Número_Zero
Published in

Número_Zero

Como uma hamburgueria de Maceió tem sido uma deliciosa resistência aos desmandos do governo Bolsonaro

Com uma generosa — e criativa — pitada de consciência política, a Disk Burger recorre às suas promoções para alertar a sociedade para as bagaceiras que acontecem no Palácio do Planalto e no Congresso Nacional

por Kelmenn Freitas

Com larga experiência em ‘fritar hambúrgueres’, Eduardo Bolsonaro é praticamente um garoto propaganda

Quando o então candidato a presidente Fernando Haddad disse “não tenham medo, nós estaremos aqui”, logo após ser confirmada a vitória de Jair Bolsonaro nas eleições de 2018, é como se cada brasileiro tivesse recebido um salvo conduto para dar início a uma resistência contra um governo que — como se pode ver agora — flerta perigosamente com todo tipo de retrocesso. Alguns criaram páginas no Facebook, outros montaram grupos de estudos antifascistas, uma parcela preferiu fomentar debates em escolas e universidades, e assim a coisa ganhou força passados os primeiros sete meses de governo Bolsonaro.

Mas empreendedores alagoanos optaram por trilhar de barriga cheia nesse território pantanoso que é o cenário político brasileiro, fisgando pelo estômago os ativistas mais à esquerda da resistência bolsonarista. E foi assim que surgiu a hamburgueria Disk Burger, em Maceió (AL), cujo sucesso dos pratos só não é maior que o marketing adotado pelos sócios, que movimenta o Instagram e o WhatsApp do negócio. Nem a turma da direita mais alinhada ao bolsonarismo resistiu às promoções, onde o humor e as tiradas sarcásticas com o que acontece na seara política são sempre impagáveis. É impossível não ser cooptado pela criatividade dos sócios, que preferem não aparecer e deixar a publicidade mesmo só para a hamburgueria.

O Número_Zero conversou com eles para tentar entender de onde surgiu a ideia de ser resistência ao governo Bolsonaro — e seu clã — valendo-se do fast-food como arma para alertar a sociedade para os sucessivos desmandos do Palácio do Planalto. Porque se é para reclamar da política, que ao menos seja de pança cheia. Confira.

Como surgiu a ideia de criar uma hamburgueria com uma pitada generosa de consciência política?

Na verdade, a ideia de criarmos uma hamburgueria surgiu com a necessidade de obtenção de renda. Há três anos, nós [os sócios] estávamos sem emprego e, como em nosso país a necessidade de emprego é chamada de empreendedorismo, resolvemos então abrir uma hamburgueria com a pegada artesanal, usando referências da culinária argentina e brasileira. Na eleição presidencial de 2018, resolvemos nos posicionar contra os absurdos que vemos hoje e que, à época, eram só especulação. Tínhamos a certeza que esse atual governo não seria vantajoso para ninguém. Para amenizar o drama, adotamos o humor crítico para nos posicionar, alertando e criticando o atual governo.

E a receptividade? Como está a aceitação entre os alagoanos?

Quando nos posicionamos, tínhamos a ciência de que segmentaríamos nosso público. Segundo Phillip Kotler (1996, p.257), “segmentação de mercado é o ato de dividir um mercado em grupos distintos de compradores com diferentes necessidades e respostas”. Como estratégia, usamos o humor para não inflamar tanto as pessoas. Nossa intenção era que nosso público usasse a página para conhecer nossas promoções e se informarem dos rotineiros devaneios políticos que o atual governo produz. Perdemos alguns seguidores que não entenderam as nossas críticas e/ou não aceitam nosso posicionamento, entretanto, ganhamos diversos outros seguidores, amigos e clientes. No fim das contas, trocamos seguidores de extrema direita por seguidores humorados, com consciência social/política e clientes assíduos da hamburgueria.

Como vocês lidam com os bolsominions e os extremistas de direita mais exaltados? Há muito bombardeio nas redes sociais da hamburgueria?

Simplesmente não lidamos. Os bolsominions não possuem senso crítico ou referências históricas, não conhecem as ideologias que tanto criticam, chamam Marx de ‘vagabundo’, não conhecem Bauman, não sabem o que é pós-modernidade, ou como o tio Bauman chama, modernidade líquida. Não há como lidar com essas pessoas.

Escândalo do ‘laranjal’ de Bolsonaro também foi parar no feed do perfil da hamburgueria no Instagram

Qual o pedido que faz mais sucesso?

A pedida dos nossos produtos é bem equilibrada, mas, sem dúvidas, as grandes surpresas são: Oklahoma Burger, que sai por apenas 10 reais; o Vegan Burger e o Double Burger, que foi um burger muito pedido pela galera.

Se vocês recebessem um pedido do Palácio do Planalto, via gabinete de Bolsonaro, qual seria a sugestão do chef?

Certamente, faríamos o nosso melhor burger para agradar gostos tão peculiares, e o suco de laranja seria por nossa conta!

Se vocês recebessem um pedido da Polícia Federal em Curitiba, por meio do ex-presidente Lula, qual seria também a sugestão do chef?

Mandaria um Mortadela Burger Limited Edition, e para beber algo com um toque etílico, tipo Sex on The Beach, com gostinho de liberdade ou até talvez um Lula Libre — ops, Cuba Libre. Mas dá no mesmo, né?

As promoções da Disk Burger são sempre atreladas a acontecimentos políticos do dia ou da semana, com foco em alguma polêmica do clã Bolsonaro. Qual o fato político positivo que faria uma nova promoção ‘bombar’ e é o sonho da equipe da Disk Burger?

O impeachment de Bolsonaro é aguardado por todos. Temos medo desse dia chegar e, devido à tanta alegria, literalmente, darmos burgers grátis para todos que pedirem — brincadeirinha!

A rejeição ao governo Bolsonaro é imensa na região Nordeste, e isso com certeza ajuda bastante no sucesso da Disk Burger. Vocês imaginam como seria se ideia semelhante fosse realizada no eixo Sul/Sudeste, onde o bolsonarismo é mais gritante e raivoso?

O sucesso das postagens não é pela segmentação territorial. Em todos os lugares do planeta existem pessoas coerentes, que não apoiam ditadura, xenofobia, ofensas gratuitas contra minorias etc. Nossas publicações são feitas para pessoas coerentes, que entendem o caos que a política brasileira se transformou. Ressalto, inclusive, que temos vários eleitores de Bolsonaro que compactuam com as nossas postagens.

Nem o ex-juiz Sérgio Moro foi deixado de lado: para os amigos, o desconto no lanche é sempre garantido
Se algum dia Dória foi pró-Bolsonaro, ele agora não se lembra: a amnésia do tucano garante desconto de 20%
Onde diabos anda o Queiroz? Seja lá onde for que ele esteja, na Disk Burger ele vale a promoção do dia
Um Mortadela Burger Limited Edition seria a recomendação do chef para o ex-presidente Lula, preso na PF
Bolsonaro também não escapou do meme quando o assunto é ‘sextar’ para a turma da hamburgueria

Kelmenn Freitas é jornalista por formação pela Universidade Federal de Alagoas. Já atuou em diversas frentes do jornalismo: assessoria, reportagem, edição e chefia. Com experiência na área Política, agora se volta para os demais temas da nossa sociedade.

contato@numerozero.co

instagram.com/numero.zero

facebook.com/numerozeromcz

--

--

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store