo de mulheres, diferenciando as pautas através de classe social, raça, orientação sexual, deficiência física e transexualidade. Dentro desse feminismo, você encontra o transfeminsmo, o feminismo lésbico e o negro. O movimento procura entender que cada mulher possui certas demandas, e por isso, que há tantos recortes dentro desse feminismo.

Esse feminismo também é receptivo com a partição dos homens no movimento, mas sempre lembrando de que eles não são os protagonistas da luta.

O texto de hoje é só uma pontinha da ideologia e objetivo dessas correntes. Se você ficou interessado no assunto e quer aprender ainda mais sobre o feminismo, pesquise sobre o assunto, converse com mulheres militantes, curta páginas no facebook que tratam do tema e tente entrar em grupos feministas no facebook, e fique de olho no nosso conteúdo. O importante é não parar de aprender e desconstruir. ❤.